fevereiro 24, 2017

[Livros] Todo Mundo Vê Formigas - A. S. King

Título Original: Everybody Sees The Ants
Autor: A. S. King
Editora: Gutenberg
Páginas: 240
Gênero: YA, Ficção
País: EUA
ISBN: 9788582354117
Classificação★★★★★
_______________

Um dos young adults mais impactantes sobre bullying, Todo Mundo Vê (as) Formigas de A. S. King deixou meu coração em pedaços. A forma como a autora mostra a dor do protagonista e nos transmite esse olhar fragilizado sobre sua própria existência é genial e profundo.

Narrada em primeira pessoa, a história do jovem Lucky - nome que contrasta diretamente com sua vida - é cruel e cheia de pontos de identificação com a de muitos adolescentes. O bullying, a falta de atenção dos pais, o despreparo dos profissionais ao seu redor, a dificuldade em encontrar ajuda e, principalmente, a solidão. As formigas que o garoto vê são as únicas "pessoas" que o compreendem e isso é muito triste.

A perspectiva do protagonista é completamente afetada por seus traumas psicológicos, portanto, a leitura envolve diversas nuances de instabilidade e imprecisão. Pouco do que o garoto conta pode ser considerado verdadeiro, mas tudo pode ser considerado sincero. Em muitos momentos, Lucky escapa de sua vida e vai para o mundo dos sonhos, onde seu avô é eternamente mantido prisioneiro de guerra. Lá, ele se sente seguro. E se um adolescente se sente mais seguro em um campo de prisioneiros do que em casa, sua vida deve ser mesmo um inferno. 

Em diversos momentos, o leitor pode se perguntar: como é possível que ninguém veja o que está acontecendo? Mas sim, as formigas estão lá o tempo todo, andando sob nossos pés e, ainda assim, mal as notamos. Os pais de Lucky, definidos maravilhosamente pelo garoto como tartaruga e lula, não tem tempo, nem sabem como ajudar o filho e, por isso, se escondem em um casco ou nadam o dia todo para fugir de seus problemas. 

Infelizmente, Lucky não consegue fugir de seus problemas, pelo contrário, eles o perseguem. Um valentão o tortura desde os primeiros anos do ensino fundamental e não importa o que faça, nunca é punido. As marcas que o brutamontes Nader McMillan deixou em Lucky estão, não só em seu corpo mas, principalmente, em sua mente e isso muda tudo o que o livro representa. 

O protagonista recebeu uma missão especial: resgatar seu avô. Harry Linderman está desaparecido desde a Guerra do Vietnã e a partir do momento em que a avó pede ao menino para tentar salvá-lo, ele começa a sonhar com o avô todas as noites. O sonho é sempre parecido e o avô sempre conversa com o garoto, aconselhando-o e protegendo-o. De uma forma fantástica, Lucky se conecta com alguém que pode salvá-lo e não o contrário. 

Sem dúvidas, Todo Mundo Vê Formigas aborda a loucura e a dor de uma maneira brutal. O sofrimento e solidão de Lucky estão nas entrelinhas, escondidos por trás de suas palavras e distorcidos em suas narrações. Com seu realismo fantástico, A. S. King me fez olhar para baixo e o que eu vi me deixou estarrecida: milhares de formigas choram por todas as crianças que sofrem e, assim como elas, também não são vistas.

"Depois da aula seguinte, fui para o meu armário e encontrei mais um questionário do suicídio lá dentro. Estava escrito: se você fosse cometer suicídio, qual método escolheria? A resposta era - em letras de forma maiúsculas com marca-texto preto: EU ME ALISTARIA VOLUNTARIAMENTE E ME DEIXARIA EXPLODIR POR UMA BOMBA DE UM TERRORISTA. TALVEZ AÍ MEU PAI PRESTASSE ATENÇÃO EM MIM." (p. 102)

Sinopse: A 1ª coisa que você precisa saber é que tudo o que eu fiz foi uma pergunta idiota. 

A 2ª coisa que você precisa saber é que essa pergunta idiota me trouxe muitos problemas com Nader McMillan, o cara que faz bullying comigo desde que eu tinha 7 anos. E uma semana atrás ele pegou bem pesado comigo. Foi aí que eu comecei a ver formigas. 

A 3ª coisa que você precisa saber é que meu avô Harry desapareceu durante a Guerra do Vietnã e nunca foi encontrado. Então, todas as noites, eu tento resgatá-lo da sua prisão na selva em meus sonhos. Mas nunca consigo. 

A 4ª coisa que você precisa saber é que minha mãe é uma lula e meu pai, uma tartaruga. Ela tenta afogar os seus problemas nadando o dia todo em uma piscina pública, e ele nunca está por perto e desaparece dentro da casca no primeiro sinal de confronto. Então, se juntarmos Nader McMillan, a minha pergunta idiota, vovô, e tudo o mais na minha vida, somos só eu e as formigas.

"Me escuta aqui. Eles podem até controlar o que você faz, mas ninguém pode mijar na sua alma sem sua permissão." (p. 183)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...