janeiro 22, 2019

[Livros] Mitologia Nórdica - Neil Gaiman

Uma recontação das mais famosas lendas nórdicas, o livro de Neil Gaiman é uma bela homenagem à riqueza da cultura germânica. Inspirado pelas histórias de Odin, Thor, Loki, Frey e tantas outras divindades, o autor mantém o tom cômico que lhe é característico e nos leva à origem da existência segundo a mitologia nórdica.

Fiz uma lista de 5 bons motivos para ler a versão de Gaiman da Mitologia Nórdica:

1 - Gaiman é um dos melhores e mais aclamados autores de contos e romances fantásticos da atualidade. Ele é membro da Royal Society Of Literature. Escreveu livros e graphic novels que já foram adaptados para o cinema e para a televisão.

2 - A mitologia nórdica foi revisitada por Gaiman mas manteve um grande apego aos detalhes originais. Muitas das histórias são extremamente fiéis às lendas nórdicas.

3 - A comicidade presente em grande parte das histórias faz com que conheçamos uma outra faceta dos deuses nórdicos, fanfarrões e mais complexos do que o Universo Marvel popularizou.

4 - As edições em capa dura - tanto a preta quanto a azul de luxo - são maravilhosas. Exemplares belíssimos que guardam histórias passadas de geração em geração oralmente pelos povos germânicos.

5 - Loki e suas peripécias. Se a fantástica mitologia nórdica ainda não tiver convencido vocês a ler esse livro, o deus da trapaça convencerá. Mais arteiro do que nunca, Loki faz todo tipo de pegadinha, brincadeira e maldade arranjando confusão por onde passa. Inconsequente, charmoso e debochado, ele rouba a cena em todas as adaptações das lendas nórdicas e desta vez não é diferente.

Sinopse: Neil Gaiman tem sido inspirado pela mitologia antiga na criação dos reinos fantásticos de sua ficção. Agora ele volta sua atenção para a fonte, apresentando uma versão bravura das grandes histórias do norte.


Na mitologia nórdica, Gaiman permanece fiel aos mitos ao prever o maior panteão dos deuses nórdicos: Odin, o mais alto dos altos, sábios, ousados ​​e astutos; Thor, filho de Odin, incrivelmente forte, mas não o mais sábio dos deuses; E Loki-filho de um irmão de sangue gigante para Odin e um malandro e insuperável manipulador.

Gaiman modela essas histórias primitivas em um arco romântico que começa com a gênese dos nove mundos lendários e mergulha nas façanhas de deidades, anões e gigantes. Uma vez, quando o martelo de Thor é roubado, Thor deve disfarçar-se como uma mulher - difícil com sua barba e enorme apetite - para roubá-lo de volta. Mais pungente é o conto em que o sangue de Kvasir - o mais sagaz dos deuses - se transforma em um hidromel que infunde bebedores com poesia. O trabalho culmina em Ragnarok, o crepúsculo dos deuses e o renascimento de um novo tempo e de pessoas.

Através da prosa hábil e espirituosa de Gaiman surgem esses deuses com suas naturezas ferozmente competitivas, sua susceptibilidade a ser enganados e enganar os outros e sua tendência a deixar a paixão inflamar suas ações, fazendo com que esses mitos há muito tempo respirem uma vida pungente novamente.

janeiro 18, 2019

[Dicas] Cupons de Desconto em Livros

Olá, booklovers! Já fiz alguns posts aqui sobre como aumentar a coleção de livros na estante sem gastar muito e dessa vez eu vim mostrar um site incrível de descontos para aproveitar as melhores ofertas.

Vocês, com certeza, já conhecem ou já usaram cupons de desconto. Na Black Friday, na Semana da Mulher e em outras datas comemorativas, as livrarias online liberam descontos para os leitores. Mas e se pudéssemos encontrar esses cupons em qualquer data? Sem ter que esperar março ou novembro?

O Cupom Válido é um site que reúne centenas de cupons - atualizados constantemente - em diversas lojas e livrarias virtuais.

Quem me acompanha sabe o quanto eu amo comprar no Submarino, na Saraiva, Livraria Cultura e na Amazon. Essas quatro lojas - que, inclusive, são parceiras da Cupom Válido - sempre me trazem experiências de compra imperdíveis e quando encontro descontos nos meus livros desejados, eu não tenho limites. Literalmente.

Vocês costumam usar cupons de desconto? Já conheciam esse site? Comprem muitos livros e me contem depois o quanto vocês economizaram. <3

janeiro 15, 2019

[Séries] Análise de You (Você) da Netflix


Olá, booklovers! Tudo bem com vocês? Hoje vim conversar um pouquinho com vocês sobre a série "You" da Netflix. Um thriller incrível, essa série que foi adaptada do livro homônimo é de tirar o fôlego.

Sinopse: You conta sobre "Joe", um gerente de livraria que se envolve com um de seus clientes, uma jovem chamada "Beck". Mas quando Joe se apaixona por alguém, o amor pode rapidamente transformar-se em obsessão.


É aquele tipo de série que nos faz pensar sobre até onde iríamos para proteger quem amamos e qual é o limite entre obsessão e amor. Fiz algumas considerações sobre pontos importantes a serem analisados:

1 - A série ser narrada a partir do ponto de vista de um psicopata faz de todos os eventos altamente questionáveis.

2- A metáfora da dependência emocional muitas vezes comparada à dependência química é brilhante.

3 - As falhas dos personagens - expostas a partir do ponto de vista do narrador - tentam justificar tudo o que acontece com eles e, algumas vezes, conseguem. O que é muito errado.

4 - O ciclo de maus-tratos e o impacto da violência no desenvolvimento de uma criança.

5 - Nossa busca desesperada e nada saudável por atenção que nos faz vulneráveis.

6 - O fato de que aceitamos o amor que acreditamos merecer quando muitas vezes merecemos mais.

7 - As dificuldades de ser mulher e ser respeitada por seu trabalho como um homem seria nos campos profissional e acadêmico.

8 - A procrastinação como uma fuga da realidade.

9 - As redes sociais como uma arma e como manipuladoras da realidade.

10 - O conceito de amor vs. possessividade. Até onde alguém iria por amor. O que é aceitável? É possível confiar em alguém de verdade?

11 - Sem mencionar todas as referências literárias que fazem paralelos importantes com a série em momentos específicos. Sylvia Plath (a redoma), O Conde de Monte Cristo (a vingança), O Morro dos Ventos Uivantes (a segurança financeira em detrimento do amor), Os Três Mosqueteiros (a lealdade acima de tudo) e por aí vai... Cada um deles sendo citado no momento mais propício para representar o que está acontecendo.

Falei um pouco mais sobre cada um desses pontos lá nos stories salvos em destaques "YOU" no Instagram. Enfim, é uma série incrível cheia de suspense, mistério e cenas de tirar o fôlego, literalmente. Brilhante do início ao fim, deixa um gancho interessante para uma possível continuação e como todo bom thriller adaptado, nos deixa ávidos pelo livro original.

janeiro 09, 2019

[Livros] Memória do Mar - Khaled Hosseini

Título Original: Sea Prayer
Autor: Khaled Hosseini
Editora: Globo
Páginas: 64
Gênero: Poesia, Memórias
País: EUA
ISBN: 9788525066749
Classificação: ★★★
_______________

Poético, devastador e real, Memória do Mar é um livro bonito que traz uma história cruel. Khaled Hosseini se inspirou na memória de Alan Kurdi, o garotinho sírio de três anos que se afogou enquanto tentava atravessar o mar Mediterrâneo para se refugiar na Europa. Outra vítima de uma guerra que ele mesmo nunca viria a entender, o pequeno não encontrou neste mundo a paz que merecia.

Com ilustrações em aquarela e um texto cheio de sentimento e emoção, Memória do Mar é uma mistura de homenagem, prece e crítica. É um culto à memória daqueles que perderam suas vidas em busca de uma vida melhor, uma prece por misericórdia e uma crítica àqueles que fecham seus olhos e suas fronteiras para os que precisam de ajuda.

A crise dos refugiados, de diferentes lugares e por diferentes motivos, desperta em nós sentimentos mistos: há tanto a ser feito e tão pouco a nosso alcance. Se por um lado, desejamos ajudar, por outro, temos medo ou não sabemos como. Pequenas atitudes como doações para ACNUR - agência da ONU que cuida das questões dos refugiados - e até mesmo o diálogo sobre a desconstrução de preconceitos no que diz respeito aos refugiados e/ou imigrantes já fazem a diferença.

A foto que tornou famosa a história de Alan Kurdi é cruel e devastadora, seu corpinho na areia representa o fracasso de todos nós como humanidade. As palavras bonitas de Khaled Hosseini escondem a dor da despedida, da injustiça e da saudade. O mundo não foi capaz de cuidar de sua alma inocente - e de tantas outras que foram e ainda são perdidas da mesma forma -, o mar, então, carregou-a para longe por saber que ele merecia mais do que essa vida poderia lhe dar.

Sinopse: Um pai embala o filho enquanto contempla a noite em uma praia, à espera do amanhecer que trará o barco que os levará a uma nova vida do outro lado do Mediterrâneo. O homem conta para o menino sobre as lembranças da Síria de sua infância, um país encantador que foi destruído pela guerra, obrigando não apenas aquela pequena família, mas milhares de outras, a juntar todos os seus pertences e embarcar rumo ao desconhecido.

Publicada em edição capa dura e ricamente ilustrada, a obra é inspirada na história de Alan Kurdi, o refugiado sírio de três anos de idade que se afogou no mar Mediterrâneo quando tentava chegar à segurança na Europa. Escrita com toda a sensibilidade de Khaled Hosseini, A memória do mar é uma obra de amor e esperança.

janeiro 08, 2019

[Livros] O Perfuraneve - Lob; Rochette; Legrand

Título Original: Le Transperceneige
Autor: Jacques Lob; Benjamin Legrand; Jean-Marc Rochette
Editora: Aleph
Páginas: 280
Gênero: HQ, Ficção Científica
País: França
ISBN: 9788576572121
Classificação: ★★★
_______________

Uma graphic novel distópica, O Perfuraneve é um clássico da ficção científica há décadas e por ter sido adaptada para o cinema, despertou nos últimos anos a atenção de uma nova geração de leitores críticos e conscientes a respeito dos problemas políticos, econômicos e sociais da nossa época. Alegoria brilhante da realidade, o livro traz temas como a estratificação social, conflitos políticos, a corrida tecnológica, sustentabilidade e a doutrinação religiosa num futuro desolador.

Após um desastre climático, a humanidade foi dizimada pelo frio. O gelo cobre toda a superfície terrestre e os únicos sobreviventes foram os passageiros do expresso Perfuraneve. Uma composição que se mantém circulando em moto-contínuo desde a catástrofe. Construída como uma forma de entretenimento antes de tudo isso, o trem de mil e um vagões tem uma luxuosa estrutura autossustentável que acaba por abrigar os últimos seres do planeta.

Toda a desigualdade social que existe no mundo é reproduzida em uma escala proporcional dentro do expresso. Os últimos vagões estão apinhados de pessoas pobres, estes são alimentados com ração e trabalham incansavelmente. As coisas que eles já foram obrigados a fazer para sobreviver não podem ser narradas e em um número consideravelmente maior que as demais classes, eles sonham com o que deve haver nos outros vagões.

A classe média vive com conforto, produzindo sua própria comida e trabalhando para manter o sistema em funcionamento. Dentre eles, alguns repudiam os "fundistas" e os consideram a escória do Perfuraneve, enquanto outros lutam por mais igualdade e defendem os ideais da maioria. Qualquer conexão com o sistema político vigente é mera coincidência.

Os ricos, dentre eles os religiosos e os militares, comandam o expresso e têm interesse em manter a desigualdade social que os sustenta no poder. Políticas discriminatórias e abusivas, além de uma doutrinação que coloca a "máquina" no lugar de "deus" como a salvação dos aflitos, fazem com que o povo se mantenha grato por sua situação e não se revolte. A mídia televisiva manipula e ilude os passageiros que acreditam no que quer que seja veiculado.

O Perfuraneve reúne três diferentes histórias e, na principal delas, narra a jornada de um fundista que ousa se rebelar contra o sistema. Os desdobramentos dessa rebelião são acompanhados nas outras duas tramas dando ênfase em outros personagens. Apesar de ser bem diferente de sua adaptação para o cinema - adaptação esta que é, na minha opinião, até superior aos quadrinhos - em ambas as narrativas há uma crítica forte ao capitalismo, à desigualdade social, à alienação e à religião. É uma obra-prima que precisa ser lida, absorvida e compreendida, especialmente em momentos como este em que uma espessa camada de neve parece cegar as pessoas para o que acontece ao seu redor.

Sinopse: Considerada uma das melhores HQ's de ficção científica, a trama de O Perfuraneve se passa na terrível e eterna Era do Gelo, onde a sobrevivência humana parece impossível. Porém, cruzando as infinitas terras devastadas, o último bastião da humanidade segue, imparável, sobre os trilhos: o Perfuraneve. Esse trem fantástico, de tecnologia revolucionária, é capaz de cruzar a Terra eternamente em moto-contínuo, abrigando os últimos representantes da espécie humana. O que seria a salvação do homem, no entanto, torna-se com o tempo uma cruel reprodução dos bons e velhos mecanismos que levaram o planeta à destruição, incluindo a rígida estratificação social, a opressão política como forma de dominação, o embuste religioso e a consequente alienação.


dezembro 27, 2018

[Livros] O Jardim Esquecido - Kate Morton

Título Original: The Forgotten Garden
Autor: Kate Morton
Editora: Arqueiro
Páginas: 496
Gênero:Romance, Drama, Ficção
País: EUA
ISBN: 9788580418590
Classificação: ★★★
_______________

Um dos romances mais bem escritos que eu li esse ano, O Jardim Esquecido é um quebra-cabeças encantador que só se completa no último capítulo, quando a última peça é revelada. Kate Morton nos comove ao envolver a magia dos contos de fadas com as histórias de três mulheres que viveram em tempos diferentes. Suas histórias de coragem e luto nos são apresentadas em fragmentos como se o livro fosse um labirinto e aquele que conseguir chegar ao seu fim, encontrará um belo jardim escondido.

O livro narra de forma intercalada a história de Elisa, Nell e Cassandra, que tiveram suas vidas marcadas pela dor e pelo abandono. Três vidas interligadas por um misterioso livro de contos de fadas e três mulheres que buscam recuperar algo que se perdeu.

Sábia contadora de histórias, a autora consegue nos conduzir por esse labirinto de lembranças com maestria. Enquanto as protagonistas buscam reencontrar a si mesmas, nós as acompanhamos e descobrimos junto com elas os segredos que esse jardim esconde e o motivo que as une.

Elisa (1900) foi uma grande escritora de contos de fadas, seus escritos fantásticos - alguns deles presentes nesta edição - se tornaram raros e sua origem permaneceu um mistério por quase um século. Nell (1970) tem em suas memórias mais distantes uma vaga lembrança de Elisa - a Autora como era chamada - e busca compreender qual foi o papel dessa mulher na sua vida. Cassandra (2000) é neta de Nell e se vê envolvida nessa busca pela identidade de sua avó, tendo a oportunidade de conhecer melhor a mulher que tanto a amou e que infelizmente se foi.

Os mistérios e segredos construídos por Kate Morton são surpreendentes, mas o que traz um toque especial à sua narrativa é a magia em torno dos contos de fadas. Diretamente ligados à trama, os contos nos dão pistas e são alegorias belíssimas de tudo que a história representa. Em um jardim encantador, histórias foram escritas e algumas delas foram publicadas num livro de contos. Esse livro é sobre as histórias que ninguém nunca ousou contar mas que jamais serão esquecidas.

Sinopse: Uma criança abandonada, um antigo livro mágico, um jardim secreto, uma família aristocrática, um amor negado. Em mais uma obra-prima, Kate Morton cria uma história fantástica que nos conduz por um labirinto de memórias e encantamento, como um verdadeiro conto de fadas.
Dez anos após um trágico acidente, Cassandra sofre um novo baque com a morte de sua querida avó, Nell. Triste e solitária, ela tem a sensação de que perdeu tudo o que considerava importante. Mas o inesperado testamento deixado pela avó provoca outra reviravolta, desafiando tudo o que pensava que sabia sobre si mesma e sua família.

Ao herdar uma misteriosa casa na Inglaterra, um chalé no penhasco rodeado por um jardim abandonado, Cassandra percebe que Nell guardava uma série de segredos e fica intrigada sobre o passado da avó.

Enchendo-se de coragem, ela decide viajar à Inglaterra em busca de respostas. Suas únicas pistas são uma maleta antiga e um livro de contos de fadas escrito por Eliza Makepeace, autora vitoriana que desapareceu no início do século XX. Mal sabe Cassandra que, nesse processo, vai descobrir uma nova vida para ela própria.

dezembro 20, 2018

[Livros] Uma Coisa Absolutamente Fantástica - Hank Green

Título Original: An Absolutely Remarkable Thing
Autor: Hank Green
Editora: Seguinte
Páginas: 344
Gênero: YA, Ficção
País: EUA
ISBN: 9788555340758
Classificação: ★★★
_______________

Livro de estreia de Hank Green, Uma Coisa Absolutamente Fantástica traz uma história absurda para abordar temas que nos preocupam muito nos últimos tempos - ou que deveriam nos preocupar. As críticas extremamente realistas em uma narrativa nada verossímil são uma forma de chamar a atenção para o que está acontecendo com a humanidade. Afinal, se intolerância, ódio e ignorância vindos diretamente da presidência de um país não chocam, talvez robôs alienígenas gigantes o façam.

Forte crítico do governo Trump, Green sutilmente retrata em seu livro as consequências de algumas decisões muito parecidas com as do presidente dos EUA (consequentemente similares aos posicionamentos polêmicos de nosso próprio representante) expondo os riscos da intolerância em grande escala e também do culto obsessivo à fama, a glorificação do ser humano.

Misteriosos robôs gigantes apareceram simultaneamente em diversos lugares do mundo. Ninguém pareceu notar até que dois adolescentes decidiram fazer um vídeo sobre isso e colocar na internet. O vídeo viralizou e em poucas horas, os amigos April e Andy se tornaram celebridades. A fama repentina e a necessidade narcisista de mantê-la obriga-os a tentar desvendar os mistérios das figuras de metal para continuar em evidência.

O questionamento acerca dos robôs rouba a cena, mas é, ironicamente, irrelevante para a compreensão da história como um todo. Hank Green acrescentou-os como uma distração bem-humorada para uma trama tensa que - ainda que muito superficialmente - envolve política, religião, narcisismo, tecnologia e a nossa incessante busca por identidade.

Por falar em identidade, o autor constrói aos poucos um perfil literário ligeiramente diferente do que o que irmão - John Green - construiu. A leveza e o bom humor são um traço em comum, mas a escrita de Hank Green envolve elementos surreais que mexem com o imaginário do leitor e, apesar de sua primeira obra não ser absolutamente fantástica, é absolutamente intrigante.

Sinopse: Em seu aguardado livro de estreia, Hank Green traz a história original e envolvente de uma jovem que se torna uma celebridade sem querer — mas logo se vê no centro de um mistério muito maior do que poderia imaginar.

Enquanto volta para casa depois de trabalhar até de madrugada, a jovem April May esbarra numa escultura gigante. Impressionada com sua aparência — uma espécie de robô de três metros de altura —, April chama seu amigo Andy para gravar um vídeo sobre a aparição e postar no YouTube. No dia seguinte, a garota acorda e descobre que há esculturas idênticas em dezenas de cidades pelo mundo, sem que ninguém saiba como foram parar lá. Por ter sido o primeiro registro, o vídeo de April viraliza e ela se vê sob os holofotes da mídia mundial.

Agora, April terá de lidar com os impactos da fama em seus relacionamentos, em sua segurança, e em sua própria identidade. Tudo isso enquanto tenta descobrir o que são essas esculturas — e o que querem de nós.

Divertida e envolvente, essa história trata de temas muito relevantes nos dias atuais: como lidamos com o medo e o desconhecido e, principalmente, como as redes sociais estão mudando conceitos como fama, retórica e radicalização.

dezembro 14, 2018

[Livros] O Barqueiro - Claire McFall

Título Original: Ferryman
Autor: Claire Mcfall
Editora: Globo Alt
Páginas: 352
Gênero: Ficção, Fantasia, Romance
País: EUA
ISBN: 9788525066107
Classificação★★★★★
_______________

O livro de Claire McFall é uma releitura moderna do mito de Caronte, o barqueiro de Hades. Com sensibilidade e partindo de uma inspiração brilhante, a autora mistura amor e morte como se fossem equivalentes e narra a história romântica e trágica de uma alma que se apaixona por seu barqueiro.
Dentre tantos elementos fantásticos e sobrenaturais que permeiam essa trama, sua ambientação foi o que mais me impressionou. O cenário, descrito com perfeição como sendo a terra da desolação ou o que nos esperaria depois da morte, nos transporta para essa realidade assustadora, um terreno infértil onde nada deveria florescer, muito menos o mais belo e puro dos sentimentos.

Dylan é uma jovem garota que foi criada apenas pela mãe. Sua vida, aparentemente incompleta, no entanto, faz com que ela comece a questionar sobre seu pai. Ela decide, então, fazer uma viagem para encontrá-lo e conhecer o homem que nunca pode criá-la. No caminho, o trem em que ela estava sofre um acidente e ela acorda sozinha num lugar estranho.

Ao deixar a cena do acidente, ela encontra um rapaz - aparentemente da sua idade - que diz se chamar Tristan. Ele começa a guiá-la para longe daquele lugar e conforme o tempo vai passando, ela percebe que se afasta cada vez mais da vida que conhecia. Ele é um barqueiro da morte e tem a missão de levá-la em segurança para o lugar onde ela passará a eternidade. A jornada cheia de perigos e provações aproxima os dois e depois de descobrir que está morta, Dylan encontra no barqueiro seu conforto para atravessar o inferno.

Uma bela história de coragem e amor, O Barqueiro me comoveu com a beleza de um amor tão impossível quanto único e traz importantes questionamentos sobre vida e morte. Seu desfecho aberto deixa espaço para uma continuação, afinal, finais são subjetivos e também representam novos começos. A mensagem mais importante que o livro deixa é que o paraíso, talvez, não precise ser um lugar específico, mas possa ser uma pessoa que lhe traz paz.

Sinopse: Cansada dos problemas na escola e em casa, Dylan sai da cidade decidida a conhecer seu pai. Mesmo com todas as advertências da mãe, ela compra a passagem de trem que a levará rumo às Terras Altas da Escócia. Mas um acidente terrível a tira de seu caminho. De repente, ela se vê em um lugar completamente desconhecido, e descobre que foi a única a sobreviver.
Exceto pelo fato de que ela não sobreviveu.

Perdida, Dylan encontra Tristan, um misterioso ser cuja função é guiar sua alma pelo mundo dos mortos. Juntos, eles enfrentarão os perigos de uma terra que fará de tudo para que não completem sua missão, e descobrirão que o amor pode superar até mesmo as barreiras da morte.

Releitura do mito de Caronte, barqueiro de Hades, O barqueiro guiará os leitores por uma terra onde a morte é o menor dos perigos.

Nesta narrativa única, vendida para mais de 15 países e comprada pelo estúdio cinematográfico Legendary, Claire McFall mescla suspense e romance, criando um mundo rico em fantasia e personagens singulares.


dezembro 08, 2018

[Livros] Caraval - Stephanie Garber (Caraval #1)

Título Original: Caraval
Autor: Stephanie Garber
Editora: Novo Conceito
Páginas: 400
Gênero: Ficção, Fantasia
País: EUA
ISBN: 9788581638560
Classificação★★★★★
_______________

Uma leitura repleta de magia, Caraval traz em sua história o encantamento do circo envolto em um misterioso jogo de ilusões. Stephanie Garber criou um universo belíssimo em que só é possível entrar com um convite especial. Este livro é entrada garantida para um espetáculo e eu lhes convido a me acompanharem esta noite.

A trama repleta de reviravoltas lembra os famosos truques ilusionistas de um mágico, distraindo o leitor para surpreendê-lo ao final. Bem costurado e deixando um gancho final para sua sequência, o primeiro volume da trilogia nos emociona e impressiona pela riqueza de detalhes e sua estruturação narrativa. Cada elemento - seja por magia ou ilusionismo - é encantador e o jogo de luzes realmente me conquistou.

As irmãs Scarlett e Donatella vivem sob o domínio do pai, um arrogante governador que controla todas as suas escolhas, incluindo seus futuros maridos. Prometida em casamento, Scarlett vê em seu noivo - um homem que ela não conhece - a salvação para a vida que leva, mas ao mesmo tempo tem medo de que ela esteja apenas sendo transferida de uma prisão para outra e ele seja exatamente como seu pai.

Donatella, seu total oposto, é a sonhadora. Um espírito livre, a jovem quer curtir a vida e aproveitar tudo o que for possível sem pensar nas consequências de suas escolhas. Sua natureza impulsiva, em contraste com o excesso de sensatez de sua irmã, traz o equilíbrio de que as protagonistas necessitam para sobreviver.

Buscando diversão e uma experiência mágica, Donatella convence a irmã a acompanhá-la ao Caraval, uma festa mágica itinerante que acontecerá numa ilha distante. Após receber convites exclusivos do enigmático Lenda - criador do espetáculo -, elas decidem participar do evento e descobrem que o Caraval é um jogo perigoso e elas agora deverão jogar para ganhar.

Enquanto tenta decifrar o mistério, Scarlett descobre que o jogo é tão cheio de ilusões quanto verdades e para sobreviver, será preciso descobrir o que é real e o que não é. Uma das melhores leituras desse ano, esse livro me desafiou a participar do Caraval e a sobreviver para contar sua história. Meus convites para a próxima edição já estão comprados, só falta escolher um vestido de gala à altura, pois será um espetáculo.

Sinopse: Scarlett nunca saiu da pequena ilha onde ela e sua irmã, Donatella, vivem com seu cruel e poderoso pai, o Governador Dragna. Desde criança, Scarlett sonha em conhecer o Mestre Lenda do Caraval, e por isso chegou a escrever cartas a ele, mas nunca obtivera resposta. Agora, já crescida e temerosa do pai, ela está de casamento marcado com um misterioso conde, e certamente não terá mais a chance de encontrar Lenda e sua trupe, mas isso não a impede de escrever uma carta de despedida a ele.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...