junho 07, 2015

[Livros] A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff

Título Original: Playlist For The Dead
Autor: Michelle Falkoff
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
Gênero: Ficção, Young Adult
País: EUA
ISBN: 9788581637044
Classificação★★☆☆☆
_______________

A Playlist de Hayden foi minha maior decepção literária deste semestre, com toda certeza. Tantas expectativas e todas elas frustradas. Durante os primeiros capítulos eu realmente tive a impressão de que fosse gostar da leitura, porém, a narrativa de Michelle Falkoff perde o rumo e terminei a leitura, basicamente, querendo jogar o livro pela janela.

Com uma premissa interessante, mas infelizmente muito mal desenvolvida pela autora, A Playlist de Hayden não cumpre seu principal objetivo: fazer com que o leitor entenda. Segundo a proposta do livro, nós deveríamos ouvir a playlist e assim, entender o que levou Hayden a se suicidar. Bullying, assédio moral, violência. A resposta está na história, não na playlist. As músicas que a autora escolheu são ótimas, porém, não acrescentam muito à trama.

Numa manhã como outra qualquer, Sam - confesso que nem lembrava o nome do protagonista - encontra o melhor amigo morto. Hayden se suicidou. O que o levou a tirar a própria vida é, aparentemente, um mistério. No decorrer da leitura, percebemos que é bastante óbvio que o garoto sofria bullying e precisava de ajuda. 

Junto ao corpo do melhor amigo, Sam encontra um pen drive com uma playlist e um bilhete pedindo para que ele ouça e possa, assim, entender. O fato é que as músicas são um pano de fundo para toda a narrativa e sem muita relevância, indicam o estado de humor de Hayden antes de cometer suicídio. 

Quem praticava bullying com o garoto eram três garotos, denominados por ele a Trifeta do Bullying. Jason, Trevor e Ryan eram os 'valentões' que fizeram da vida de Sam e Hayden um inferno. As coisas eram piores para Hayden porque Ryan era seu irmão. Os laços fraternos, porém, talvez tenham sido os mesmos que amarraram uma corda em volta de seu pescoço. 

Conforme Sam vai tentando refazer os passos do amigo e entender porque ele cedeu à pressão, vai também descobrindo que o amigo guardava muitos segredos. Meio detetive, meio neurótico, meio amargurado e totalmente imbecil, o protagonista começa a desvendar os últimos dias de vida de Hayden. 

Enquanto ele está nessa busca, coisas estranhas acontecem. Alguém está se vingando da Trifeta do Bullying, um por um os amigos babacas estão respondendo por seus atos. Essa vingança, porém, envolve violência e isso deixa Sam horrorizado, mas principalmente com medo de que ele mesmo possa ser o responsável pelos ataques. 

A verdade é que Michelle Falkoff tinha em mãos uma grande história, mas a estragou completamente com excesso de moral, bondade e com uma resolução simples, quase mágica. Num mundo real, onde jovens se suicidam por não aguentar a pressão imposta a eles, não há mágica, não há benevolência, só realidade. 

"Eu tinha escutado aquelas músicas sem parar nos últimos dias, tentando descobrir o que ele quis dizer com aquilo. Ouça. Você vai entender. O que eu deveria entender? Ele se matou e me deixou aqui sozinho para encontrá-lo." (p.13)

Sinopse: Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente

Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.

A Playlist de Hayden é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

"O Hayden que eu conhecia não teria se matado. E eu não achava que ele fosse capaz de ferir alguém, não da forma como Jason e Trevor haviam sido feridos, mas Hayden tinha feito uma coisa que eu jamais imaginara que pudesse acontecer. Então quem disse que eu não poderia fazer algo assim?" (p. 120)


12 comentários:

  1. MELHOR RESENHA DESSE LIVRO EVERRR
    Mariana, segura esse forninho, gente. Que isso. Primeiro: o que eu mais gostei em toda a sua resenha (fora a sinceridade, obvio) é a descrição do Sam. Foi top, amiga.
    Você teve uma visão totalmente diferente das outras pessoas das quais falaram sobre ele. Acho isso super interessante. Foi legal também você ressaltar que a playlist não acrescenta em nada a história.
    Enfim... adorei a resenha! Mesmo! É uma pena que assim eu tenha me desanimado quanto a história, só que também, ao mesmo tempo, quero ler para tirar minhas próprias conclusões.
    Beijão!
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Minha opinião é parecida com a sua. Eu achei que a autora poderia ter explorado mais o uso da playlist e não ter deixado de enfeite, sem falar que não escuto nada do que ela listou. Espero que isso não se repita em seus próximos romances.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Eu li o livreto dessa história e agora estou com o livro para ler. O início não me atraiu muito (nem a sinopse), mas no final do livreto fiquei curiosa para saber o que estava acontecendo, então lerei o livro para descobrir. rs Logo nos primeiros capítulos percebi que a playlist não tinha nada de explicativa, mas achei que isso melhoraria depois. =/ De qualquer forma, vou ler e tirar minhas próprias conclusões.
    Beijos!
    http://www.sigolendo.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Mari, tudo bem?
    Li a amostra que a Novo Conceito me mandou e até estava gostando da história apesar de não estar achando nada demais sabe, agora recebi recentemente o exemplar dele e confesso que me desanimei totalmente com essa leitura depois de sua resenha.
    Confio muito na sua opinião e acho nossos gostos parecidos então vou procurar não criar muitas expectativas na hora de ler...

    Beijo :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Mari!

    Palmas lentas e eternas para a sua sinceridade. Confesso que nem interesse eu tive pelo enredo do livro. Confio na sua opinião e mantenho meu desinteresse. É de querer jogar pela janela mesmo quando vemos que jogamos nosso tempo fora numa leitura perdida :/

    Um abraço forte pra você. Adoro o blog ♥

    esqueteoito.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. So timha visto as propagandas e confesso que pela capa bonita me atraiu rs mas ainda nao comprei poxa e tao ruim uma historia bacana assim ser desperdicada . E bom ver uma resenha sincera tbm

    ResponderExcluir
  7. concordo em gênero,número e grau com sua resenha,já estava achando que eu estava com má vontade com o livro pois li muitas resenhas falando maravilhas do livro que sinceramente achei decepcionante. bjos

    Gavetas de pensamentos

    ResponderExcluir
  8. Chateada porque a playlist não tem grande relevância na história :S
    O título meio que perdeu o sentido, né?
    Imaginei que o livro fosse no mesmo estilo de Os 13 Porquês. Aliás, é. Mas eu simplesmente amei Os 13 porquês <3 <3
    Tô em cima do muro em relação à Playlist de Hayden :/

    Beijos,
    Duas Leitoras

    ResponderExcluir
  9. Oi Mari, sua linda, tudo bem?
    Essa é a segunda resenha que leio hoje sobre esse livro, apontando essa mesma frustração. Eu realmente pensei que a autora estava cumprindo um papel importante ao falar sobre Bullying. Mas vingança? Essa não é a saída para resolver essa questão, não se pune violência com violência. E eu gostaria muito de ter a varinha do meu bruxinho amado Harry Potter para acabar com todo o mau do mundo. Mas ela não funcionaria no mundo dos touxas, portanto, precisamos conscientizar a sociedade, os pais, para que algo realmente mude. Que pena que ela perdeu a oportunidade de contribuir.
    Ótima resenha, muito bem argumentada.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, Mari!
    Concordo com os pontos negativos que você citou. A playlist de fato passa do assunto principal para um plano de fundo, o que é decepcionante. Quanto a realidade do livro, também achei superficial, você descreveu super bem o que senti, faltou essa coisa mais palpável, crível!!
    Beijos!
    Ótima resenha ;)
    http://www.vivendonoinfinito.com/

    ResponderExcluir
  11. Mari querida!! Nossa eu confesso que estava com grandes expectativas quanto a este livro, e quando perdi o prazo de solicitação do livro quis morrer, mas todas as resenhas que ando lendo, todas falam que é um livro OK, mas nada mais do que isso. De qualquer maneira ainda pretendo ler e tirar minha própria conclusão, mas já vou as expectativas bem baixas!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  12. Oii Mari, tudo bem??? Adoro essas resenhas super sinceras, hhahah, aliás, isso é uma coisa que eu adoro em você :)
    Sua sinceridade =D
    Eu sempre fico com um pé atrás com livros que se tornam muito badalados :P . Mas o tema (suicídio) me atrai mesmo, não há como negar, ahhaha.
    Lendo a resenha, pensei em A Mais pura verdade, que foi muito bem comentado também. Mas acho que minha opinião, será parecida com a sua aqui, sei não, hahah
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...