novembro 20, 2020

[Livros] Moonshadow - J. M. DiMatteis & Jon J. Muth

Título Original
: Moonshadow
Autor: J.M. DiMatteis & Jon J. Muth
Editora: Pipoca & Nanquim
Páginas: 540
Gênero: História em Quadrinhos, Graphic Novel
País: EUA
ISBN: 9788593695506
Classificação: ★★
_______________

Uma verdadeira obra de arte, Moonshadow é, sem dúvidas, um conto de fadas para adultos. É uma graphic novel primorosa que combina as aquarelas de Jon J. Muth com o roteiro impecável de J. M. DiMatteis. Considerada a primeira história em quadrinhos totalmente ilustrada em pinturas, Moonshadow é complexa, sensível e única.

Acompanhamos a história do despertar do protagonista, que nasceu sob circunstâncias nada comuns em um zoológico espacial. Sua mãe, Sunflower, é uma humana sonhadora, que foi abduzida por criaturas de uma poderosa e misteriosa raça alienígena. Ele é, então, fruto do cruzamento dessas duas raças, um garoto peculiar como suas origens.

Isolado das outras criaturas, Moon cresce cercado por livros e música. Com a influência de sua mãe, que era hippie nos anos 70 e acredita no poder do amor e da paz, ele se torna um romântico, otimista e tem um coração genuinamente bom. O problema é que o universo não retribui bons corações com bondade.

Sua jornada se inicia a partir do momento em que ele é dolorosamente expulso por seu pai do zoológico que sempre chamou de lar. Levando consigo apenas as lembranças dos livros que leu, sua mãe e seu melhor amigo - que na verdade, o odeia - Moonshadow vai aprender que a vida é muito mais do que fantasia. Há beleza, amor, tristeza e dor nos esperando.

Repleto de metáforas incríveis, o livro vai se tornando menos surrealista a medida que Moonshadow vai amadurecendo, porém nunca perdendo sua aura fantástica. Vemos o mundo pelos olhos do puro milagre que Moonshadow é, cada acontecimento e personagem bizarro que encontra com ele é um contraste perfeito do que ele vê e do que ele é. O livro traz temas importantes como homossexualidade, religião, capitalismo, política, loucura, morte e, principalmente, a compreensão da existência.

Seu final é belíssimo, um dos mais bonitos que eu já pude ler. O livro que é um compilado de todas as edições da série foi publicado aqui no Brasil com primor pela editora Pipoca & Nanquim numa edição em capa dura, com qualidade e conteúdos extras que tornam ainda mais mágica a experiência do leitor. O velho Moonshadow te convida a ouvir sua história, é um mergulho fantástico nas memórias do garoto mais incrível que conheci. Terminei a leitura com lágrimas nos olhos, contemplei o céu e a lua sorria para mim.

Sinopse: Moonshadow, um dos maiores clássicos das histórias em quadrinhos, criado por J.M. Dematteis e Jon J. Muth, retorna em edição definitiva pela editora Pipoca & Nanquim. Acompanhe a trajetória de Moonshadow, um jovem romântico, fruto do relacionamento de uma terráquea com um ser alienígena, durante sua jornada do despertar. Tendo vivido boa parte da existência em um zoológico espacial que reúne espécimes abduzidos de todo o cosmo pela misteriosa raça de esferas sorridentes conhecidas simplesmente como Des-mesus, o inocente Moon — cujo conhecimento das coisas se baseia apenas em livros e no que sua mãe hippie lhe contava — parte em uma aventura ao lado do canalha Ira e do fiel gato Frodo, para descobrir que a vida é muito diferente do que ele imaginava. Para bem ou para mal. Ao longo de um mar de desbravamentos, vai-se costurando uma narrativa que discute vários assuntos de interesse humano, ao mesmo tempo em que Moonshadow amadurece e avança rumo ao seu destino.

Política, religião, filosofia, sexo, amor, guerra, morte e vida são alguns dos temas habilmente abordados pelos autores conforme o nosso herói e sua trupe se envolvem nas mais distintas e fantásticas situações. O volume lançado pela editora, baseado em arquivos digitalmente restaurados, é apresentado em capa dura com verniz localizado, lombada redonda, acabamento de luxo e fitilho marcador. Além de compilar as doze edições originais da minissérie, esta versão definitiva reúne o conto ilustrado Adeus, Moonshadow, que se passa anos após o término da saga, um prefácio exclusivo de J.M. Dematteis, páginas originais do roteiro e as ideias preliminares que deram origem a uma das maiores e mais lembradas histórias de ficção e fantasia dos quadrinhos de que se tem notícia. Um conto de fadas para adultos que precisa estar na coleção de todos os leitores de hqs.

novembro 06, 2020

[Livros] Flores para Algernon - Daniel Keyes

Título Original
: Flowers For Algernon
Autor: Daniel Keyes
Editora: Aleph
Páginas: 288
Gênero: Distopia, Ficção, Romance
País: EUA
ISBN: 9788576573937
Classificação: ★★
_______________

Sensível, emocionante e bonito, Flores para Algernon foi, sem dúvidas, uma das melhores leituras da minha vida. Escrevo essa resenha com os olhos cheios de lágrimas por ter lido a história de Charlie Gordon, esse rapaz incrível desde sempre e que guardava em si toda a pureza do mundo por não ser capaz de compreender a maldade.

Aos 32 anos, Charlie Gordon tem apenas um sonho: se tornar inteligente. O rapaz, que possui uma deficiência intelectual severa, viveu a vida toda desejando ser "igual aos outros". Seu baixo QI fez com que ele sempre se sentisse inferior às pessoas ao seu redor e, assim, a inteligência passa a ser seu maior objetivo. Quando surge uma inovadora cirurgia capaz de estimular áreas específicas do cérebro e, consequentemente, aumentar sua capacidade de raciocínio e memória, Charlie se vê diante da possibilidade de ser a pessoa que ele sempre quis ser.

A narrativa brilhante de Daniel Keyes é escrita em forma de relatórios de progresso feitos pelo próprio protagonista. Charlie começa escrevendo com notável dificuldade e é possível analisar a falta de coerência e coesão em seus pensamentos. Ideias desconexas, pouco vocabulário e muitos erros gramaticais, no entanto, não interferem na sua capacidade comunicativa. A alma, a mente e as experiências de Charlie estão ali naqueles relatórios e é bonito acompanhar o quanto sua escrita e sua capacidade de aprendizagem aumentam a cada página.

Cada erro cometido ortográfico pelo protagonista evidencia o quanto seu processo de desenvolvimento é constante. Aos poucos eles vão ficando menos frequentes e é possível ver um tipo de escrita de complexidade avançada, a ponto de o próprio leitor não entender alguns diálogos científicos mais específicos. O emprego de metalinguística nesse livro é uma brilhante estratégia do autor para nos conectar com o personagem.

O desenvolvimento de Charlie é exponencial, no entanto, o emocional não consegue acompanhar seu intelecto. Cada dia mais inteligente e mais ciente do mundo ao seu redor, o homem com maturidade de criança se vê pela primeira vez tendo a compreensão do mundo como ele é: cruel, mesquinho, injusto. Toda a pureza, alegria e a ignorância que Charlie Gordon trazia consigo desaparecem e o conhecimento se torna um fardo, destruindo-o de dentro para fora.

Flores para Algernon é um livro sobre como as pessoas podem ser ruins e sobre como elas também podem ser boas sem que nunca saibamos. Inteligência não é grande coisa sem um bom coração e talvez ambos não possam coexistir num mundo tão injusto e cruel como o que vivemos. Talvez no futuro seja possível fazer alguém ficar mais inteligente, mas o que o mundo mais precisa são pessoas boas.

Sinopse: Aos 32 anos, Charlie trabalha na padaria Donners, ganha 11 dólares por semana e tem 68 de QI. Porém, uma cirurgia revolucionária promete aumentar a sua inteligência, considerada gravemente baixa. O problema? Enxergar o mundo com outros olhos e mente pode trazer sacrifícios para a sua própria realidade. E resta saber se Charlie Gordon está disposto a fazê-los.

outubro 21, 2020

[Livros] O Ceifador - Neal Shusterman (Scythe #1)

Título Original
: Scythe
Autor: Neal Shusterman
Editora: Seguinte
Páginas: 448
Gênero: Distopia, Ficção
País: EUA
ISBN: 9788555340352
Classificação: ★★
_______________

Uma das melhores distopias que li nos últimos tempos, O Ceifador é o primeiro volume de uma trilogia genial de Neal Shusterman que nos faz questionar o futuro da humanidade - ou da falta dela. Em uma crítica sagaz e muito atual, o autor expõe os riscos dar ao ser humano poder. Seríamos justos a ponto de merecer determinar quem vive e quem morre? Seria a morte justa de alguma forma?

No futuro os seres humanos se tornaram imortais. A tecnologia evoluiu a ponto de tornar o mundo um lugar verdadeiramente justo, onde há um equilíbrio e as decisões são todas tomadas pela suprema inteligência artificial: a Nimbo-Cúmulo. Uma versão aprimorada da Nuvem, essa inteligência se tornou uma espécie de deus, solucionando todos os problemas que os humanos possam ter com sabedoria e imparcialidade. Em apenas um assunto ela não pode interferir: o poder dos ceifadores.

Com a imortalidade vem um já conhecido problema: a superpopulação. Para manter o equilíbrio, decide-se então que um determinado número de pessoas deve ser morto, ou melhor coletado. Os seres humanos designados para coletar as pessoas: escolhê-las e executá-las são os chamados ceifadores. Alguns os veem como celebridades, até mesmo deuses por decidirem quem vive e quem morre.

A forma como os ceifadores trabalham só diz respeito aos próprios e, por isso, a Nimbo-Cúmulo só observa suas escolhas e métodos sem nunca intervir. Parece uma forma de punição que a tecnologia não se envolva completamente, como que para mostrar ser superiora e necessária, evidenciando que o ser humano por conta própria é corrupto e corruptível. A Nimbo-Cúmulo se assemelha à ideia de um deus que vem ao auxílio dos seus filhos, porém não pode evitar a morte deles.

A trama nos apresenta Citra e Rowan, dois jovens que são recrutados pelo ceifador Faraday para um treinamento que os levará a ser como ele. Justamente por abominarem a ideia de matar, eles são vistos como dignos de tal poder e, apesar de reticentes, decidem aceitar o mentor. O que eles encontram durante seu treinamento é a cruel realidade da Ceifa sendo corrompida pela ganância e pelo sadismo de muitos ceifadores. A morte, antes necessária para um equilíbrio da existência, se tornando uma forma de "purificar" a humanidade.

Com muitos questionamentos pertinentes como a evolução e a interferência da inteligência artificial no futuro, a corrupção moral sempre presente e a dificuldade de definir o conceito de justiça, O Ceifador é mais do que uma distopia YA, uma crítica ferrenha ao que nos espera num futuro já não mais tão distante. Talvez não nos tornemos imortais, mas definitivamente precisamos tomar cuidado com o poder nas mãos de falsos deuses, sejam eles políticos, religiosos ou apenas lunáticos.

Sinopse: Primeiro mandamento: matarás. A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria... Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade.

Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador - papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a arte da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais, podem colocar a própria vida em risco.

outubro 04, 2020

[Livros] JIB - Fabricio Bessat

Título Original
: JIB
Autor: Fabricio Bessat
Editora: Killa
Páginas: 791
Gênero: Aventura, Ficção, Romance Policial
País: Brasil
ISBN: B089JYJCZL
Classificação: ★★
_______________

Uma aventura instigante, JIB é um romance policial que vai te prender do início ao fim. A história é interessante, repleta de reviravoltas e com um cenário bastante familiar: o Brasil. Um grupo de jovens justiceiros é convocado para defender seu país de um bando de criminosos enquanto lidam com os próprios problemas da transição para a vida adulta.

A narrativa de Fabricio Bessat é bastante detalhista, há uma ambientação extensa e, por conta disso, os primeiros capítulos podem parecer um pouco cansativos ou confusos. No entanto, depois de apresentados os protagonistas e suas tramas paralelas, o livro flui e é impossível parar de ler até o desfecho. Aliás, o final é um show a parte. O autor honra suas referências e as cenas de luta nos remetem ao clássicos filmes de luta dos anos 80.

Acompanhamos um grupo de amigos que recebe um chamado inesperado de uma organização secreta denominada JIB. Sua função é identificar e neutralizar alvos perigosos que fazem parte da quadrilha Viúva Negra. Recrutados e devidamente treinados, esses jovens iniciam uma verdadeira caçada aos criminosos e mostram que apesar de inexperientes podem ser muito eficientes.

O livro contém algumas cenas eróticas que fazem com que ele não seja indicado para menores de 18 anos, porém, sua temática como um todo seria ideal para um público mais jovem que se interesse por aventura e mistério. Foi uma leitura bastante agradável apesar de não ser o meu tipo de história.

Alguns problemas na narrativa fizeram com que eu não conseguisse, de fato, me conectar a nenhum dos seus muitos protagonistas. O autor opta pelo desenvolvimento de todos os personagens e, assim, criar uma identificação com eles se torna difícil. As descrições físicas dos personagens me incomodaram bastante, algumas por serem estereotipadas, outras por serem excessivas. Como um todo o grupo é instigante, individualmente, nem tanto.

JIB é aquela leitura certeira para os fãs de videogame, artes marciais e aventura. Fabricio Bessat nos entrega um conjunto de referências que todo nerd vai entender. Além disso, a playlist que acompanha o livro é excelente. A eclética seleção musical do autor tem conexão com cenas específicas, tornando a experiência do leitor ainda mais sensorial. Você vai se sentir dentro de um filme de ação, esteja preparado para lutar.

Sinopse: A teia da máfia Viúva Negra estende-se sobre o Brasil. Em uma universidade localizada na cidade de São Paulo, uma organização secreta aparece para recrutar novos agentes à sua causa. Seu dever: Limpar o país dos criminosos que espreitam nos bastidores da civilização. Com os novos agentes infiltrados nesta aventura urbana, uma série de conflitos se desdobrará, colocando em risco não apenas suas vidas, como também das pessoas que amam.

Dos terraços dos prédios de São Paulo às Selvas do Amazonas, os lutadores passarão por conflitos internos, romances e perigos a todo instante, sempre com um fundo de referências retrô e muitas artes marciais. Serão eles capazes de desentrelaçar a teia da Aranha antes que ela os devorem?

setembro 17, 2020

[Livros] As Regras do Amor e da Magia - Alice Hoffman

Título Original
: The Rules Of Magic
Autor: Alice Hoffman
Editora: Jangada
Páginas: 368
Gênero: Ficção, Romance
País: EUA
ISBN: 9788555391286
Classificação: ★★
_______________

Prequel do encantador Da Magia à Sedução, livro que originou o filme mais idolatrado da minha infância, As Regras do Amor e da Magia é tão apaixonante quanto um feitiço de amor feito sob a lua cheia e me prendeu por noites a fio pensando nessa história. O mundo místico me fascina desde sempre e poder mergulhar em uma narrativa tão bem escrita foi literalmente mágico.

No romance de Alice Hoffman conhecemos os irmãos Owens, três jovens descendentes de bruxos que foram criados ocultando seu poder. Seus pais tentaram protegê-los de tudo o que viria com a bruxaria, no entanto, Susanna, Franny e Vincent acabaram atendendo ao seu chamado místico. Desde cedo, eles foram ensinados a seguir regras para evitar que a morte os encontrasse e a principal delas era nunca se apaixonar.

Em Da Magia à Sedução, filme de 1998 estrelado por Nicole Kidman e Sandra Bullock, descobrimos que uma maldição assola todos que ousam se apaixonar pela família Owens. Não importa o quanto fujam do seu destino, a morte sempre encontra aqueles que eles amam. Nesse prequel, conhecemos mais sobre a origem da maldição e como ela pode ser devastadora ao tirar de um bruxo seu amor verdadeiro.

É trágico que o amor possa ser uma maldição e, em alguns momentos, percebemos que ainda que muitos de nós não a carreguem no seu destino, estamos também fadados a sofrer com esse sentimento que está tão fora do nosso controle. O desespero daqueles que perdem seus amados para a morte ou para a vida é igualmente desolador. Quando mulheres desesperadas batem à porta das bruxas pedindo por um feitiço que traga seu amor de volta ou um consolo para sua dor, elas com pena atendem, lamentando o quão triste é que o amor nos faça tão mal.

Enquanto lutam contra o destino para tentarem ser felizes, os irmãos descobrem que talvez a vida tenha outros planos para cada um deles e ainda que tenham tanto poder, sempre há algo maior do que nós e que não podemos controlar. É uma leitura bonita, triste e encantadora que ficará para sempre no coração dessa bruxinha que lê a sorte nas cartas. Às vezes precisamos nos afastar para proteger quem amamos. Eu também amo alguém que não posso ter e peço todas as noites que o Universo o guarde em segurança, ainda que longe de mim.

Sinopse: Em 1620, depois de ser acusada de bruxaria por amar um inquisidor, Maria Owens lança uma maldição em todas as gerações de mulheres de sua família: qualquer homem que se apaixonasse por elas estaria condenado à morte. Mais de trezentos anos depois, Susanna Owens mora na cidade de Nova York, com os três filhos adolescentes - a temperamental Franny, a doce Jet e o carismático Vincent -, e faz de tudo para protegê-los, escondendo o passado da família e criando algumas regras: é proibido andar ao luar, usar o tabuleiro Ouija, acender velas, criar gatos e corvos ou ler livros de magia. E o mais importante: é proibido se apaixonar! 

Mas não demora muito para que os irmãos comecem a descobrir seus poderes sobrenaturais e, junto com eles, os segredos e a maldição que assombra sua família. Agora, precisam buscar uma forma de violar as leis da magia sem sucumbir à maldição de Maria Owens. As Regras do Amor e da Magia é uma história que antecede o clássico cult Da Magia à Sedução, resgatando a história da família Owens e personagens já conhecidos. Um livro sobre magia, coragem e o desafio de aceitar a si mesmo para viver o verdadeiro amor.

EditoraJangada|Skoob

setembro 07, 2020

[Livros] Estrelas de Lata - Jeff Lemire & Dustin Nguyen (Descender #1)

Título Original
: Descender - Tin Stars
Autor: Jeff Lemire & Dustin Nguyen
Editora: Intrínseca
Páginas: 144
Gênero: Graphic Novel, Ficção Científica
País: EUA
ISBN: 9788551005781
Classificação: ★★
_______________

Uma das melhores graphic novels que li nos últimos tempos, Estrelas de Lata, primeiro volume da série Descender, é simplesmente impecável. Desde o roteiro da lenda dos quadrinhos Jeff Lemire até o traço expressivo de Dustin Nguyen, essa primeira edição chamou minha atenção e se provou uma obra de arte completa.

A trama conta a história de um futuro muito distante em que outros planetas são habitados por seres diversos, dentre eles humanos, robôs e alienígenas. Descobrimos de início que um evento exterminou grande parte da população da galáxia, porém nenhum robô foi dizimado. O que fez com que os sobreviventes se rebelassem contra toda a tecnologia robótica culpando-a pelo extermínio.

Enquanto vamos tentando descobrir o que aconteceu, somos apresentados ao jovem Tim-21, um robô-adolescente que passou os últimos dez anos em hibernação. Ao acordar, ele descobre que todos que conhecia estão mortos e, ainda que seja um robô, o jovem desenvolveu sentimentos por sua família humana. As cenas de flashbacks de Tim-21 com sua "mãe" são tão tristes quanto as do filme Inteligência Artificial de 2001 e me emocionaram de verdade.

Ao fazer backup de seus dados e buscar ajuda, Tim-21 acaba fornecendo sua localização e se torna um alvo para aqueles que buscam explicações e conexões entre os robôs e o evento de extermínio. Algo em sua configuração o liga aos robôs que causaram toda a destruição anos atrás e esse mistério é o que será trabalhado no decorrer da trama.

Além disso, o clima tenso de incertezas sobre o futuro e os conflitos políticos tornam a história dessa graphic novel ainda mais interessante. Apesar desses temas serem apenas pincelados na introdução da série, Jeff Lemire nos faz pensar sobre a sociedade futura que conquistou as estrelas e domina a tecnologia. Tudo aquilo que o ser humano crê dominar, na verdade, eventualmente se mostra incontrolável.

Sinopse: A parceria entre os conceituados Jeff Lemire e Dustin Nguyen, dois dos nomes mais célebres dos quadrinhos, resultou em uma graphic novel incomparável, uma odisseia cósmica eletrizante e soturna que trata de temas complexos, como intolerância, medo, política e a relação muitas vezes conflituosa entre humanos e tecnologia.

O primeiro volume, Descender: Estrelas de lata, reúne os fascículos 1 a 6 da série e nos apresenta a uma realidade desconcertante: robôs gigantes conhecidos como Ceifadores invadiram a galáxia e destruíram planetas e civilizações inteiras, criando nos que restaram uma aversão às máquinas. Desde então, foram implementadas políticas de perseguição e extermínio de robôs.

Essa caça implacável põe em risco a vida de Tim-21, um jovem androide de aparência humana que passou uma década num sono profundo, mas que pode conter em seu código vestígios dos assassinos do passado, o que faz dele o ser mais procurado do universo. Por isso, só resta a Tim-21 fugir. Ao lado dos amigos Bandit e Perfurador, ele percorre planetas e galáxias, desviando de inimagináveis perigos com um único objetivo: sobreviver.

Dos vencedores do Eisner Awards, este épico arrebatador e comovente, de cores intensas e vibrantes, narra a trajetória de humanos e máquinas, que ficam frente a frente em uma guerra que traz uma única certeza: não haverá vencedores. Uma história tão impactante que, antes mesmo de ser publicada nos Estados Unidos, teve os direitos de adaptação para o cinema adquiridos pela Sony Pictures.

agosto 23, 2020

[Livros] Daqui A Cinco Anos - Rebecca Serle

Título Original
: In Five Years
Autor: Rebecca Serle
Editora: Paralela
Páginas: 291
Gênero: Romance, Ficção
País: EUA
ISBN: B08B6DCHS3
Classificação: ★★
_______________

Uma verdadeira história de amor, Daqui a Cinco Anos nos mostra que a amizade pode ser o nosso mais valioso relacionamento. Em um romance clichê porém emocionante, Rebecca Serle nos convida a pensar sobre as coisas que fazemos por amor. Todos os tipos dele.

Amigas desde sempre, Dannie e Bella tem aquela típica amizade em que uma é o oposto da outra e, por isso, se complementam. Enquanto Dannie é completamente responsável, workaholic e tem toda a sua vida planejada, Bella é irresponsável, inconstante, está sempre pronta para se divertir. Apesar dos evidentes conflitos que essas diferenças podem gerar, cada uma delas está sempre pronta para ser o suporte da outra.

Tudo começa quando Dannie tem um sonho vívido e bastante perturbador. No sonho ela vive uma vida completamente diferente da sua, num outro apartamento e com um homem completamente diferente do seu namorado atual. O que parece loucura já que sua vida toda parece ter sido planejada e ela tem certeza de que vai se casar com o homem que ama. Mas a possibilidade de viver algo tão diferente começa a fazer questionar suas atuais escolhas.

O que mais a deixou impressionada no sonho foi o homem com que ela estava no futuro. Ele a fazia sentir algo que Dannie nunca sentiu antes e por mais que ela tentasse esquecer, sempre lembrava do que havia vivido no sonho. O que ela nunca poderia imaginar é que esse misterioso homem do futuro viria a ser justamente o novo namorado da sua melhor amiga.

Enquanto tenta controlar suas emoções e lidar com o fato de que ela não pode ter o homem dos seus sonhos, a protagonista passa a questionar a real importância da amizade de Bella. Nenhum homem poderia ser mais importante que a amiga que te protegeu durante toda a vida. Mas como lutar contra o destino que parece ter selado o futuro dos três?

Eu confesso que previ o final desde o primeiro momento por já ter visto essa trama algumas vezes mas, ainda assim, consegui me emocionar com o final. Alguns momentos foram marcantes e a amizade das duas garotas é o ponto alto desse livro, ainda que a personalidade de ambas seja intragável. É difícil simpatizar com Dannie ou Bella e isso afetou um pouco minha experiência de leitura, eu não consegui me conectar com nenhuma das duas. Daqui a Cinco Anos fala sobre as nossas escolhas e também sobre o que a vida escolhe para nós. É impossível saber o que vai acontecer daqui a cinco anos, mas podemos fazer o melhor com o agora.

Sinopse: Onde você se vê daqui a cinco anos? Dannie Kohan sabe exatamente o futuro que deseja e o que deve fazer para conquistá-lo. Depois de arrasar na entrevista para seu emprego dos sonhos em um dos maiores escritórios de advocacia de Nova York e de ser pedida em casamento pelo namorado, ela vai dormir com a certeza de que está no caminho certo para realizar todos os seus planos.Quando acorda, entretanto, ela está em um apartamento diferente, com outro anel de noivado no dedo e um homem que nunca viu antes ao seu lado. A televisão mostra que é a mesma noite — 15 de dezembro —, mas cinco anos no futuro.

Depois de uma hora intensa e chocante nesse cenário, Dannie acorda de novo, de volta ao presente, como se nada tivesse acontecido. Profundamente abalada e sem entender o que houve, ela decide acreditar que foi apenas um sonho, por mais realista que tenha sido. E parece funcionar. Isto é, até quatro anos e meio depois, quando Dannie encontra o homem que viu naquela noite inusitada. Ao mesmo tempo divertida e emocionante, Daqui a cinco anos é uma história sobre lealdade, amor, amizade e a natureza imprevisível do futuro.

agosto 17, 2020

[Livros] O Oráculo da Lua Vermelha - Miranda Gray

Título Original
: O Oráculo da Lua Vermelha
Autor: Miranda Gray
Editora: Pensamento
Páginas: 88
Gênero: Oráculos, Autoconhecimento
País: EUA
ISBN9786587236049
Classificação: ★★
_______________

Uma bela leitura para autoconhecimento e empoderamento feminino, O Oráculo da Lua Vermelha traz um conjunto de cartas que vai nos ensinar a enxergar as conexões entre os ciclos que existem em nossa vida. O ciclo da lua, o ciclo menstrual e o ciclo da vida estão interligados e exercem influência um no outro. Cada fase da nossa vida traz um aprendizado e Miranda Gray nos convida a desvendá-los.

Tanto o livro quanto as cartas são lindamente ilustrados e trazem imagens intuitivas que conversam com os quatro arquétipos da Deusa: a donzela, a feiticeira, a mãe e a anciã. Nossa evolução depende de compreender ao máximo cada uma dessas nossas fases e a força que nos rege nesse período. Cada momento da nossa vida traz desafios e experiências que seriam muito mais interessantes se pudéssemos extrair o conhecimento que vem delas.

Miranda Gray deixa diversas sugestões de leitura das cartas, bem como textos para que possamos decodificá-las em nossa própria vida. Minhas cartas favoritas são as da feiticeira, justamente por me sentir em contato com essa energia nesse ponto da minha vida. Minha conexão com o misticismo me levou a me conectar com o meu próprio ser e essa leitura me encontrou justamente no momento em que eu buscava entender essa conexão.

Nós, mulheres, fomos - e ainda somos - vistas como bruxas, pecadoras, prostitutas, entre outras coisas vistas como negativas, apenas por tentarmos compreender quem somos. A sabedoria e a liberdade que tanto buscamos cobra seu preço numa sociedade que ainda nos julga e nos condena, mas temos muito poder dentro de nós para mudar tudo a nossa volta e o primeiro passo é descobrir a nossa força.

Sinopse: A Deusa Cíclica é a origem do nosso ser. Com seu fluxo mutável de energias, dançamos sob as fases da Lua, sentimos as transformações da Terra, de nossa natureza adaptável, da vida e dos quatro arquétipos da Deusa. Por meio deste oráculo, Ela lhe trará orientação e sabedoria, ligando-a aos seus quatro aspectos, que representam as etapas do ciclo menstrual, para que você perceba o poder e a beleza espiritual de ser mulher, e partilhe esses dons com o mundo, criando mais paz, amor e criatividade ao seu redor. As cartas exploram as profundas energias da Deusa, que ofertam cura, perfeição e empoderamento. Um livro com instruções para você equilibrar seu ciclo e se conectar com o poder das quatro faces da Deusa: a Donzela, a Mãe, a Feiticeira e a Anciã.

EditoraPensamento|Skoob

agosto 04, 2020

[Livros] O Lobo no Espelho - Leonardo P. Colle

Título Original: O Lobo no Espelho
Autor: Leonardo P. Colle
Editora: Êxito
Páginas: 160
Gênero: Contos, Terror
País: Brasil
ISBN: 8565864367
Classificação: ★★
_______________

Uma coletânea de contos de terror, O Lobo no Espelho não só me intrigou como também me surpreendeu. Cada texto escrito por Leonardo Colle traz uma história impactante e um final arrebatador que me deixaram de queixo caído. As reviravoltas presentes no desfecho de cada uma delas vão te fazer duvidar do que acabou de ler.

Meus contos favoritos foram, sem dúvidas, O Artesão e O Lobo no Espelho. Nos deparamos com questionamentos sobre o quanto a nossa percepção pode nos enganar. Nem sempre o que vemos é o que está lá e o autor é mestre em fazer esse jogo de espelhos para que sejamos surpreendidos. Gostaria de poder falar mais sobre cada um dos contos, mas não quero estragar a experiência de leitura de vocês.

Os personagens criados pelo autor são tão perturbados quanto perturbadores e a estranheza que eles causam é o que dá o tom sombrio do livro. Não é uma coletânea que causa medo, é uma coletânea que traz um sentimento desconfortável de que talvez não devamos confiar tanto no que vemos. E se nossa percepção é o que define o mundo ao nosso redor, talvez devêssemos ficar mais atentos.

A edição da Êxito é bem simples, porém, bonita e com uma diagramação agradável repleta de ilustrações do próprio autor, complementa a atmosfera que seus textos nos transmitem. Cada palavra cuidadosamente escrita por Leonardo está lá para nos provocar, nos questionar, nos desafiar e nos fazer olhar no espelho.

Sinopse: O que o espelho te mostra? Em contos sombrios, Leonardo Pasqual Colle explora os medos e propõe encontros com alguns dos mais assustadores aspectos da vida humana. Pergunte a si mesmo até onde você iria pelo poder e qual seria a sua decisão diante das situações enfrentadas pelos personagens.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...