abril 21, 2015

[Livros] Maly - Léa Michaan

Título Original: Maly
Autor: Léa Michaan
Editora: Primavera Editorial
Páginas: 300
Gênero: Ficção, Romance
País: Brasil
ISBN: 9788561977290
Classificação★☆☆☆☆
_______________

Eu não consegui encontrar uma palavra para descrever Maly além de desequilíbrio, falo do livro e da protagonista. Lea Michaan alterna momentos de uma narrativa fluida e infanto-juvenil até reflexões da psique humana e questionamentos sobre a existência da vida. Essa inconsistência narrativa me incomodou demais e por conta disso, o livro não me conquistou. Por ser psicanalista, a autora tentou mostrar um pouco do seu mundo ao leitor. Infelizmente, no momento errado, no livro errado.

Excesso de terapia, excesso de ficção, excesso de inconsistência e incoerência narrativa. Muitas coisas não se encaixavam e, enquanto a história de Maly tomava um rumo extremamente plausível, a de Pietro era uma completa fantasia. Muitas coincidências mal explicadas e tragédias demais. O livro de Michaan peca pelo excesso e a ideia de uma boa história foi comprometida pela ambição de colocar todos os problemas do mundo em trezentas páginas, nas costas de dois protagonistas.

Na primeira parte da história, conhecemos Maly, a protagonista que dá nome ao livro. A definição de tragédia é: vida da Maly. Depois de perder sua família toda em um latrocínio, a menina é enviada para um orfanato. Lá, ela come o pão que o diabo amassou e sofre um pouco mais, porque desgraça pouca é bobagem. No orfanato, ela é apresentada ao mundo circense e se apaixona pela arte dos malabarismos. Equilibrar coisas e emoções passa a ser sua realidade. Essa foi uma metáfora interessante da autora e provavelmente a única coisa que eu gostei no livro.

Muitos problemas e percalços depois, Maly foge do orfanato e vai trabalhar no circo. Basicamente, essa é toda a história. Não acontece muita coisa com a menina depois disso e tudo poderia terminar aí. Na segunda parte do livro, conhecemos Pietro, um garoto que foi adotado por uma carinhosa família italiana. Apesar de ter uma vida plena, ser amado pelos pais adotivos e fazer o que gosta, o jovem sente que falta uma parte de sua vida e conhecer seus pais biológicos passa a ser sua meta de vida. 

A história dos pais do garoto é surreal, trágica, deprimente e assustadora. Confesso que alguns trechos me deixaram um pouco perturbada. Achei desnecessário e até agora me pergunto a real função desse outro ‘protagonista’ na história de Maly. Em um determinado ponto, as duas histórias se cruzam, inclusive, porque ambos são descendentes de famílias judaicas. Coincidências à parte, eles não tem nada em comum. Pietro é chato e Maly é uma mala. Infelizmente, foi uma leitura cansativa, monótona e que não me agradou nem um pouco. Tive minha cota de terapia e mesmo assim, nem Freud explica a história absurda de Pietro e seus pais. 

"Se existia alguma sensação nela era a de que tudo o que lhe dissessem, mandassem ou fizessem seria por ela recebido com indiferença. A vida tornara-se um gigantesco tanto faz." (p. 61)

Sinopse: Maly - A história apresentada entrelaça a vida de Maly - que perdeu todas as pessoas que amava e aprendeu a contar consigo mesma, buscando desenvolvendo e criando recursos dentro de si para ressignificar a vida - e a de Pietro - que apesar de sentir-se confortável na sua vida, sai em busca do mistério que ronda suas origens. 

"O bondoso senhor sempre dizia para o filho:

- Bambino mio, sempre vale a pena qualquer tentativa para realizar os seus desejo nesta vida. O não já está garantido. Se você recebe-lo, nada mudará. Somente o sim tem o poder de transformar a sua história. Capisce? Por isso, sempre vale a pena tentar!" (p. 201)

10 comentários:

  1. Amiga eu NUNCA ouvi falar desse livro e sinceramente quando comecei a ler ele eu fiquei de BOCA ABERTA. Karamba, coitada da personagem principal. Sofre poucas e boas nesse orfanato em? Eu achei que o livro me parece ser bastante envolvente e sinceramente fiquei interessada em fazer a leitura, até porque sempre nos passa uma lição de vida de alguma maneira. Mas adorei tudo que tu abordou. Meus parabéns viu? Muito bem escrita sua resenha também

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/04/novas-colaboradoras-parte-3.html

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Não conhecia nem a autora nem o livro. Mas já de cara não gostei, por causa do excesso de fatos e que eles não são tão essenciais na narrativa.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Dá raiva ler um livro assim né, eu sei como é
    e o pior é que eles acabam marcando a gente de um jeito negativo, eu ainda não conhecia ele, mas pela sua resenha vi que não iria gostar também


    ⋙ Um beijooo
    Blog Livros com café
    Instagram - @bloglivroscomcafe

    ResponderExcluir
  4. Oiii Mari, tudo bem???? Eu não conhecia o livro e vontade zero de conhecer, hahahha
    Sério. Apesar de amar um drama e tudo mais, não gosto de livros como.... eu. E nem sei bem como explicar, mas a sua resenha explicou por mim, heheh
    Um beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii :D

    Sabe que não conhecia o livro? Mas já me encantei com ele, ainda mais sendo drama, tô vendo que vou sofrer. hahaha
    Adorei sua resenha, obrigada por apresentar um livro novo para os meus desejados (ou não, já que né $$ ahaha)
    beijos
    http://www.apenasumvicio.com/2015/04/resenha-star-wars-herdeiro-do-imperio.html

    ResponderExcluir
  6. Oi Mari!
    A premissa é até interessante, pena que a narrativa da autora foi inconstante e incoerente, só esse fato já basta para eu não querer lê-lo.
    Adoro drama, mas esse em nada me chamou atenção.
    Ótima resenha!
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  7. Ei Mari! Não da pra ter ideia da bagunça que é este livro, fiquei bem confusa tbm! E pelas partes que comentou até assustada. Acho que a leitura não agregaria para mim!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  8. Eu não conhecia esse livro, acho que nunca tinha ouvido falar dessa autora, mas depois de ler essa sua resenha, vou passar correndo do livro. Normalmente eu gosto de livros de romance, mas esse enredo é um tanto confuso pra mim.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oie! Tudo bem?

    Nossa, que droga não ter gostado do livro! Muito ruim quando detectamos essa inconstância numa obra, né?! Nunca ouvi falar do livro e muito menos da autora. Sorte minha que a sinopse e nem o gênero fazem meu tipo. Boa sorte na próxima leitura!

    Beijos,

    Juliana Garcez |Livros e Flores

    ResponderExcluir
  10. Oi Mari, tudo bem?
    Nossa, tô com horror só de ler sua resenha! É tragédia e drama demais para uma história só e eu imagino o quanto você deve ter se sentido angustiada lendo.
    Imagino o quão decepcionante foi essa leitura, já que a autora além de ter se excedido e sido incoerente, ainda achou pouco e te presenteou com 2 protagonistas malas.
    Uma pena ter sido uma leitura tão ruim amiga!

    Beijo :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...