dezembro 11, 2017

[Livros] Textos Cruéis Demais Para Serem Lidos Rapidamente

Título Original: Textos Cruéis Para Serem Lidos Rapidamente
Autor: TCD
Editora: Globo Alt
Páginas: 304
Gênero: Coletânea, Textos
País: Brasil
ISBN: 9788525065360
Classificação: ★★★★
_______________

Textos Cruéis Demais Para Serem Lidos Rapidamente é um chute no estômago. Esse livro fala sobre morrer de amor ou da falta dele e, ainda assim, ter que continuar vivendo. Com uma exposição de sentimentos e histórias tão intensos quanto o título sugere, a coletânea tritura e esmigalha corações que  já estavam partidos. Cada fragmento narra a dor, o desespero e a tristeza que permeiam as relações humanas, e essa percepção da realidade é, de fato, excruciante.

Com uma diagramação linda e ilustrações de Anália Moraes, Textos Cruéis Demais... é uma obra-prima que une diferentes linguagens para falar de sentimentos complexos. Todos os textos iniciam-se sem maiúsculas, como se não se importassem com regras ou como se não coubessem limitações para o sentir, isso faz com que cada fragmento pareça incompleto dentro de sua completa significância.

Dividido em quatro "temas centrais", o livro segue como que em fluxo de pensamento, mais que isso, sentimento, e nos leva a uma jornada de reflexão. Pelo menos uma das situações que inspirou os textos já aconteceu com seus autores, bem como conosco e essa identificação torna a dor ainda mais palpável. 

Muitos livros mexeram comigo de diferentes maneiras, mas esses textos chegaram a mim no momento em que eu mais precisava deles. Cada pedrada no coração ajudou a abrir feridas que não estavam cicatrizadas para que eu pudesse finalmente limpá-las e seguir em frente. A crueldade não está nas palavras impressas deste livro, mas sim nas lágrimas salgadas que teimam rolar pelo nosso rosto quando um texto nos compreende.

"a dor surgia de assimilar que você era igual aos outros caras que encontrei por aí. de que você poderia ser diferente de todos ele mas que, mesmo assim, preferiu ser igual." (p. 27)

Sinopse: Indo contra a tendência dos textos curtos e superficiais que são postados nas redes sociais, o coletivo literário Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente (TCD) passou a produzir e compartilhar um conteúdo extenso, profundo e extremamente poético em suas páginas no Facebook e no Instagram. 

Com seus escritos e ilustrações, eles acabaram atingindo um público muito maior do que o esperado, nos mostrando como, apesar da crescente agilidade que nossa comunicação exige, ainda precisamos de tempo para digerir e entender nossas complexas relações humanas. Para este livro, foram produzidos textos inéditos que ganharam a companhia das sensíveis ilustrações de Anália Moraes.

"a metáfora é que quanto mais luz, mais dor, você era um raio solar em pleno meio-dia em horário de verão." (p.204)


novembro 15, 2017

[Livros] Mister O. - Lauren Blakely

Título Original: Mister O.
Autor: Lauren Blakely
Editora: Faro Editorial
Páginas: 272
Gênero: Romance Erótico, Ficção
País: EUA
ISBN: 9788595810020
Classificação: ★★★★
_______________

Mister O. é o segundo livro de Lauren Blakely que tenho o prazer de ler e traz um divertido e sensual romance vivido pela irmã do protagonista de Big Rock. Intenso e mais explícito que o anterior, esse é o tipo de leitura que nos vicia e faz com que torçamos para que a mocinha se apaixone pelo personagem principal como nós nos apaixonamos. 

Seguindo uma linha mais cômica e com tiradas inteligentes, Lauren Blakely constrói uma narrativa dentro da narrativa e compara seu protagonista à criação artística que dá nome ao livro. Nick Hammer, trocadilhos à parte, é um famoso ilustrador e deu origem a um desenho animado - para adultos - de sucesso.

Nos quadrinhos e na série televisiva inspirada no Mister Orgasmo, Nick criou um super-herói que salva mocinhas insatisfeitas. Ele ajuda o mundo fazendo com que elas se satisfaçam. A proposta já é engraçada, chegando a ser ridícula e essa é a real intenção da autora, mostrar que falar sobre sexo pode ser divertido e não deve ser um tabu. 

Como seu alter-ego, Nick é um expert em conquistar mulheres e coloca parte de suas experiências pessoais em suas histórias. O resultado disso é a fama de pegador que o acompanha por toda parte. Todas as mulheres caem a seus pés e ele deixa claro que tem o objetivo de satisfazê-las ao extremo. Afinal, que pra quê outro superpoder, né?

O único problema é que Nick tem uma quedinha pela irmã do seu melhor amigo, a única garota expressamente proibida para ele. O típico clichê de se apaixonar pela única pessoa no universo que você não pode ter. Quem nunca? 

Harper Holiday é tão carismática quanto seu irmão e nos conquista com uma mistura de ingenuidade e safadeza. Ela é, no entanto, um desastre no quesito amoroso e resolve pedir ajuda para alguém que entende do assunto. Ela nem imagina que essas "aulas" de sedução serão uma espécie de tortura e prazer para os dois, quanto mais tempo juntos eles passam, mais difícil fica tentar manter a distância.

Fofo, engraçado e cheio de piadas de duplo sentido, Mister O. é um tom diferente do seu antecessor e, confesso, a leveza do anterior me conquistou mais. De qualquer forma, é impossível não se encantar por esse casal improvável e torcer para que eles consigam salvar um ao outro.

"Talvez eu esteja dando a isso um significado maior do que de fato tem, mas é como se a Harper estivesse retribuindo, sabe? Como se ela quisesse exatamente a mesma coisa: o próximo capítulo daquele beijo que começou fora da sua casa. Assim, eu respondo:
- Que tipo de beijos?
- Beijos que me fazem derreter.
- São o melhor tipo." (p.101)

Sinopse: Nick Hammer tem a vida que todo cara sempre sonhou: dinheiro e mulheres lindas aos seus pés, que não esperam nada em troca além do melhor sexo de suas vidas. E tudo isso graças ao seu personagem, Mister Orgasmo, que saiu das páginas dos gibis para ganhar um programa na televisão. Agora Nick se tornou o mentor sexual de homens ao redor do mundo e o objeto de desejo de todas as mulheres. Para para Nick, e seu alter ego Mister O, a receita é simples: dar prazer, sempre! 

Mas tudo isso pode estar em risco quando um pedido acontece. Harper, A irmã de seu melhor amigo, Spencer Holiday, também quer aprender as valiosas lições de Nick e Mister O. Harper é divertida, inteligente, linda e irresistivelmente sexy. E lutar contra o desejo de ter ela em sua cama será o pior pesadelo de Nick. Mister O vai conseguir “salvar” essa mocinha e ainda não ferrar a relação com o seu melhor amigo? Um romance divertido, leve, sexy e que vai arrancar suspiros dos leitores. Afinal, não dizem que o amor e a amizade andam lado a lado? Talvez eles até possam dormir na mesma cama.

"Eu quero que a Harper seja feliz em todos os sentidos: na cama e fora dela. Não pretendo proporcionar a essa mulher apenas dez mil orgasmos. Quero vê-la sorrir mais vezes do que puder contar." (p. 227)



novembro 10, 2017

[Livros] A Invasão de Tearling - Erika Johansen (A Rainha de Tearling #2)

Título Original: The Invasion Of The Tearling #2
Autor: Erika Johansen
Editora: Suma de Letras
Páginas: 400
Gênero: Fantasia, Distopia,
País: EUA
ISBN: 9788556510471
Classificação: ★

_______________

A Invasão de Tearling, segundo volume da série A Rainha de Tearling, é ainda melhor que seu antecessor e traz as consequências catastróficas dos acontecimentos do primeiro livro. O livro de Erika Johansen se destaca de outras fantasias justamente por ser uma mistura de gêneros e abordar com maestria as mais importantes críticas sociais contemporâneas. Em um ritmo intenso e, ainda assim excessivamente descritivo, a narrativa acompanha o desenvolvimento da protagonista e seu crescimento na trama.

A construção da forte protagonista feminina, que foi o foco do primeiro volume, atinge seu ápice quando Kelsea passa a se perceber como mulher, rainha e entender seu poder - em todos os sentidos. Com uma mensagem feminista sólida, a autora expõe diferentes facetas da discriminação contra a mulher, abordando o problema em diferentes momentos da História do Tearling e trazendo os pontos de vista únicos de suas personagens.

Críticas sociais e políticas permeiam toda a narrativa e a tentativa de um sistema igualitário se mostra falha quando percebemos que o poder pode cegar até mesmo um bom líder, derrubando qualquer sistema de governo. A autora expõe os anseios de uma sociedade desesperada por um futuro melhor e que acaba, como na vida real, repetindo os mesmos erros do passado enquanto tenta evitá-lo.

Em uma série que envolve magia, fantasia, política, distopia e certa dose de terror, Erika Johansen evidencia problemas reais em uma história surpreendente, perturbadora e extremamente crítica. A relação entre o passado e o futuro é genial, estando um diretamente conectado ao outro e às consequências das escolhas de pessoas que ousaram tentar mudar as coisas. 

Épicos embates metafóricos estão presentes em A Invasão de Tearling, há o bem contra o mal, a tecnologia versus a ignorância, o conservadorismo contra o liberalismo, a fé em oposição ao ceticismo, o conformismo em contraposto à rebeldia, entre outros. Cada uma dessas falsas dicotomias é explorada sabiamente pela trama e compõe a personalidade de personagens fortes que têm motivações consistentes.

O tom medieval que o universo distópico de Tearling apresenta é bastante diferente do que as distopias costumam apresentar e, por isso, sua trama é algo completamente novo, de certa forma, assustador e belo. A perspectiva de que o futuro culmine numa repetição do passado é aterrorizante e, infelizmente, cada vez mais real fora da ficção. A diferença é que não temos magia para tentar evitá-la.

"A Travessia foi mais de três séculos antes, mas aquele mundo de repente parecia muito próximo, separado por um fino véu de tempo.
Deus grandioso, pensou Kelsea com desolação, não mudamos nada?" (p. 83)

Sinopse: Kelsea Glynn é a rainha de Tearling. Apesar de ter apenas dezenove anos e nenhuma experiência no trono, Kelsea ficou rapidamente conhecida como uma monarca justa e corajosa. No entanto, o poder é uma faca de dois gumes. Ao interromper o comércio de escravos com o reino vizinho e tentar conseguir justiça para seu povo, ela enfurece a Rainha Vermelha, uma feiticeira poderosa com um exército imbatível. 

Agora, à beira de ver o Tearling invadido pelas tropas inimigas, Kelsea precisa recorrer ao passado, aos tempos de antes da Travessia, para encontrar respostas que podem dar ao seu povo uma chance de sobrevivência. Mas seu tempo está acabando... Nesta continuação de A rainha de Tearling, a incrível heroína construída por Erika Johansen volta para outra aventura cheia de magia e reviravoltas.

"Ela tentou sentir pena dele, mas só conseguiu um pouco. Pen ficava ao lado da rainha todos os dias, sua espada protegendo-a do mundo inteiro. Com certeza aquilo era recompensa suficiente.
O amor era real, pensou Aisa, mas secundário. Sem dúvida o amor não é tão real quanto minha espada." (p. 164)


outubro 28, 2017

[Blogagem Coletiva] Leia.Seja.


A Leia.Seja é uma campanha é protagonizada por um time de personalidades do esporte, das artes cênicas, da música e da comunicação, convidadas a incorporar personagens icônicos da literatura brasileira e mundial. O técnico de vôlei Bernardinho se vestiu de Capitão Rodrigo, de “O tempo e o vento”, de Érico Veríssimo; o publicitário Washington Olivetto e a cantora Baby do Brasil fizeram Visconde de Sabugosa e Emília, de “Reinações de Narizinho”, de Monteiro Lobato; a apresentadora Bela Gil virou a Capitu de “Dom Casmurro”, de Machado de Assis; o ator Cauã Reymond se fantasiou do protagonista de “Dom Quixote”, de Miguel de Cervantes; e o jornalista Pedro Bial aparece como o detetive de “As aventuras de Sherlock Holmes”, de Arthur Conan Doyle.

O conceito da ação parte da ideia de que, quando lemos, nos tornamos parte da história – ler estimula a imaginação, a criatividade e a inspiração; faz rir e chorar, refletir e viajar. Nas peças, as personalidades dão vida aos personagens, lendo trechos dos títulos escolhidos. Assim que fecham os livros, voltam a ser eles mesmos, com o semblante transformado pelo prazer e a reflexão que uma boa leitura oferece.

O grupo foi fotografado e filmado por Miro, um dos mais consagrados fotógrafos brasileiros, em cenários que remetem às obras. As imagens publicitárias serão utilizadas em anúncios impressos, mídia digital e urbana.

“O Brasil precisa com urgência de uma revolução de cidadania e ética, e acreditamos que a leitura tem um papel fundamental a desempenhar nessas áreas. A campanha ‘LEIA.SEJA.’ quer mostrar exemplos de pessoas reconhecidas pelo público em geral, que tiveram suas trajetórias marcadas pelos livros de diferentes maneiras”, afirma Marcos da Veiga Pereira, presidente do SNEL. “Nosso desejo é que essa ação reverbere pelos meses seguintes, estimulando o hábito da leitura ao redor do país e propondo uma conscientização sobre o seu valor”, completa.


Pereira comemora os passos da ação até o momento. “Começamos a campanha Leia.Seja. com o pé direito na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, com excelente repercussão e envolvimento do púbico. Nessa primeira fase da campanha, conseguimos alcançar mais de 1,1 milhão pessoas nas redes sociais. A partir de outubro, peças começarão a ser veiculadas e estarão decorando as livrarias de várias partes do Brasil, e contamos com o engajamento de todos nas celebrações do Dia Nacional do Livro”, diz.

“Leia.Seja.” nas redes sociais

Em pouco mais de um mês de presença nas redes sociais, a Leia.Seja alcançou uma média de mais de 37 mil pessoas por dia no Facebook e, no Instagram, a hashtag #leiaseja foi registrada em mais de 1.400 publicações públicas.

Com mais de 13 mil curtidas, a fanpage da campanha no Facebook reúne depoimentos de personalidades e leitores sobre obras que os inspiram, além de charadas, dicas e curiosidades sobre o universo literário.

Divida sua paixão pelos livros através de seu personagem favorito. Use as hashtags #LeiaSeja e #DiaNacionalDoLivro, marque os perfis nas redes sociais (@leiaseja) e divirta-se! Vamos juntos celebrar o valor do livro na sociedade.

outubro 23, 2017

[Livros] Amor Sem Medidas - Sophie Jackson (Desejo Proibido #3)

Título Original: A Measure Of Love
Autor: Sophie Jackson
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Gênero: Ficção, Romance, NA
País: EUA
ISBN: 9788580417500
Classificação:
★★★☆☆
_______________

Amor Sem Medidas é o terceiro volume da série Desejo Proibido e, assim como seus antecessores, traz a história de um homem em busca de redenção. Seguindo a fórmula clichê dos new adults dessa série, Sophie Jackson escreve mais um romance sensual e envolvente e nos faz suspirar por outro galã apaixonante.

A trilogia tem como tema principal a superação do passado. Desde o primeiro volume, conhecemos protagonistas que cometeram erros e buscam consertá-los para reencontrarem a si mesmos. A forma como a autora expõe os fatos sem sugerir um julgamento sobre as ações dos seus personagens é bastante sutil. Seus defeitos os tornam humanos e tiram o estigma da perfeição que os mocinhos dos romances geralmente carregam.

Envolvendo um crime, o passado de Riley Moore é sombrio e fez com que ele perdesse tudo o que tinha de mais valor - sua família, amigos e o amor da sua vida. A detenção fez com que ele se tornasse uma pessoa diferente mas, mesmo assim, as pessoas que confiavam nele não acreditam que ele possa realmente ter mudado.

Quando, por acaso, encontra a ex-namorada - Lexie - em sua cidade natal, Riley percebe o quanto a moça ainda mexe com ele, afinal, ela foi seu primeiro e único amor. Ela, no entanto, está diferente, mais madura, mais responsável e tem problemas maiores do que ele em sua vida, mas ainda o ama. Os segredos que os afastaram ressurgem e será preciso muito amor para superar todos os anos e decisões que os separaram.

Com um ritmo bem mais lento que Desejo Proibido e Paixão Libertadora, Amor Sem Medidas é romântico, fofo e tem seus momentos sensuais, mas não supera seus antecessores. Riley e Lexie funcionam juntos, mas tem uma química menor que os outros casais de protagonistas. A narrativa é bastante previsível e o rumo da história pode ser ditado já nos primeiros capítulos. Apesar disso, o livro conseguiu colocar um sorriso no meu rosto e aquecer meu coração. Não há medidas para o amor, nem para o quanto eu amo os protagonistas de Sophie Jackson.

"- Eu só queria dar alguma coisa para mostrar o que você significa para mim.
Riley contraiu os lábios e voltou a olhar o desenho.
- Um planeta?
Lexie fez que não com a cabeça.
- Não, seu bobo. - Lexie ficou mais séria. - O mundo. O mundo inteirinho." (p.44)

Sinopse: Tudo ia bem na vida de Riley Moore, um ex-presidiário que trabalha duro para se manter de forma honesta em Nova York. Um telefonema da mãe, no entanto, acaba tirando o rapaz dos eixos: o pai está internado em estado crítico, depois de sofrer o segundo ataque cardíaco em menos de dois anos.

Para estar ao lado da mãe nesse momento tão difícil e tentar resolver seus conflitos com o pai antes que seja tarde demais, Riley deixa tudo para trás e retorna a Michigan, sua terra natal, pela primeira vez em cinco anos.

Mas lá não estão apenas os pais de Riley e as memórias de sua família: Lexie Pierce ainda vive na cidade. Grande amor da vida de Riley, ela também foi a responsável por deixar seu coração em pedaços.

Como se a alma de um atraísse a do outro, o encontro entre os dois é inevitável. As lembranças de um amor poderoso fazem Riley querer Lexie de volta aos seus braços. Entretanto, a garota esconde um grande segredo, capaz de colocar à prova a confiança e os sentimentos do rapaz. Será que eles conseguirão superar a dor e o sofrimento de sua história para enfim viverem felizes para sempre?

"Tinha sido muito fácil se apaixonar por Riley, anos antes. Tudo tão simples, sem qualquer esforço. Foi quase como entrar debaixo de lençóis limpos, usando um pijama recém-tirado da gaveta: uma sensação de acolhimento, de calma, de segurança." (p. 173)


outubro 19, 2017

[Livros] Uma Bolota Molenga e Feliz - Sarah Andersen

Título Original: Big Mushy Happy Lump
Autor: Sarah Andersen
Editora: Seguinte
Páginas: 136
Gênero: Tirinhas, Humor
País: USA
ISBN: 9788555340451
Classificação: ★★★
_______________

Segunda compilação de tirinhas da página Sarah's Scribbles, Uma Bolota Molenga e Feliz reúne fofas - e verdadeiras - pequenas histórias da genial Sarah Andersen. Com um tom sarcástico e bem humorado, o livro critica alguns padrões estabelecidos e aborda questões psicológicas que afetam, em especial, os jovens adultos no século XXI.

As ilustrações de Sarah Andersen retratam o cotidiano e seus traços fofinhos em meio às suas ácidas tiradas são sua marca registrada. A diagramação continua impecável e a edição em capa dura é tão linda quanto a primeira, aliás, que bela coleção estamos formando. Em cores opostas, os dois volumes ficam incrivelmente bonitos juntos.

A única diferença de seu antecessor é que em Uma Bolota..., a autora contextualiza algumas de suas tirinhas e cria pequenas histórias em quadrinhos para expor uma situação. Os temas recorrentes e que afetam a nossa geração como fobia social, ansiedade, depressão, isolamento, carência, entre outras, estão representados e integrados ao cotidiano, infelizmente, vistos como algo comum. O que a sociedade insiste em fazer - transformar transtornos psicológicos e emocionais em sentimentos normais.

Inteligente e sagaz, Sarah criou uma personagem com a qual é fácil se identificar. Em pequenas cenas, a ilustradora consegue representar nossos medos e inseguranças, bem como nossas manias e vícios. Tão divertido quanto o primeiro volume, Uma Bolota Molenga e Feliz é uma leitura rápida e leve cheia de passagens memoráveis que vão se encaixar na sua vida como um bom blusão de namorado no inverno. 


Sinopse: As incríveis tirinhas de Sarah Andersen são para nós, que não economizamos dinheiro na livraria, vivemos à base de café, deixamos tudo para a última hora, somos especialistas em roubar o blusão alheio, não sabemos nos comportar em situações sociais e insistimos em Pensar Demais. Esta segunda coletânea continua exatamente onde a primeira parou: debaixo de uma pilha de cobertas, evitando as responsabilidades do mundo real. Este volume traz tiras que acompanham os altos e baixos da montanha-russa implacável que é o começo da vida adulta, além de ensaios ilustrados sobre experiências pessoais da autora ligadas a ansiedade, carreira, relacionamentos e amor por gatinhos. Tudo isso com o mesmo tom sincero, leve e divertido que já conquistou mais de 2 milhões de fãs no Facebook.


outubro 13, 2017

[Livros] Janelas da Mente - Ana Beatriz Barbosa Silva & Eduardo Mello Guimarães

Título Original: Janelas da Mente
Autor: Ana Beatriz Barbosa Silva e Eduardo Mello Guimarães
Editora: Globo Livros
Páginas: 192
Gênero: Contos, Psicologia
País: Brasil
ISBN: 9788525062994
Classificação★★★☆☆
_______________

Janelas da Mente é um livro de contos inspirados em transtornos mentais. Escrito por profissionais da área, Ana Beatriz Barbosa Silva e Eduardo Mello Guimarães, o livro conta histórias que se repetem na vida real e mostra as peculiaridades de cada caso. 

Os temas abordados vão de doenças ligadas à fobias, paranoia, obsessão, compulsão até psicopatia. Sem julgamentos, o livro descreve esses transtornos e os mostra como parte integrante da vida dos personagens. Na maioria dos casos, ninguém sabe que o indivíduo sofre com algum transtorno, nem mesmo ele. 

O impacto desse desequilíbrio vai além da própria pessoa, familiares, amigos, namorados, todos são afetados direta ou indiretamente por isso. Dos casos mais leves aos mais graves, os transtornos mentais afetam a qualidade de vida de quem passa por isso todos os dias, tornando infindável a batalha invisível que acontece em nossa cabeça.

Sofro com transtornos mentais - transtorno de ansiedade e emetofobia - há muitos anos e faço o possível para conviver com isso, alguns dias são mais difíceis que outros e é preciso muito apoio para não desanimar. A sensação de impotência, de não controlar o que acontece com seu corpo e sua mente é frustrante, mas saber que você enfrenta isso constantemente e segue vencedor, é a recompensa. 

Com Janelas da Mentes volta a tona a discussão sobre o que o século XXI fez com nossos cérebros. Os transtornos são cada vez mais comuns e a falta de informação sobre eles torna a vida que quem sofre muito pior. Existem muitos tratamentos, muita ajuda disponível e é importante que você saiba que não está sozinho. Por mais que você não consiga, de fato, ver uma saída, sempre há uma janela.

Sinopse: Em seu segundo mergulho na ficção, a psiquiatra e escritora Ana Beatriz Barbosa Silva brinda o leitor com doze contos a respeito dos comportamentos humanos disfuncionais. Este novo livro é fruto de uma parceria com o também escritor e publicitário Eduardo Mello Guimarães. Baseadas em casos que Ana Beatriz dissecou ao longo de sua carreira, as histórias tratam de temas polêmicos sem meias-verdades e tabus como compulsão, ninfomania e depressão, porém sem perder a leveza e o bom humor, em um texto ágil e dinâmico.

Em meio ao caos do universo urbano e através de uma narrativa inquietante, os autores constroem histórias repletas de drama, humor e emoção que irão fazer com que o leitor se pergunte: onde está o muro que separa a ficção da realidade?


outubro 09, 2017

[Livros] Mr. Romance - Leisa Rayven (Masters Of Love #1)

Título Original: Mr. Romance #1
Autor: Leisa Rayven
Editora: Globo Alt
Páginas: 358
Gênero: Romance, Ficção
País: Australia
ISBN: 9788525064684
Classificação★★★★☆
_______________

Um livro que reúne todos os clichês românticos sedutores num personagem misterioso, Mr. Romance é mais do que uma boa leitura, um romance intrigante. O enredo criado por Leisa Rayven, bem como na trilogia Meu Romeu, envolve um personagem que está interpretando outros personagens. Suas múltiplas personalidades escondem o verdadeiro protagonista e fazem com que o leitor não saiba ao certo por quem se apaixonou.

A narrativa de Leisa é tão envolvente quanto os mocinhos que ela cria e nos conquista já no primeiro capítulo. Mr. Romance dialoga com seus leitores ao trabalhar clichês batidos em new adults contemporâneos e nos forçar a pensar sobre nossas expectativas românticas surreais. 

Eden Tate não acredita no amor e vive se envolvendo com babacas. A jornalista não vê motivo para desejar mais do que um relacionamento de uma noite, afinal, ela está focada em sua carreira que é mais fracassada ainda do que sua vida amorosa. Redatora de matérias duvidosas, Eden busca sua redenção com um grande furo de reportagem que a tire da lama de uma vez por todas. 

Um rumor sobre um tal de Mr. Romance começa a circular e a jornalista se interessa pela história de um galã que seduz a alta sociedade em troca de dinheiro. Determinada a desmascarar o rapaz e expor seu serviço de luxo, Eden começa uma caçada sem imaginar que talvez ela também precise de um pouco de romance em sua vida.

Max Riley não oferece fantasias sexuais às suas clientes, pelo contrário, ele oferece fantasias românticas, entregando tudo o que elas desejam em um homem - menos sexo. É uma forma de suprir as necessidades emocionais dessas mulheres mostrando a elas como um pouco de ficção poderia fazê-las felizes. Sob personalidades distintas, Max faz com que elas se sintam amadas e desejadas expondo-as à situações completamente diferentes das que elas estão acostumadas a viver, mas muito próximas dos clichês românticos que encontramos nos livros.

Enquanto escreve a matéria, Eden vai conhecendo um pouco do misterioso Mr. Romance e cada uma de suas facetas, parece ser mais encantadora que a anterior. Uma característica das narrativas de Leisa Rayven é o fato de o protagonista ser um ator. É muito interessante que não saibamos quem de fato é Max Riley, afinal, conhecemos apenas seus personagens. 

De uma forma inteligente, sensível e sedutora, Mr. Romance vai conquistar corações - tanto o protagonista quanto o livro. Todos precisamos de um pouco de romance em nossas vidas, clichê ou não, se apaixonar é como estar em um bom livro: a gente ama o mocinho e torce por um final feliz. 

"Todos nós temos questões que estamos tentando superar, senhorita Tate. Todo mundo quer se sentir especial, a gente admitindo ou não. E amar sem limites, nos permitindo ser amados de volta, é o que dá sentido à vida. Ou, pelo menos, é o que deveria dar. Todo o resto só atrapalha." (p. 106)

Sinopse: Max Riley pode fazer com que as fantasias mais incríveis ganhem vida: sob o alter-ego de Mr. Romance, ele pode ser um bilionário dominador, um bad boy inocente, um geek sexy ou qualquer outro homem que satisfaça os desejos das mulheres solitárias da alta sociedade de Nova York. 

No entanto, nada disso envolve sexo: são apenas encontros inesquecíveis. Intrigada com a lenda urbana de Mr. Romance, a jornalista Eden Tate está determinada a publicar uma matéria revelando sua identidade e suas artimanhas. 

Desesperado para proteger seu anonimato, Max desafia Eden a ter com ele três encontros: se ela não se apaixonar por ele, poderá publicar a matéria. Caso contrário, deverá esquecer a história. Eden não tem dúvidas de que conseguirá resistir a todos os falsos personagens de Mr. Romance, mas será que é seguro entrar no jogo do maior mentiroso de todos?

"Todas nós já nos machucamos. Todas nós temos cicatrizes em alguns lugares. Mas o romance nos permite esquecer disso por um momento e acreditar que contos de fadas podem ser reais. Nós vivemos em um mundo de homens falhos. Não há vergonha nenhuma em se permitir acreditar em um perfeito por um tempinho" (p.222)

setembro 24, 2017

[Livros] Meus Dias Com Você - Clare Swatman

Título Original: Before You Go
Autor: Clare Swatman
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Gênero: Romance, Ficção
País: Inglaterra
ISBN: 9788580417401
Classificação★★★★☆
_______________

Romance de estreia de Clare Swatman, Meus Dias Com Você narra uma emocionante história de arrependimento, perda e amor. Apesar do clichê romântico já visto em diversos filmes do gênero, a narrativa comove e nos faz pensar sobre as consequências de cada pequena ação. O casal de protagonistas é tão cheio de falhas que chega a ser palpável e, apesar de ser ficção, não é difícil se colocar no lugar deles.

A temática - voltar no tempo para consertar as coisas - é uma velha conhecida dos fãs de ficção científica que tem sido misturada aos romances contemporâneos. Quando incorporada à reflexão e ao arrependimento da protagonista, a chance de mudar o passado e, assim, tentar afetar o presente se torna seu objetivo. Ainda que exista paradoxo de que nada pode realmente ser mudado, o leitor torce para que tudo dê certo.

Começando pelo final e de forma impactante, a trama se desenvolve a partir da morte de Ed. Sua esposa, Zoe, se vê desolada e arrependida por ter brigado com ele na manhã do acidente. Eles nem sequer se despediram e a última vez que se viram sentiam raiva um do outro. O sentimento que o primeiro capítulo gera é de tristeza e angústia porque tantas vezes ficamos furiosos com alguém sem pensar que aquele pode ser nosso último encontro. As coisas pelas quais brigamos têm mesmo tanta importância?

No entanto, algum tempo após a morte do marido, Zoe acorda em um tempo diferente, num lugar conhecido onde Edward Williams ainda não morreu. Ela está na faculdade, no dia em que viria a conhecer o amor da sua vida e tem a chance de tentar mudar as coisas, quem sabe tentar salvá-lo.

Zoe recebe o privilégio de reviver os dias mais importantes da sua vida, mas por mais que tente mudar as coisas, as consequências são sempre as mesmas. Ela, então, decide aproveitar essa segunda chance para amar o marido de novo, mais do que amou pela primeira vez. É absolutamente devastador o desespero da protagonista ao fechar os olhos, sem saber se aquela será a última vez em que verá Ed. É um choque ainda maior pensar que deveríamos nos sentir assim todos os dias.

Apesar de previsível e clichê, Meus Dias Com Você traz uma mensagem tão linda que pouco importa se já a vimos diversas vezes. Às vezes, somos obrigados a viver uma experiência mais de uma vez para finalmente aprender algo com ela. Ainda não podemos alterar o nosso passado ou reviver nossos momentos favoritos, mas podemos aproveitar cada segundo como se fosse o último quando tomamos a consciência de que um dia será mesmo. 

"Quero dizer a ele que nunca é o momento certo, que a vida é muito curta para jogar as coisas fora, para perder tempo, para ficarmos separados. Mas não posso, e sei que um cara de 19 anos não tem como compreender isso." (p. 43)

Sinopse: Quando o marido de Zoe morre, o mundo dela desaba. Mas e se fosse possível tê-lo de volta? Numa fatídica manhã, Ed e Zoe têm uma discussão terrível, algo recorrente no seu casamento em crise, e ela acaba se despedindo de forma brusca quando ele sai para o trabalho.

Pouco tempo depois, um ônibus acerta a bicicleta de Ed, matando-o e deixando Zoe arrasada por não ter lhe dito quanto o amava. Se tivessem ficado mais um pouco juntos aquela manhã, ele ainda estaria vivo? Será que poderiam ter reconstruído o amor que os unira?

Após dois meses, Zoe ainda não conseguiu se conformar. De luto, decide cuidar do jardim do marido, quando acaba caindo e desmaiando. Então, algo estranho acontece: ao acordar, ela está em 1993, no dia em que conheceu Ed na faculdade.

A partir desse instante, Zoe passa a reviver momentos cruciais de sua vida e percebe que talvez tenha conseguido uma segunda chance: uma oportunidade de fazer tudo diferente, de focar naquilo que realmente importa, de mudar os rumos do relacionamento – e, quem sabe, o destino de seu grande amor.

"Ele está tão bonito e tão jovem, usando calça jeans rasgada no joelho e os cabelos caindo nos olhos, e meu coração se aperta um pouco mais, quase explodindo de amor. Meu Ed. 
E então aqui está ele, na minha frente, e seu rosto se abre em um sorriso largo quando me vê, e é como se o sol tivesse nascido." (p. 60)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...