agosto 04, 2020

[Livros] O Lobo no Espelho - Leonardo P. Colle

Título Original: O Lobo no Espelho
Autor: Leonardo P. Colle
Editora: Êxito
Páginas: 160
Gênero: Contos, Terror
País: Brasil
ISBN: 8565864367
Classificação: ★★
_______________

Uma coletânea de contos de terror, O Lobo no Espelho não só me intrigou como também me surpreendeu. Cada texto escrito por Leonardo Colle traz uma história impactante e um final arrebatador que me deixaram de queixo caído. As reviravoltas presentes no desfecho de cada uma delas vão te fazer duvidar do que acabou de ler.

Meus contos favoritos foram, sem dúvidas, O Artesão e O Lobo no Espelho. Nos deparamos com questionamentos sobre o quanto a nossa percepção pode nos enganar. Nem sempre o que vemos é o que está lá e o autor é mestre em fazer esse jogo de espelhos para que sejamos surpreendidos. Gostaria de poder falar mais sobre cada um dos contos, mas não quero estragar a experiência de leitura de vocês.

Os personagens criados pelo autor são tão perturbados quanto perturbadores e a estranheza que eles causam é o que dá o tom sombrio do livro. Não é uma coletânea que causa medo, é uma coletânea que traz um sentimento desconfortável de que talvez não devamos confiar tanto no que vemos. E se nossa percepção é o que define o mundo ao nosso redor, talvez devêssemos ficar mais atentos.

A edição da Êxito é bem simples, porém, bonita e com uma diagramação agradável repleta de ilustrações do próprio autor, complementa a atmosfera que seus textos nos transmitem. Cada palavra cuidadosamente escrita por Leonardo está lá para nos provocar, nos questionar, nos desafiar e nos fazer olhar no espelho.

Sinopse: O que o espelho te mostra? Em contos sombrios, Leonardo Pasqual Colle explora os medos e propõe encontros com alguns dos mais assustadores aspectos da vida humana. Pergunte a si mesmo até onde você iria pelo poder e qual seria a sua decisão diante das situações enfrentadas pelos personagens.

julho 26, 2020

[Livros] Recursão - Blake Crouch

Título Original: Recursion
Autor: Blake Crouch
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Gênero: Ficção Científica
País: EUA
ISBN: 9788551005378
Classificação: ★★
_______________

Mais uma excelente história de Blake Crouch, Recursão é o tipo de leitura que vai te enlouquecer. A narrativa do autor nos faz questionar o quanto nossas memórias podem ser confiáveis. Uma vez que nossa percepção de tempo se dá por meio delas, seria possível reescrever nossas lembranças e, assim, voltar no tempo explorando as possibilidades que deixamos para trás.

Ao contrário do primeiro livro do autor, Matéria Escura, - que aborda uma teoria quântica chamada multiverso -, Recursão trabalha com a existência de apenas uma linha temporal. Os acontecimentos e decisões que tomamos então anulam outras realidades e nosso caminho se reescreve cada vez que fazemos uma escolha.

Sendo assim, cada memória delimita um lugar no tempo e a possibilidade de acessar essas memórias nos levaria de volta aquele momento. Quando nos damos conta de que estamos vivendo algo, na verdade, aquele momento já aconteceu, já é passado. O tempo é, portanto, um conceito relativo e pode ser alterado junto com a nossa percepção.

Em Recursão, nps vemos num mundo em que as pessoas estão sendo assoladas por uma síndrome chamada SFM - síndrome da falsa memória. Essa doença, aparentemente contagiosa, faz com que muitas pessoas se lembrem de coisas que nunca aconteceram e fiquem sobrecarregadas de memórias reais e falsas. Isso leva muitas pessoas a se suicidarem por não saberem quem são ou o que é real.

Acompanhando duas histórias diferentes, vamos aos poucos entendendo que escolhas feitas no passado estão gerando consequências desastrosas para o presente e quanto mais os protagonistas tentam consertar as coisas, mais afetam o espaço-tempo. É o inevitável efeito-borboleta.

O desfecho, apesar de algumas falhas científicas e uma certa previsibilidade não afetou nem um pouco minha experiência de leitura. Assim como em Matéria Escura, Blake Crouch construiu uma trama tão incrível e genial que compensa não ter um final à altura da ideia. Talvez Blake também tenha tentado reescrever o final vezes demais e percebeu que algumas coisas simplesmente não podem ser mudadas. Eu poderia ter seguido milhões de outros caminhos e me tornado muitas outras pessoas que não a que sou hoje. Que bom que esse livro me encontrou justamente nessa existência, nesse momento e eu pude me encantar por ele.

Sinopse: E se um dia memórias vívidas de coisas que nunca aconteceram se infiltrassem em sua mente, pintando em tons de cinza todas as suas certezas? É dessa premissa que Blake Crouch parte em Recursão, uma obra tão impactante que teve os direitos de adaptação audiovisual adquiridos pela Netflix, que produzirá um filme e uma série baseados no livro, ambos a cargo de Shonda Rhimes.

Barry Sutton é policial em Nova York e convive com a tristeza da morte da filha. Ao ser acionado para intervir em uma tentativa de suicídio, ele se depara com uma mulher que sofre da Síndrome da Falsa Memória, uma doença misteriosa que planta na cabeça de suas vítimas lembranças de vidas que elas nunca tiveram.

A neurocientista Helena Smith está desenvolvendo uma tecnologia para a cura do Alzheimer. Inesperadamente, um dos homens mais ricos do mundo se oferece para financiar sua pesquisa. Helena vê surgir a chance de propiciar um grande bem para a humanidade. No entanto, não poderia estar mais enganada.

A tecnologia que deveria salvar vidas acelera a marcha galopante do caos, gerando uma guerra pelo poder e criando recursos que começam a esfacelar a realidade. O tempo não é mais como o conhecemos, e Barry e Helena terão de se unir se quiserem sobreviver — e salvar a todos nós.

Um dos nomes mais importantes da ficção científica contemporânea, Blake Crouch constrói uma jornada desnorteante, com personagens complexos, que nos fazem refletir sobre nossa identidade. Uma trama intrincada, ágil e emocionante, que mostra que, quando nada é mais importante do que a memória, perdê-la significa perder a si mesmo.


julho 13, 2020

[Livros] Memória da Água - Emmi Itäranta

Título Original: Memory Of Water
Autor: Emmi Itäranta
Editora: Galera Record
Páginas: 288
Gênero: Ficção, Distopia
País: Finlândia
ISBN: 9788501103116
Classificação: ★★
_______________

Uma das melhores leituras que fiz esse ano, a história de Memória da Água vai ecoar na minha memória por um bom tempo. Uma distopia que se aproxima cada dia mais da realidade, este é o tipo de livro que assusta por sua temática - um futuro onde a água é escassa - e encanta pela forma como Emmi Itäranta a transmite.

A narrativa, quase poética, transborda sensibilidade e a água - elemento principal, protagonista e razão dessa história - está presente em cada ponto da escrita da autora. É uma homenagem, um aviso, um apelo, um grito de socorro. A água está acabando e com ela a vida.

O ciclo da vida está diretamente ligado à água e, por isso, estamos aqui. Ainda temos o privilégio de usufruir de tudo que a natureza nos dá, mas ainda assim, os desperdiçamos sem nos importar com as gerações futuras. O mal uso dos recursos naturais trará consequências que nós não iremos sentir, estamos cientes disso e pouco fazemos.

Após muitas guerras e a dominação da Europa pela China, a liberdade e a água se tornaram bens raros. A protagonista Noria é filha de um respeitado mestre do chá. Ela recebe a função de perpetuar as tradições de sua família e, portanto, estuda a sagrada cerimônia para um dia substituir seu pai. Ele a treina para honrar seu posto e guardar um precioso segredo de família.

Os habitantes do vilarejo estão aos poucos morrendo de sede. Com cotas de água cada vez mais restritas e o governo punindo aqueles que ousam obter água ilegalmente, muitas pessoas adoecem, padecem e sofrem no que restou de um mundo pós-guerra. As doenças causadas principalmente pela falta de higiene e saneamento se multiplicam e há pouco que se possa fazer além de esperar pela chuva, por um milagre ou pela morte.

O segredo que Noria precisa esconder é uma nascente embaixo das colinas. Seus ancestrais guardam essa informação há séculos e fizeram uso da água para manter viva a casa de chá e suas tradições. Ainda que o restante do vilarejo receba dois cantis de água por dia para sobreviver, compartilhar a água com o povo faria com que a fonte - como todas as outras - fosse confiscada pelo governo e, assim, ninguém mais teria direito a ela.

A falta de água, que nunca afetou sua família mas assombra o vilarejo, passa a sufocá-la. O que ela esconde poderia melhorar a vida das outras pessoas mas também condenar ela e sua família a morte. As escolhas feitas no passado parecem ter decidido por ela. Em um mundo de detritos, poeira e restos, há alternativa ou esperança? Talvez ainda seja possível escrever um final para a história do nosso mundo. No futuro, pessoas podem não durar tanto quanto os plásticos que hoje descartamos.

Sinopse: Num futuro distante, depois de muitas guerras, a Europa foi dominada pela China, e o bem mais precioso dos tempos antigos se tornou tão escasso quanto a liberdade. A água passou a ser controlada e distribuída em cotas pelos militares. Noria é filha de um mestre do chá, uma profissão muito antiga que tem conhecimento sobre a localização das nascentes de água.

Ela está sendo treinada para substituir o pai, e dentre todos os ensinamentos, ele revela à filha seu maior segredo: uma fonte natural escondida que fornece água para a família. Desamparada em um mundo destruído, ela começa a questionar o significado de tamanho privilégio. Guardar esse segredo é negar ajuda ao restante de população, e ajudá-los é colocar em risco a própria vida: os militares punem severamente quem for descoberto desfrutando de alguma fonte ilegal de água.

Como o pai a ensinou, é preciso ter sabedoria para compreender o verdadeiro poder da água. Mas Noria também aprendeu que a sabedoria representa, acima de tudo, o poder de decidir seu próprio destino, a escolha entre lutar e se entregar.

julho 11, 2020

[Livros] Os Signos do Zodíaco - Carolyne Faulkner

Título Original: Os Signos do Zodíaco
Autor: Carolyne Faulkner
Editora: Pensamento
Páginas: 312
Gênero: Astrologia
País: Brasil
ISBN: 9788531521126
Classificação: ★★
_______________

Um guia para entender a conexão entre as estrelas e a nossa personalidade, Os Signos do Zodíaco é uma daqueles livros que ganham um lugar especial nas nossas vidas e aos quais recorremos quando estamos perdidos. O que não se explica é algo que me fascina. Estudar a influência dos astros na minha jornada fez com que eu me conhecesse melhor e pudesse aceitar a minha missão de alma.

A astrologia nos apresenta um mundo incrível de possibilidades e explicações para comportamentos e tendências que nós não conseguimos compreender. O essencial para buscar ser alguém melhor é conhecer nossos pontos de luz e sombras e o mapa astrológico pode nos indicar esse caminho. Com o livro de Carolyne Faulkner é possível descobrir mais sobre nosso signo solar e as características que geralmente os acompanham, além de aprender a ler o mapa astral para uma análise mais completa.

A edição belíssima em capa dura com detalhes em foil dourado é belíssima e traz ao leitor a impressão de ter em suas mãos um pedaço do céu. Acredite você no poder dos signos ou não, como eu sempre digo, todo livro traz uma bela história, vai do leitor decidir se é ficção ou não. O estudo da astrologia nos faz perceber o quão pequenos nós somos em relação ao todo. Somos feitos de poeira estelar e é para onde iremos ao partir dessa existência. Há tão pouco que se explica, todo o resto é um segredo escondido nas estrelas.

Sinopse: Em Os Signos do Zodíaco, a astróloga e coach Carolyne Faulkner revela como a antiga sabedoria dos astros pode nos ajudar a aproveitar a vida ao máximo. Seu método, denominado “Astrologia Dinâmica”, consiste em descobrir as boas e más qualidades associadas ao nosso mapa astral e em usar esse conhecimento para fundamentar nossas decisões e relacionamentos. Fácil de aplicar, este manual de astrologia prática ajuda a melhorar nossa saúde emocional, espiritual e física e a aumentar o bem-estar geral.

junho 07, 2020

[Livros] Os Astros Guiam Seu Destino - André Mantovanni

Título Original: Os Astros Guiam Seu Destino
Autor: André Mantovanni
Editora: Pensamento
Páginas: 296
Gênero: Astrologia
País: Brasil
ISBN: 9788531521270
Classificação: ★★
_______________

Os Astros Guiam Seu Destino é uma leitura rica, repleta de significado e que traz a compreensão de muitos aspectos da nossa personalidade baseando-se no verdadeiro início da nossa jornada. André Mantovanni explica o papel do mapa astral na nossa vida e a influência dos astros nessa nossa existência. Poeira das estrelas, somos parte do Universo e ele é parte de nós, compreendendo isso, é fácil perceber como estamos conectados com tudo ao nosso redor e acima de nós.

O mapa astral é um retrato do céu no momento do nosso nascimento e que serve, como o próprio nome diz, para nos guiar durante essa vida. A energia e influência de cada planeta pode determinar aspectos específicos da nossa personalidade, forma de agir e compreender o mundo. É mais do que a leitura do horóscopo diário, uma análise profunda de cada um de nós.

Em cada capítulo, o autor nos apresenta detalhes sobre a leitura de cada elemento presente no mapa astral e nos ensina a interpretá-los para aproveitar de cada qualidade e buscar neutralizar nossos defeitos. Pequenos pontos da nossa personalidade podem ser trabalhados quando percebidos e estudados, fazendo com que nos conheçamos melhor e nos alinhando mais ao nosso propósito de vida.

Crenças a parte, o estudo dos astros e sua influência sobre a vida humana faz parte da história humana e ainda que você seja cético a respeito do assunto, procure conhecer os aspectos da sua personalidade indicados pela leitura dos astros. Talvez você se surpreenda com o quanto o Universo te conhece. E se ao final de tudo, ainda não lhe fizer sentido, tudo bem, é uma boa história sobre os astros, as pessoas e as conexões que não podemos compreender.

Sinopse: Neste livro, você poderá, com base no seu mapa astral, entrar em contato com um projeto de alma que foi escrito no céu no exato momento de seu nascimento e, ao desvendá-lo, ter consciência de suas potencialidades mais luminosas, conhecer os grandes desafios a serem superados e encontrar um sentido maior para sua existência. Os Astros Guiam seu Destino é um manual prático, claro, profundo e objetivo para quem quer compreender o verdadeiro propósito da vida, para ser mais feliz e realizado.

O destino dos astros é guiar nossa mente e coração para realizarmos mais, termos bons relacionamentos, compreendermos melhor os conflitos e cumprirmos nossa tarefa diária para nos tornarmos uma versão melhor de nós mesmos. As experiências que moldam a jornada de cada um também estão escritas no Livro da Vida, e a Astrologia reafirma essa dádiva nos dando ferramentas importantes para fazermos nossas escolhas, tornando o mapa natal um guia de autoconhecimento para todas as etapas de nossa existência.

maio 20, 2020

[Livros] Deuses Americanos - Neil Gaiman

Título Original: American Gods
Autor: Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Páginas: 576
Gênero: Fantasia, Mitologia
País: EUA
ISBN: 9788551000724
Classificação: ★★
_______________

Mais que uma fantasia brilhante, Deuses Americanos é uma análise e uma homenagem de Neil Gaiman aos Estados Unidos e ao seu processo de formação. Literatura rica e cheia de referências, é um livro denso, repleto de metáforas e personagens que representam deuses de antigas religiões, é, portanto, importante conhecê-los para compreender a obra por completo.

A trama, que se passa nos tempos atuais, mostra como "sobrevivem" os deuses da antiguidade nos Estados Unidos. Deuses esses que foram levados por imigrantes, escravos e colonizadores e que representavam grande parte da cultura desses povos. O país é fruto de um conjunto de crenças diversas que se adaptaram e formaram o que a "América" é hoje - pensamento, crenças e valores.

Os deuses antigos estão se preparando para uma grande guerra contra os deuses modernos que querem exterminá-los. Entre os deuses da modernidade temos a mídia, a televisão, o tecnologia, as construções, entre outras coisas que veneramos nos tempos atuais. Em uma passagem genial, Neil Gaiman descreve como as famílias se reúnem todas as noites em torno do aparelho de televisão como se fosse um ritual sagrado, de fato é.

O protagonista Shadow é um homem que acabou de sair da cadeia e vê a sua vida desmoronar completamente quando descobre que não tem mais nada o esperando do lado de fora. Sua esposa morreu num trágico acidente de carro e enquanto volta para sua cidade natal, é abordado por um estranho que parece saber muito sobre ele. Enquanto tenta compreender o que está acontecendo, Shadow se prepara para uma grande tempestade que vem sendo anunciada. Essa mudança no tempo vem representando uma verdadeira mudança no pensamento de um povo, a guerra entre o velho e o novo.

Uma guerra sempre trás grandes consequências, mas a maior delas é que o perdedor será esquecido, eliminado como se nunca tivesse existido. Assim acontece há tantos milênios em tantos lugares, por conta das muitas colonizações. A cultura, crenças e valores de um país são apagados e substituídos pelos do "vencedor". Ao final, todos nós já nascemos perdendo toda a cultura que nunca vamos conhecer e que foi apagada antes da nossa existência. Deuses Americanos fala da constante luta que envolve os Estados Unidos, uma luta pela supremacia, onde apenas os mais fortes triunfam.

Sinopse: Deuses americanos é, acima de tudo, um livro estranho. E foi essa estranheza que tornou o romance de Neil Gaiman, publicado pela primeira vez em 2001, um clássico imediato. Nesta nova edição, preferida do autor, o leitor encontrará capítulos revistos e ampliados, artigos, uma entrevista com Gaiman e um inspirado texto de introdução.

A saga de Deuses americanos é contada ao longo da jornada de Shadow Moon, um ex-presidiário de trinta e poucos anos que acabou de ser libertado e cujo único objetivo é voltar para casa e para a esposa, Laura. Os planos de Shadow se transformam em poeira quando ele descobre que Laura morreu em um acidente de carro. Sem lar, sem emprego e sem rumo, ele conhece Wednesday, um homem de olhar enigmático que está sempre com um sorriso no rosto, embora pareça nunca achar graça de nada.

Depois de apostas, brigas e um pouco de hidromel, Shadow aceita trabalhar para Wednesday e embarca em uma viagem tumultuada e reveladora por cidades inusitadas dos Estados Unidos, um país tão estranho para Shadow quanto para Gaiman. É nesses encontros e desencontros que o protagonista se depara com os deuses — os antigos (que chegaram ao Novo Mundo junto dos imigrantes) e os modernos (o dinheiro, a televisão, a tecnologia, as drogas) —, que estão se preparando para uma guerra que ninguém viu, mas que já começou. O motivo? O poder de não ser esquecido.

O que Gaiman constrói em Deuses americanos é um amálgama de múltiplas referências, uma mistura de road trip, fantasia e mistério — um exemplo máximo da versatilidade e da prosa lúdica e ao mesmo tempo cortante de Neil Gaiman, que, ao falar sobre deuses, fala sobre todos nós.

março 22, 2020

[Livros] O Vencedor Está Só - Paulo Coelho

Título Original: O Vencedor Está Só
Autor: Paulo Coelho
Editora: Paralela
Páginas: 416
Gênero: Ficção, Suspense, Thriller
País: Brasil
ISBN: 9788584391547
Classificação: ★★
_______________

Uma das minhas únicas decepções com Paulo Coelho, O Vencedor Está Só me frustrou por não entregar um propósito como os outros livros do autor. Eu esperava nessa leitura encontrar o que mais admiro na escrita dele: uma mensagem edificante, algo que falasse com a minha alma. No entanto, essa foi apenas uma leitura genérica e arrastada com um final previsível e frustrante.

Escrito com as características de um thriller e no formato de uma fotografia do lado obscuro da fama, esta é uma história repleta de violência e gatilhos de um relacionamento abusivo. A toxicidade dessa narrativa é tanta que a leitura chegou a me perturbar.

O protagonista é um homem completamente obcecado pela ex-mulher que é capaz de tudo para recuperá-la. Seus constantes dilemas morais e religiosos fazem com que ele esteja sempre em busca de uma justificativa para os atos vis que comete em nome do "amor". Seus próprios questionamentos, no entanto, não chegam a nos convencer e sendo esta uma narrativa em primeira pessoa foi muito difícil me conectar com Igor.

Os outros personagens, bem mais interessantes que o protagonista e que tem o azar de cruzar seu caminho são a única coisa que faz com que o livro valha a pena. Coelho faz um retrato do cotidiano interessante de pessoas envolvidas com a fama - anônimos e celebridades e cruza seus caminhos com maestria. Uma pena o livro ser focado no "vencedor" quando os perdedores tinham histórias bem mais interessantes para contar.

Sinopse: Você seria capaz de matar pela pessoa que ama? Até onde iria para conquistar o que deseja? Baseando-se em pesquisas e no triângulo de violência, luxo e celebridade, Paulo Coelho nos leva à Riviera Francesa para uma leitura eletrizante em O vencedor está só.

Igor levou anos para estabelecer seu império no pós-guerra. Quando sua esposa Ewa o abandona, o ex-militar russo começa a trabalhar de forma obsessiva, na esperança de se contentar com as conquistas de seus esforços.

Decidido a reconquistá-la e disposto a fazer de tudo para conseguir, ele a segue até o superexclusivo Festival de Filmes de Cannes onde Ewa estará com o seu novo namorado e celebridade da moda Hamid. Ao longo de um único dia, acompanhamos o reencontro de Igor com Ewa em meio ao luxo, fama, violência e desespero, lutando para manter as aparências e a própria vida.

fevereiro 27, 2020

[Livros] Boa Garota - Jana Aston

Título Original: Good Girl
Autor: Jana Aston
Editora: AllBook
Páginas: 235
Gênero: Hot, Erótico
País: EUA
ISBN: B07RWC37Z5
Classificação: ★★
_______________

Um romance hot bem fluido e divertido, Boa Garota de Jana Aston é uma leitura agradável apesar de nada crível. É o tipo de livro que devoramos em pouco tempo e que faz uma garota se iludir acreditando que cafajestes podem se transformar em príncipes encantados quando se apaixonam. Ou melhor, nos faz acreditar que cafajestes, de fato, se apaixonam. É a ilusão que amamos alimentar e esse é o tipo de romance que todas nós gostaríamos de viver.

Lydia é uma garota - bem tapada e insuportável - que foi boazinha a vida inteira. Quando cansa de fazer tudo direito, ela decide que quer um pouco de aventura na sua vida e isso pode levá-la às piores decisões possíveis. Decisões que podem não só destruir sua fama de boazinha como também destruir seu coração no processo.

Rhys é um empresário bem sucedido que não quer se envolver com ninguém. Para ele é muito mais simples pagar por relações de uma noite e evitar todo o envolvimento emocional que pode resultar disso. Quando os caminhos desses dois opostos se cruzam é algo arrebatador e Jana Aston descreve com comicidade as situações improváveis que conectam um ao outro.

Romance despretensioso para os amantes do gênero, Boa Garota é uma boa leitura e consegue fazer que suas leitoras se apaixonem ainda mais por um estereótipo de homem incorrigível. Apesar da protagonista ser muito sonsa e o contraste do casal ser gritante, rende uma boa distração. Se um homem é mesmo capaz de mudar por uma mulher eu não sei, mas que a gente sempre torce pelo final feliz é verdade.


Sinopse: Sempre fui uma boa garota.
Trabalho duro, sigo as regras, sempre conquisto meus objetivos.

Mas, às vezes, boas garotas querem coisas que não são boas para elas.
Ou alguém que não é bom para elas.
Tipo seu novo chefe.

E, às vezes, elas fazem coisas ruins para chamar sua atenção.
Como vender a virgindade em um leilão.

Quem diria que ele ficaria tão, tão bravo?
Talvez esse não tenha sido meu melhor plano…


fevereiro 22, 2020

[Livros] O Antigo Tarô de Marselha - Lo Scarabeo & Zilda H. S. Silva

Título Original: Ancient Tarot of Marseilles
Autor: Lo Scarabeo & Zilda H. S. Silva
Editora: Pensamento
Páginas: 88
Gênero: Tarô, Autoconhecimento
País: Itália
ISBN: 9788531521089
Classificação: ★★★★
_______________

Não é segredo a minha fascinação pelo tarô e sua arte. O jogo, quase tão antigo quanto a curiosidade humana não é - como muitos pensam - uma previsão para o futuro, pelo contrário, é uma análise do presente e das possíveis consequências das nossas ações. O baralho conta a história do ser humano e cada carta simboliza uma etapa necessária para o nosso desenvolvimento.

Um dos tarôs mais antigos e que originou grande parte dos baralhos que conhecemos hoje é o Tarot de Marselha, produzido na França por volta de 1760. Numa edição bastante fiel ao seu original, a editora Pensamento nos presenteia com um deck de colecionador. As cartas que contém cópias das ilustrações originais, são bem diferentes das múltiplas interpretações disponíveis atualmente e preservam a magia e a simplicidade da época.

Item indispensável não só para aqueles que o utilizam como um oráculo divinatório mas também para aqueles que compreendem suas cartas como fonte de autoconhecimento e busca espiritual, o Antigo Tarô de Marselha é uma oportunidade de perceber que a humanidade enfrenta os mesmos desafios desde sempre e que os nossos problemas fazem parte da nossa jornada. Jornada essa que se inicia na ingenuidade do Louco (o arcano 0), passando por todas as etapas necessárias para nossa evolução e termina com o arcano do Mundo (o arcano XXII), encerrando ciclos para que outros se iniciem.

O tarô é uma representação da vida bem como suas cartas representam momentos e aprendizados. Que neste momento possamos ser compreensão e entendimento para aceitar nossas próprias escolhas e as consequências destas. Afinal, desse mundo só se leva o que se aprende. Faça o melhor possível com este aprendizado.

Sinopse: O Antigo Tarô de Marselha foi produzido originalmente em Marselha, no sul da França, a partir de 1760. Projetado por Conver e seus descendentes, este baralho entrou para a história após inúmeras reimpressões serem comercializadas em Marselha por mais de cem anos, o que o torna um verdadeiro item de colecionador para os interessados nesta antiga arte divinatória. 

Com textos de Lo Scarabeo e colaboração de Zilda H. S. Silva, esta edição foi feita a partir de uma cópia de 1870 de um colecionador particular do tarô de Nicolas Conver, a qual apresenta matizes mais vivos; especialmente no que diz respeito ao amarelo e verde, que é diferente do modelo de 1760, que é diferente do modelo de 1760 que se encontra hoje preservada na Biblioteca Nacional da França, tratando-se então de uma cópia fiel , e talvez o único e verdadeiro Tarô de Conver ainda existente em nossos dias.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...