setembro 02, 2012

[Livros] Um Homem de Sorte - Nicholas Sparks

Título Original: The Lucky One
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Páginas: 208
Gênero: Romance
País: Estados Unidos
ISBN: 9788563219138
Classificação★★★★☆

_______________

Um Homem de Sorte foi um livro que eu devorei, li em apenas dois dias, porque estava impaciente pelo final. Adoro a leitura de um bom romance do Sparks, apenas acho que o livro é relativamente morno se fizermos comparações com outros livros do autor.
Achei que faltou alguma coisa. Mas frases clichês, marcas registradas de Nicholas Sparks claro, marcaram o livro. Tive inclusive que rabiscá-lo todo, separando minhas passagens favoritas de Thibault. O personagem principal conta o que viu na guerra e sobrevive graças à sorte, essa que foi atribuída à uma fotografia, então ele parte em rumo à moça loira da foto, tentando encontrá-la para quem sabe agradecê-la, protegê-la como seu retrato fez com ele. Uma bela história de amor, recomendo, para refletir sobre fé, sacrifícios e amor.

"Você devia ser beijada todo dia, toda hora, todo minuto."

Sinopse: “Mas não estava em outra época e lugar, e nada daquilo era normal. Trazia a fotografia dela consigo há mais de cinco anos. Atravessou o país por ela.”“Era estranho pensar nas reviravoltas que a vida de um homem pode dar.
Até um ano atrás, Thibault teria pulado de alegria diante da oportunidade de passar um fim de semana ao lado de Amy e suas amigas. Provavelmente, era exatamente isso de que precisava, mas quando elas o deixaram na entrada da cidade de Hampton, com o calor da tarde de agosto em seu
ápice, ele acenou para elas, sentindo-se estranhamente aliviado. Colocar uma carapuça de normalidade havia-o deixado exausto.
Depois de sair do Colorado, há cinco meses, ele não havia passado mais do que algumas horas sozinho com alguém por livre e espontânea vontade.
(...)
Imaginava ter caminhado mais de 30 quilômetros por dia, embora não tivesse feito um registro formal do tempo e das distâncias percorridas. Esse não era o objetivo da viagem. Imaginava que algumas pessoas acreditavam que ele viajava para esquecer as lembranças do mundo que havia deixado para trás, o que dava à viagem uma conotação poética. prazer de caminhar.
Estavam todos errados. Ele gostava de caminhar e tinha um destino para chegar.

"Todo mundo tem um destino, você é o meu."


Um comentário:

  1. adorei a resenha Mari!! doidinha pra ler esse livro. Mil beijos!!

    ResponderExcluir

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...