junho 18, 2013

[Livros] Paperboy - Pete Dexter

Título Original: The Paperboy
Autor: Pete Dexter
Editora: Novo Conceito
Páginas: 336
Gênero: Ficção
País: EUA
ISBN: 9788581632186
Classificação★★★☆☆

_______________

Paperboy foi um livro difícil de ler, cheio de detalhes descritivos, alguns até em exagero, tornando suas mais de 300 páginas cansativas. O fato de o gênero thriller não ser o meu favorito também não ajudou, mas o palavreado literalmente de presidiários, incluindo termos grosseiros designando relações sexuais foi o que mais me incomodou, em certos pontos, me deu um pouco de nojo. Desculpe, Pete, mas poxa, você podia ter sido mais sutil.

Mas voltando à história, o texto é fascinante, apesar de um desenvolvimento lento, temos um final interessante. Me peguei várias vezes apreensiva tentando decifrar quem era o Hillary. Sim, Hillary é um homem, um presidiário que espera no corredor da morte, foi declarado suspeito de um crime e condenado.

Fomos introduzidos neste livro, à história de Ward e Yardley, dois repórteres em busca de um grande caso para investigar, eles levam Jack, irmão de Ward, nessa busca, e aí vemos como são feitas as grandes matérias investigativas dos jornais. Tudo começa com Charlotte Bless, uma mulher sensual que está decidida a tirar um homem da cadeia, afirmando que ele é inocente.

Os irmãos e o arrogante Yardley partem em busca do que pode ser um dos maiores furos jornalísticos de sua carreira. Alternando entre personagens de profundidade que chegamos até a gostar, como Ward, e outros mais superficiais, como Charlotte, a trama traz o lado obscuro dos julgamentos, do corredor da morte e dos fatos que antecedem a publicação de uma grande reportagem.

Pesado, então não sei se deveria ser recomendado à todas as idades. Como principal lição tirada desta leitura, posso dizer que erros, acabam com algumas pessoas. PS.: Gostei tanto de Ward quanto odiei Charlotte, Jack e Yardley. Corrupção e ética andam lado a lado nessa história, assim como na vida real.

"A minha intenção era salvar Charlotte Bless de se afogar no mar (...)
(...) Mas eu mal conseguia levá-la para a água."

Sinopse: Hillary Van Wetter foi preso pelo homicídio de um xerife sem escrúpulos e está, agora, aguardando no corredor da morte. Enquanto espera pela sentença final, Van Wetter recebe cartas da atraente Charlotte Bless, que está determinada a libertá-lo para que eles possam se casar. Bless tentará provar a inocência de Wetter conquistando o apoio de dois repórteres investigativos de um jornal de Miami: o ambicioso Yardley Acheman e o ingênuo e obsessivo Ward James. As provas contra Wetter são inconsistentes e os escritores estão confiantes de que, se conseguirem expor Wetter como vítima de uma justiça caipira e racista, sua história será aclamada no mundo jornalístico. No entanto, histórias mal contadas e fatos falsificados levarão Jack James, o irmão mais novo de Ward, a fazer uma investigação por conta própria. Uma investigação que dará conta de um mundo que se sustenta sobre mentiras e segredos torpes. “Paperboy” é um romance gótico sobre a vida aparentemente sossegada das cidades do interior. Um thriller tenso até a última linha, que fala de corrupção e violência, mas que, ao mesmo tempo, promove uma lição de ética.

"- Você ainda não viu o que acontece quando se tem razão, Jack - disse ele. - Quando compreende as coisas exatamente como elas são...
- O que acontece, então? - perguntei.
Ele sorriu pra mim, com o queixo engordurado brilhando.
- Faz com que seja possível suportar a situação - disse ele. E por um momento, tive a impressão que sua voz estava vindo da enfermaria.
- É impossível saber quem uma pessoa é, exatamente - eu disse, e aquilo pairou sobre a mesa, entre nós, por um longo período."


15 comentários:

  1. Bom como já passei dos 50 nada me escandaliza.
    Acho que é um livro daqueles, se vc tiver um pouco
    de paciencia, acaba gostando da história.
    Corrupção é um tema bem atual p/nós.
    Vou ficar feliz se ganhar!
    biga.alvarenga@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito atual! rs
      Estamos tão habituados à isso que não nos choca mais.
      E até achei a parte da corrupção a mais leve.. rs

      Excluir
  2. Gosto desse gênero, o uso de termos pesados costuma não me incomodar, acho que vou gostar desse livro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. =) espero que goste, é uma boa história! ;D

      Excluir
  3. O livro é diferente do que estou acostumada,mais vou experimentar pra ver se é bom. A busca da namorada para provar a inocência do namorado parece ser louvável,mas será que ele é realmente inocente? Vou ler e tirar minha dúvida. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem diferente do que eu costumo ler também, mas é bom variar, né? =) me incomodaram alguns aspectos, mas no geral é uma boa história.

      Excluir
  4. Apesar de gostar desse gênero, não curto muito palavreado pesado em livros. Eu quero muito ler esse livro. Cara, por mais que muita gente reclame de detalhes excessivos em livros , eu adoro! Me sinto no lugar do personagem. hahaha
    @jenifferhaddad

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, eu acabo não gostando quando eles não se encaixam numa passagem, e parecem forçados. Então isso me incomodou, mas o livro de forma geral tem detalhes interessantes, e inclusive, importantes pro desfecho. =)

      Excluir
  5. Na verdade eu não sou muito fã desse tipo de livro, mas ele realmente me parece digno. Sério. Só lendo pra saber.

    ResponderExcluir
  6. Eu amo esse tipo de livro e acho que quanto mais sério e chocante melhor. Creio que a intenção dele foi não ser sutil mesmo, já que não é um livro para crianças nem YA, então ele deve ser usado uma linguagem mais séria mesmo, eu ainda não li, mas eu espero que seja bom, estou com tantas expectativas para esse livro e eu espero realmente não me decepcionar. Odeio ficar esperando muito de uma história porque se ela for abaixo do que eu espero eu vou ficar triste.

    E a chamada da capa, de que não existem homens íntegros, me faz querer ler ainda mais. Que pena que você não gostou tanto, mas isso acontece, ainda mais porque você não gosta muito do gênero. PS. Você escreve muito bem =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah obrigada Adrielly! :)
      Realmente, acho que a intenção foi chocar, até porque o filme seguiu o mesmo estilo. Espero que você goste, confesso que o final é bem interessante e pra mim valeu o livro todo :)
      Acho que você não vai se decepcionar não, provavelmente não gostei porque não é meu gênero favorito mesmo :)

      Excluir
  7. Ah Mari, sempre achei que esse livro era bom e nem tinha lido uma resenha sequer sobre ele. Agora que li, nem estou animado para ler .-. Posso até ler outras para ver se alguém gostou, afinal tem muitas opiniões divergentes. O que gosto é da ideia de investigação, gosto dessa linha que até eu entro no meio disso rs. Mas sei lá né, parece fraco e não quero me decepcionar de novo com um livro u.u

    ResponderExcluir
  8. Livros realistas são bem legais, pois eles produzem um impacto em você. Acho que se eu lesse não me decepcionaria, a não ser pelo fato de você falar sobre as descrições exageradas, ai sim você pode ter certeza que cansa. Mas o que despertou minha curiosidade foi até você mencionar o palavreado dos presos. Fiquei curioso e imagino surpresas nessa história. To participando da promoção, beijos! Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  9. Oi,
    Adoro thriller e por isso já me interessei pelo livro. Como você disse que ele é muito detalhado deve ter ficado um pouco cansativo mesmo mas fiquei curiosa para ler. Interessante a história se passar numa prisão. Quero ler para tirar minhas próprias conclusões.
    bjs

    entrepaginasesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Eu comecei a ler As Crônicas de Gelo e Fogo, e, como foi o primeiro livro "adulto" que eu li, que possuia um palavreado mais vulgar, fiquei meio relutante no início. Porém, agora, todos os outros livros parecem muito infantis, pois no final tudo acaba bem. E bom, sabemos que não é sempre assim.
    Paperboy parece retratar uma realidade não tão bonita. Hillary matou uma pessoa, e, em qualquer outro livro, seria considerado vilão, com certeza. Porém, Paperboy retrata o outro lado da história, e mostra que toda ação tem uma reação.

    ResponderExcluir

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...