maio 17, 2018

[Livros] O Diário de Adão e Eva - Mark Twain (Coleção Inglês com Clássicos da Literatura #5)

Título Original: The Diary Of Adam And Eve
Autor: Mark Twain
Editora: Folha de São Paulo
Páginas: 96
Gênero: Contos, Clássico
País: EUA
ISBN: 9788593876684
Classificação: ★★★
_______________

Sagaz, irônico e extremamente inteligente, O Diário de Adão e Eva é um retrato do estereótipo de masculino e feminino. No quinto volume da coleção Inglês com Clássicos da Literatura, Mark Twain traz um texto leve e cômico que parodia a criação do ser humano e o desenvolvimento do relacionamento entre homem e mulher. Um dos mais divertidos textos do autor, esse diário explica o comportamento tão distinto de dois seres da mesma espécie que parecem não falar a mesma língua. 

Em tempos de discussão de gênero, O Diário de Adão e Eva não abrangeria a pluralidade comportamental/emocional e os conceitos de masculino e feminino, mas levando em consideração o ano em que foi escrito, 1906, e uma leve generalização da personalidade de homens e mulheres é uma obra muito atual. A edição bilíngue se preocupa em contextualizar alguns recursos linguísticos usados pelo autor enfatizando as figuras criadas por ele.

O homem, visto como uma criatura mais prática, racional e objetiva, é o primeiro narrador dessa história e conta como a mulher, uma criatura sensível, curiosa, esperta e falante, o faz companhia. Antes solitário, Adão não compreende muito o que acontece a seu redor e também evita pensar sobre isso, enquanto Eva se encanta pelas maravilhas do jardim do Éden e quer descobrir tudo o que puder sobre o mundo. 

As diferenças deles são acentuadas por Twain e contrastadas com o modo característico de pensar do outro. Eva fala sem parar e tenta se aproximar de Adão, enquanto ele se irrita com isso e evita ficar perto dela. Ela adora a companhia dele, enquanto ele aprecia seus momentos de solidão e quietude. Entre ironias e metáforas brilhantes, o autor nos guia por esse processo de construção e descobrimento do ser, bem como o do mundo. A forma como Adão e Eva se completam é perfeita, como só o criador - falo de Mark Twain - poderia escrever.

"A nova criatura se intrometeu. Quando tentei expulsá-la, começou a derramar água pelos buracos que usa para olhar, e a limpá-las com as costas das suas patas, e fez um barulho como o de alguns outros animais quando estão com algum problema. Adoraria que não falasse; mas fala o tempo todo." (p. 10)

Sinopse: “O diário de Adão e Eva”, do qual apresentamos aqui as duas primeiras partes, pertence à última fase da carreira literária e da vida de Mark Twain.

Foi publicado em 1906, um período de profunda depressão do escritor, por dificuldades financeiras decorrentes de investimentos mal-sucedidos e sobretudo por graves lutos familiares (em 1896, a filha Susy morreu de meningite; em 1904, faleceu a mulher Livy, depois de longa enfermidade; e, em 1909, foi a vez de outra filha, Jean).

Desse estado de ânimo restam alguns vestígios em certos meandros menos aparentes do texto, que no entanto apresenta-se em seu conjunto como uma brilhante e divertida paródia, reconstruindo as relações entre os dois progenitores bíblicos da humanidade no Jardim do Éden.

"Os gestos dele são grosseiros, e ele não é gentil. (...) Fico pensando: será que é pra isso que ele serve? Será que não tem coração?" (p. 54)

maio 16, 2018

[Eventos] Sextante 20 Anos - Ciclo de Palestras


Em 2018 a Sextante está completando 20 anos e para comemorar essa data especial, decidiram reunir alguns dos seus autores mais vendidos e conceituados para um ciclo de palestras inesquecível. Venha conferir o que esse time de sucesso reservou para nós no próximo fim de semana. Para se inscrever, clique aqui.





maio 13, 2018

[Livros] Batman: Criaturas da Noite - Marie Lu (Lendas da DC #2)

Título Original: Batman: Nightwalker
Autor: Marie Lu
Editora: Arqueiro
Páginas: 256
Gênero: Ficção, Romance, YA
País: EUA
ISBN: 9788580418071
Classificação: ★★★
_______________

Segundo volume da coleção Lendas da DC que reconta a história dos super-heróis na sua juventude, Batman: Criaturas da Noite é tão bom quanto seu antecessor e traz um Bruce Wayne mais novo e, portanto, menos sombrio do que conhecemos. O desenvolvimento do protagonista se dá lentamente, nos dando a oportunidade de compreender parte do que motivou sua busca por justiça.

Marie Lu escreve para um público jovem adulto abordando uma fase da vida do herói - final de sua adolescência - que não costumamos ver nos quadrinhos. O Batman que conhecemos não aparece, pelo contrário, somos apresentados a um protótipo do que virá a ser o homem-morcego. Esse detalhe, confesso, me decepcionou um pouco porque eu esperava acompanhar essa transformação, mas daí talvez o livro ficasse muito pesado para seu público-alvo.

Assim que completa dezoito anos, o bilionário Bruce Wayne começa a receber a responsabilidade pelos negócios da família. Herdeiro das Indústrias Wayne depois da morte dos pais, ele tem nas mãos um império e conta com a ajuda de seu guardião - Alfred - para ajudá-lo a tomar as decisões certas. Impulsivo, rebelde e muito inteligente, o jovem já mostra alguns traços, ainda que bem fracos, de sua personalidade sombria.

Ao se deparar com uma perseguição em andamento, ele decide ir atrás do fugitivo - em parte por exibição, em parte por justiça. A situação de risco o coloca na mira da polícia de Gotham que não vê com bons olhos sua intromissão e o condena a fazer trabalho voluntário no Asilo Arkham. Essa pena, no entanto, que deveria servir como lição e protegê-lo de se envolver com a perigosa gangue de Criaturas da Noite, o coloca justamente perto deles.

Marie Lu consegue nos mostrar uma faceta de Bruce Wayne quase livre das trevas, na qual Gotham ainda não corrompeu seu coração. A busca incessante pela justiça e a constante luta contra o crime podem estar no futuro no Batman, mas no seu presente há o caminho doloroso que o levará até lá.

"Ao lado dos pais, Bruce conhecera somente o lado bom da cidade. Nunca havia percebido as pichações, o lixo nas sarjetas e o povo encolhido nos becos sombrios, pedindo esmola. Como uma criança protegida, vira apenas o que a cidade podia oferecer pelo preço certo, e nada do que a cidade fornecia a quem não tinha nada." (p. 13)

Sinopse: Bruce Wayne está prestes a completar 18 anos e herdar a fortuna de sua família, além do controle das indústrias Wayne. No entanto, no dia do seu aniversário, ele faz uma escolha impulsiva e é condenado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham, uma mescla de prisão e hospital psiquiátrico onde estão detidos os criminosos mais desequilibrados da cidade.

Lá ele conhece Madeleine, integrante das Criaturas da Noite, um grupo radical que deseja acabar com a elite de Gotham. Até então, a moça se recusava a confessar seus crimes ou informar à polícia os futuros ataques que planejavam, mas ela resolve se abrir para Bruce Wayne, dando início a um perigoso jogo de sedução e inteligência.

Será que o jovem Wayne vai conseguir convencê-la a revelar todos os seus segredos ou ela está apenas manipulando-o para arruinar Gotham? Enquanto o golpe final das Criaturas da Noite se aproxima, Bruce percebe que não é tão diferente de Madeleine. E, mesmo longe de se tornar o Cavaleiro das Trevas, precisará provar que está preparado para deter uma das maiores ameaças que Gotham já presenciou.

"- Para alguém que tem tudo, há trevas em seu coração." (p. 89)

[Livros] Como Se Vingar de Um Cretino - Suzanne Enoch

Título Original: The Rake
Autor: Suzanne Enoch
Editora: Harlequin
Páginas: 288
Gênero: Romance de Época
País: EUA
ISBN: 9788539825967
Classificação: ★★★
_______________

Como Se Vingar de Um Cretino foi um dos melhores romances de época que já tive o prazer de ler. Com uma narrativa divertida e interessante que - em alguns momentos - foge dos clichês do gênero, Suzanne Enoch conseguiu me fazer amar um cretino e, ainda assim, torcer pela vingança da sua protagonista. 

A trama, apesar de bem desenvolvida, não é complexa e me cativou por sua leveza. Os personagens não tem grandes motivações mas seus desejos são muito compreensíveis e conforme a narrativa evolui, percebemos que eles evoluem também. O contexto histórico do romance é introduzido pela autora com sutileza e, portanto, a trama não trata apenas de amor mas também da necessidade iminente de um bom casamento (para os padrões da época). A conveniência e o desespero para salvar famílias da falência ou da desonra tinham um peso muito maior que o amor.

Lady Georgiana e Tristan Carroway - o visconde de Dare - não se suportam. Algo que aconteceu no passado gerou entre eles um ódio inexplicável e constantemente em eventos da sociedade londrina, os dois trocam farpas e provocações nada sutis. A fama de sedutor arrogante acompanha o rapaz desde sempre e ele parece não se importar com isso.

Georgiana descobre que Tristan está em busca de uma esposa para salvá-lo da ruína e decide proteger a pobre coitada que for casar com o visconde de se apaixonar por um cretino. Disposta a ensinar-lhe como tratar uma mulher, Georgie se reaproxima dele para uma lição que ele nunca vai esquecer. O que a jovem não imagina, é claro, que o passado dos dois pode complicar esse plano ardiloso.

Os muitos personagens coadjuvantes enriquecem a narrativa e as situações criadas por Suzanne Enoch são divertidíssimas, desde os diálogos até os planos mirabolantes de Georgie. Como o amor e o ódio sempre estão muito próximos, a lição que o leitor vai aprender durante essa história é a de que a vingança nunca afeta só aquele que a sofre.

"- Você não segue os conselhos dos seus pulmões ou dos seus rins, segue?
- O que... 
- Então não dê tantos ouvidos ao seu coração..." (p. 224)

Sinopse: Era uma vez um notório visconde Dare, que seduziu lady Georgiana Halley e tomou sua inocência para ganhar uma aposta, e agora ele vai ter que pagar. O plano é simples: ela vai usar cada artifício de conquista que conhece para ganhar o coração de Dare, e então quebrá-lo. Mas o olhar do visconde tenta Georgiana a se entregar ao prazer mais uma vez, e quando ele a surpreende com um pedido de casamento, ela se pergunta: esse é mais um de seus jogos, ou dessa vez é amor verdadeiro?

"- Eu realmente gostaria que me coração e minha cabeça tomassem as mesmas decisões, no entanto.
Frederica franziu o cenho. Isso era ainda pior do que imaginara.
- Não gostaríamos todos?" (p. 237)

maio 11, 2018

[Livros] Amanhã - Joseph Conrad (Coleção Inglês com Clássicos da Literatura #4)

Título Original: To-morrow
Autor: Joseph Conrad
Editora: Folha de São Paulo
Páginas: 96
Gênero: Contos, Clássico
País: Ucrânia
ISBN: 9788593876677
Classificação: ★★★
_______________

Uma belíssima obra literária, Amanhã é um dos melhores contos publicados - até agora - na coleção Inglês com Clássicos da Literatura. A forma com Joseph Conrad expõe as personalidades, emoções e os anseios de seus personagens é única. Em poucas páginas, o autor nos convida a pensar sobre ilusões, expectativas e a ânsia por um amanhã que nunca vai chegar.

A profundidade emocional e a análise psicológica que se encontra nessa história é fascinante. Os protagonistas, bem como o ser humano em geral, foram construídos sob camadas de mágoas e desejos que se fundem e tornam complexos seus sentimentos. Em algum nível, todos desejam algo que está fora de alcance. Seria então a realidade uma destruidora cruel de ilusões?

Um velho que perdeu seu filho e anseia por seu retorno, uma moça que anseia uma vida diferente, um jovem que anseia pelo mundo. Sonhos podem nos manter vivos bem como podem nos destruir. Passar a vida esperando faz com que não vivamos o presente e o preço a pagar por isso é muito alto. Quem dera pudéssemos ter certeza do futuro como o velho louco que sabe que o filho vai retornar. O amanhã é incerto e nossas expectativas são apenas desejos que nos enlouquecem. Espere pelo sol no dia seguinte, nada além disso.

"- Estranho, não é? - ele perguntou a ela. - Amanhã? Pois bem! Nunca vi nada igual. É semore amanhã, então, não há nenhum tipo de hoje, pelo que entendo." (p. 62)

Sinopse: O tranquilo vilarejo de Colebrook, na costa de Kent, foi escolhido por Joseph Conrad como cenário para contar uma história de inquietude e obsessão. “Amanhã” reúne todos os ingredientes de uma típica trama conradiana: um egoísta exasperado e obsessivo, Hagberd, e uma altruísta de coração simples e nervos um pouco frágeis, Bessie – por motivos distintos, os dois não conseguem se opor às ações de Harry, filho do velho Hagberd, que, com sua vitalidade quase animal, serve como verdadeiro elemento de ruptura.

Neste drama de incompreensão e violência é notável a atitude quase simpática do autor em relação a Bessie: a delicadeza com que o escritor sugere os sentimentos complexos, mas substancialmente não exprimidos, da jovem (em primeiro lugar, a necessidade de amor) não é muito frequente na produção de Conrad que, neste conto, coloca o foco com eficiência sobre a análise da vida e da psicologia das pessoas aflitas por falsas esperanças e ilusões totalizadoras, fruto de imaginações doentias ou desejos reprimidos.

"- Mas é a busca de algo - de alguma coisa... Às vezes eu acho que sou um tipo de gambucino." (p. 82)

[Livros] Despertar - Nina Lane (Espiral do Desejo #1)

Título Original: Arouse
Autor: Nina Lane
Editora: Paralela
Páginas: 320
Gênero: Romance, Ficção
País: EUA
ISBN: 9788584391035
Classificação: ★★★
_______________

Um livro inesquecível, Despertar, primeiro volume da série Espiral do Desejo, faz com que nos apaixonemos pela escrita da autora e por seus protagonistas em uma história de companheirismo, superação e amor. Mais maduro do que eu esperava, esse romance conta a história do que realmente vem depois do "felizes para sempre".

Diferente dos livros de conteúdo adulto que costumo ler, essa série de Nina Lane traz personagens mais velhos - na casa dos trinta - com dramas e questionamentos prudentes e pertinentes ao casamento. Os temas abordados não são nada surpreendentes, pelo contrário, são tão comuns que refletem os nossos próprios dramas diários: os desafios de um casamento, a rotina, o medo de envelhecer, de fracassar, de repetir os erros dos nossos pais. A narrativa, no entanto, é tão deliciosa que transforma numa ótima história, o cotidiano.

Dean e Olivia são aquele tipo de casal que permanece apaixonado depois de anos de casamento. O tempo, no entanto, se encarrega de trazer a tona alguns segredos e mudar decisões que eles tomaram no início do relacionamento. O amadurecimento do casal e do relacionamento é narrado em flashbacks alternados com o presente e esse recurso é utilizado com primazia por Nina Lane. Nos envolvemos tanto com os protagonistas que compreendemos o que os mantém juntos.

Uma história de amor real, Despertar tem uma linguagem sexy e cenas sensuais que prometem despertar o desejo de um casamento como o desse livro. A mensagem incrível que esse livro deixa é que não é fácil amar e dar tanto de si ao outro, no entanto, as coisas mais difíceis são as que valem mais a pena.

"- Não sou... - engoli a saliva para tentar aliviar a secura na garganta. - Não sou como as outras garotas.
- Eu sei.
- E não se incomoda com isso?
- Nem um pouco." (p. 116)

Sinopse: Um casamento baseado no amor, no desejo e na confiança. Um segredo guardado com a melhor das intenções. Um relacionamento — intenso e imperfeito — colocado à prova. Dean West é o grande amor e o porto seguro da vida de Olivia. Um marido dedicado, um parceiro intenso e, acima de tudo, um homem completamente apaixonado por sua mulher.

Conhecedor dos segredos mais obscuros da esposa, Dean a possui por completo — hoje, amanhã e sempre. Mas o casamento aparentemente perfeito dos dois é abalado quando Olivia descobre uma faceta até então desconhecida do passado do marido. Será que a força dos sentimentos que eles têm um pelo outro será capaz de prevalecer sobre a dor da decepção? 

Neste primeiro livro da série Espiral do Desejo, a autora best-seller Nina Lane dialoga com o romântico que habita em todos nós, através da história de um casal apaixonado e imperfeito que conta com o poder do amor para superar as dificuldades encontradas pelo caminho.

"Adoro ver isso nela. Quando olhou para mim detrás do balcão do Jitter Beans, com os olhos castanhos brilhando de sinceridade 'Quer que eu deixe espaço para o chantili?', meu coração quase pulou pela boca.
Foi como se tivesse dito: 'Quer que eu dixe espaço na minha vida? Ou na minha cama?" (p. 242)

maio 08, 2018

[News] Livro original de Sweeney Todd será publicado no Brasil


Originalmente publicado em 1846, na Inglaterra Vitoriana, Sweeney Todd, o barbeiro demoníaco da Rua Fleet é uma das Penny Dreadfuls mais famosas e queridas de todos os tempos. Lançado periodicamente em capítulos, em um formato semelhante ao folhetim, a história do barbeiro que assassinava seus clientes e fornecia a carne dos corpos para a fabricação das tortas mais famosas de Londres ganhou grande popularidade no século XIX, sendo posteriormente adaptada para o teatro e também para as telonas, graças ao diretor de cinema Tim Burton.


A obra completa 172 anos agora em 2018, e a Editora Wish, já conhecida pelo seu trabalho com textos antigos, abriu no dia 07 de maio uma campanha de financiamento coletivo para publicar o livro, até então inédito no Brasil. A campanha ficará no ar por dois meses, e em suas primeiras 24 horas já arrecadou mais de 30% da meta. Para realizar a publicação, a editora precisa arrecadar no mínimo R$ 22.103,00. Quem colaborar vai receber exemplares da obra e brindes extras.

SERVIÇO:

Direção e projeto gráfico: Marina Avila – CEO da Wish
Tradução: Ana Death Duarte
Revisão: Karine Ribeiro
Prefácio: Valquíria Vlad
Administração de Envios: Marcia Avila
Apoios a partir de: R$ 25,00 (R$ 47,00 para o livro impresso com frete grátis)

maio 07, 2018

[Livros] O Aniversário da Infanta - Oscar Wilde (Coleção Inglês com Clássicos da Literatura #3)

Título Original: The Birthday Of The Infanta
Autor: Oscar Wilde
Editora: Folha de São Paulo
Páginas: 76
Gênero: Contos, Clássico
País: Reino Unido
ISBN: 9788593876660
Classificação: ★★★
_______________

Uma fábula lindamente construída para alegorizar a sociedade, O Aniversário da Infanta é, até agora, um dos meus volumes favoritos da coleção Inglês com Clássicos da Literatura. Esse terceiro volume traz um conto repleto de verdade e um reflexo do pensamento crítico e inconformado do autor sobre seu tempo.

A estória se passa em tempos antigos mas o sentimento que ela deixa é muito atual: a busca pela perfeição e pela beleza que objetifica pessoas e as transforma em entretenimento. Nos transformamos em produtos da reação que causamos nos outros e nossos sentimentos não importam mais.

A protagonista, uma princesa mimada que tem o reino a seus pés, se parece muito com o tipo de jovem que pertence a geração atual, apesar de ter tudo, sente falta do afeto dos pais. Tudo o que importa, no entanto, são as aparências e, por isso, a menina parece sempre encantadora. 

Em seu aniversário de doze anos, uma grande festa é organizada e junto com seus súditos ela procura se divertir. Uma das atrações de seu aniversário é um anão, tratado por todos com desdém, como se fosse uma aberração. Ele, porém, faz feliz seu trabalho e entretém seu público enquanto se apaixona pela princesinha. Um amor platônico e impossível devido ao abismo social e "estético" que existe entre eles.

Com um final bastante característico dos textos de Oscar Wilde e utilizando animais e plantas como alegorias claras, O Aniversário da Infanta descreve sua indignação com os valores da época e ilustra o que realmente deveria ser considerado belo. Quanto valor tem a beleza? E quanta beleza tem o nosso real valor?

"Os Lagartos eram extremamente filosóficos por natureza e com frequência ficavam horas e horas pensando, isso quando não tinham mais o que fazer ou quando o tempo era chuvoso demais para saírem.
As Flores, porém, ficaram muito incomodadas com o comportamento deles e também com o dos pássaros.
- Isso só mostra - diziam elas - o quanto essas correrias e voos incessantes têm como efeito a banalização. Pessoas bem-nascidas sempre ficam exatamente no mesmo lugar, como nós." (p. 46)


Sinopse: Na Espanha dos séculos XVI-XVII, começam os preparativos para o aniversário de 12 anos da Infanta, a filha de um rei perpetuamente entristecido devido à morte, pouco após o parto, da mulher muito amada, que ele mandou embalsamar e todo mês vai visitar na capela onde ela repousa.
 
Participam da festa todos os rebentos da aristocracia da Corte, vestidos com incômodos trajes e que se divertem com vários espetáculos: touradas simuladas, tragédias encenadas por marionetes italianas, danças ciganas e prodígios de malabaristas.

"Mas o anãozinho não dava a mínima para toda essa magnificência. Não trocaria sua rosa por todas as pérolas do dossel, nem uma única pétala branca de sua rosa pelo próprio trono." (p. 58)


maio 03, 2018

[Livros] O Caibalion - Edição Definitiva e Comentada - William Walker Atkinson

Título Original: The Kybalion - The Definitive Edition
Autor: William Walker Atkinson
Editora: Pensamento
Páginas: 328
Gênero: Esoterismo, Ocultismo, Filosofia
País: EUA
ISBN: 9788531519994
Classificação: ★★★
_______________

Um estudo completo sobre filosofia hermética, Caibalion é uma das leituras mais incríveis que eu já realizei. Em uma conexão profunda com muitos dos meus pensamentos e filosofias agnósticas, essa edição comentada da obra de William Walker Atkinson dialoga com meu próprio Todo. 

Philip Deslippe introduz essa obra complexa e de difícil compreensão com as palavras certas, tornando todo o conhecimento contido nos textos de Atkinson acessível aos leitores. O conteúdo ocultista e filosófico é bastante denso, repetitivo, confesso que não foi uma leitura fácil mas foi extremamente proveitosa. Minha fé - agnóstica - se aproxima bastante da filosofia hermética e, portanto, as Leis Cósmicas abordadas pelo autor ressoaram meu sistema de crenças.

De forma quase que didática, a edição definitiva de Caibalion, - que vem a ser obra ocultista mais lida do século XX -, analisa cada uma das leis universais apresentadas no manuscrito original e investiga com detalhes o mistério entorno de sua autoria. Unindo dois grandes textos atribuídos ao enigmático William Walker Atkinson que utilizava pseudônimos em quase toda a sua produção, este é um volume especial, que ilumina uma jornada de conhecimento.

Um clássico do esoterismo e da filosofia ocultista, este livro vai desmitificar o conceito de oculto, conhecimento e até mesmo questionamento. É uma obra que se baseia supostamente na sabedoria dos Antigos Egito e Grécia e inspira aqueles que acreditam no Universo como um sistema regido por leis. Em constante movimento e vibração, tudo ao nosso redor está conectado e faz parte do Todo. Seja qual for a sua crença, por fim, todos acreditamos em algum tipo de propósito - aleatório ou não - para nossa existência, apenas damos diferentes nomes a ele. 

"Poucos de cada geração estão preparados para a verdade, ou podem reconhecê-la se ela lhes for apresentada." (p. 64)

Sinopse: Publicado desde 1910 pela Editora Pensamento e com mais de 500 mil exemplares vendidos, esta renomada obra supostamente baseada na sabedoria do Antigo Egito e na Grécia Helenística, tem sua autoria atribuída apenas aos enigmáticos “Três Iniciados”, desde sua primeira publicação nos Estados Unidos em 1908. Esta edição apresenta tanto o texto original do Caibalion quanto a primeiríssima publicação de uma obra até então desconhecida de William Walker Atkinson, estabelecido como seu único autor – As Sete Leis Cósmicas – no qual ele expõe a tese central de O Caibalion de que a existência é regida por sete leis universais.

"Onde encontrarmos uma coisa, encontraremos seu oposto: os dois polos.
E esse é o fato que permite ao Hermetista transmutar um estado mental em outro, conforme os ditames da Polarização. As coisas pertencentes a diferentes classes não podem ser transmutadas entre si, mas as de uma mesma classe podem sê-lo, isto é, sua polaridade é passível de modificação. Assim, o Amor nunca se transformará em Leste ou Oeste, tampouco em Vermelho ou Violeta -, mas pode se transformar em Ódio e, frequentemente o faz - do mesmo modo que o Ódio pode ser transformado em Amor, bastando-lhe, para tanto, mudar de polaridade." (p. 154)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...