setembro 14, 2015

[Sobre] Por que meu filho precisa ler isso?


Na coluna 'Sobre' dessa semana, eu quero escrever sobre algo que me deixou indignada. Uma matéria publicada no site da Folha de São Paulo, que conta com a opinião de vários pais de alunos. O tema é literatura e, analisando mais a fundo, a interferência dos pais no desenvolvimento de seus filhos. As opiniões expressas neste texto são de minha responsabilidade e tem como objetivo questionar e expor diferentes pontos de vista. Sintam-se a vontade para discordar, concordar ou não ter opinião formada sobre, certo?

A matéria em questão fala sobre a repercussão do uso de uma versão do livro Oliver Twist de Charles Dickens que faz uso de palavrões. A leitura foi solicitada como leitura obrigatória para os alunos de 10 a 12 anos de um colégio particular. A linguagem contida no livro, segundo os pais, é imprópria. A adaptação em HQ foi publicada pela editora Salamandra e tem em sua classificação etária a faixa de oito anos. Os pais revoltados foram tirar satisfação com a escola. O resultado da reclamação não foi publicado, mas tendo em vista que se trata de um colégio particular e os pais tendem a ver isso como um direito para exigir o que 'acham certo', supõe-se que a escola fará o possível para agradar aos pais.

"Meu filho veio há uns dias falando: 'O livro que a professora pediu para ler tem palavrão'. Ele tem dez anos e veio me perguntar o que era prostituta." (relato de uma mãe)

Aqui vai minha opinião pessoal sobre esse comentário: se o seu filho aprendeu uma palavra nova e não sabe seu significado, explique para ele. Diga que não é bom usar no contexto social, explique e dê exemplos. O que não deve-se fazer é fugir de 'tabus' por não saber como conversar com seu filho. Mais cedo ou mais tarde ele iria ouvir essa palavra e se souber que os pais não querem ou não sabem conversar sobre esse tipo de assunto, o garoto vai tirar conclusões por si mesmo e isso é bem mais perigoso.

Existem pais que querem proteger os filhos, mantendo-os em uma redoma de ignorância. E aí é que está o maior do problemas, a ignorância não protege, apenas os ameaça. O mundo não é um jardim de flores sob um sol brilhante, onde as crianças andam descalças e colhem maças vermelhas. Crie seu filho para a realidade, não faça dele uma criança alienada. Dê-lhe amor e informação e ele vai aprender a se virar. Esconder o mundo real, os palavrões, as mudanças e as diferenças não vai torná-lo mais perfeito, pelo contrário. O choque de realidade na adolescência (que é o período mais conturbado) pode ser desastroso.

Em outro momento da reportagem, uma mãe ainda reclama que a mesma escola indicou 'A Culpa é das Estrelas' para seu filho. Ela também pergunta onde está Monteiro Lobato e cita 'sutilmente' a relação empresa x consumidor

"A gente paga uma fortuna nessa escola. O que ela está indicando de leitura para essas crianças? O livro conta a história de uma menina que tem câncer terminal. Por que meu filho precisa ler isso? (relato de uma mãe)

E eu mais uma vez, expresso minha opinião sincera. Seu filho precisa ler isso para que ele crie empatia, compreenda a dor do outro, conheça e aprenda a encarar uma doença que tem de 50% de chances de atingir alguém na família dele ou até ele próprio. Quanto à fortuna paga na escola, deve-se entender que há uma diferença entre escola e empresa. Apesar de haver uma relação comercial, o conteúdo pedagógico indicado não deveria sofrer interferência da opinião dos pais. 

O que vemos em demasia são pais que tem um pensamento atrasado, que querem reproduzir a educação que receberam em seus filhos, e que claramente não tem sido o suficiente. Monteiro Lobato é considerado clássico literário e Monteiro Lobato também escreveu livros impregnados do preconceito racial latente em sua época, você vai protegê-los dos cânones literários? 

O filho é seu e você escolhe a melhor forma de educá-lo, mas reflita sobre isso: Até quando seus filhos vão precisar de proteção contra o mundo exterior? Invista mais atenção do que dinheiro neles. Todas as crianças podem se tornar adultos brilhantes se forem estimuladas, não faça com que elas só conheçam o que você conheceu. Faça deles mais do que você é, faça com que elas saibam mais do que você sabe. Não limite, amplie! 

11 comentários:

  1. Olá!

    Muito boa sua opinião, mas você percebeu que as mães são de escolas particulares? Pois é, filhos mimados, que tem tudo na hora, que serão péssimos eleitores no futuro. Infelizmente não adianta falar, os "filhinhos de papai" sempre terão o que querem. E na literatura não será diferente. Ok, acho errado uma escola recomendar uma leitura cujo contexto tenha palavrões. Mas é certo as crianças terem que ler só o Monteiro Lobato? E a Ruth Rocha, Ana Maria Machado e outros autores infantis? Não são válidos? Pior do que isso, é que essa matéria só foca o filho do rico que lê John Green. O filho do pobre nem sempre lê, o que é bem pior...

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Mari, entendo perfeitamente sua revolta e estou de acordo com sua opinião sobre essa matéria publicada.
    Os pais não devem de forma alguma esconder a realidade de seus filhos, principalmente nesse mundo moderno em que estamos vivendo em que tudo está no alcance de todos, ou seja através dos pais ou por qualquer outra pessoa e até mesmo sozinhos eles vão descobrir que o mundo não é um mar de rosas e, muito menos perfeito.
    Post maravilhoso Mari. Sem mais comentários.
    Abçs!!

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante tua postagem. Tenho uma irmã de 10 anos de idade, que esta habituada a ver na TV muitas coisas que acho improprio na televisão num horário que ela assiste televisão. E sempre conversamos e explicamos a verdade para ela. Creio que a leitura tem um papel fundamental na educação da criança para melhorar a leitura, ter a oportunidade de conhecer historias e situações diferentes...Não podemos ser hipócritas, as crianças aprendem de tudo, depende dos responsáveis a forma de educar, explicando o que é certo e errado, independente do que foi lido ou visto ( livros, internet e televisão).Não podemos "blindar" nada, já que é nesta fase que existe há o aprendizado.Parabéns pela postagem.

    ResponderExcluir
  4. "O que vemos em demasia são pais que tem um pensamento atrasado, que querem reproduzir a educação que receberam em seus filhos, e que claramente não tem sido o suficiente."
    Nem preciso de muitas palavras e explicações para dizer que concordo plenamente com seu texto. As mentes deles estão muito fechadas. A criança precisa saber das coisas, precisa aprender antes que um pedófilo se aproveite da sua inocência. E é melhor aprender com os pais que a amam e vão ensinar melhor do que aprender passando por situações ruins, até mesmo passando vergonha por ser uma criança grande e não saber o que á algo em alguma situação.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Mari!

    Concordo totalmente com seu post. É necessário sim que a criança leia assuntos que nem sempre são agradáveis de se explicar. Mas é assim que irá crescer e amadurecer. Criar consciência.

    Eu achei ridícula - para não dizer outra palavra - a atitude dessas mães. Acham que a criança não sabe usar o Google? Pelo menos foi perguntar para eles, né?

    Não gosto de discutir esse tipo de assunto porque sempre fico exaltada com a falta de consciência das pessoas. Mas é sempre bom trazer essa discussão à tona porque quem sabe assim as pessoas começam a pensar, né?

    Adorei o texto!

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. sinceramente? concordo com você. sua opinião foi bem colocada e esclarecedora.
    não adianta os pais tentarem "deixar o assunto para depois", porque o depois pode não existir e a criança aprender com outras pessoas ou, como você disse, tirarem suas próprias conclusões.
    não entendo a forma como desmerecem certos autores. só porque não tem um "nome" na sociedade como outro autor? eu estava na ignorância ao pensar que não existisse mais pessoas que pensassem assim. pelo visto estava enganada. bem enganada.
    ADOREI o seu post e fico feliz por você pensar de uma forma tão linda.

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Caraca! Disse tudo, minha opinião vai de acordo com a sua. Acho que os pais não precisam esconder a realidade do filho, e sim explicarem a verdade, tá, são pequenos, mais o que custa ensinar a ele o ue ele não sabe, escolham as palavras certas! Pois bem, adorei sua opinião.

    ResponderExcluir
  8. Mari, concordo em grandes partes de sua crítica à atitude da escola, dos pais e dos leitores. É um tema pesado para uma escola passar à alunos de 10 anos? Sim. Mas, como o caso já ocorreu, cabe aos pais tratar um pouco mais a fundo do assunto e explicar ao seu filho o significado de cada palavrão contido no livro, fazendo com que ele crie uma opinião negativa para tal palavra, ou não.

    ResponderExcluir
  9. O que me incomodou foi o fato da obrigatoriedade das leituras nas escolas. Acho que tornando um livro obrigatório não ajuda em nada a criança em gostar de ler. Acho que o mais adequado é ter o momento de ir a biblioteca e conhecer os livros por meio de contação de histórias e escolha um livro e leve para casa para que os pais o leiam juntamente com a criança.
    Eu concordo que não deve haver censura alguma, os pais não devem agir da forma como esses agiram...
    Prostituta é palavrão? não sabia o.O
    As crianças devem conhecer o mundo e a leitura é uma ótima ferramenta para tal.
    Acho que tem livros que não são adequados dependendo da faixa etária... algumas leituras são difíceis de serem compreendidas, mas não pelo tema em si.
    Não querer que o filho leia uma estória porque a menina tem câncer é muita ignorância...
    Esse assunto dá pano pra manga... hehe

    ResponderExcluir
  10. Eu não consigo entender onde esses pais querem realmente chegar. Fica difícil para uma criança crescer sendo protegida ou alienada de tudo de ruim que existe no mundo. Todas as diferenças e situações pesadas ou complicadas servem para nos tornar adultos mais fortes e preparados para enfrentar o mundo lá fora, já que nossos pais não estarão sempre conosco para que corramos para debaixo de suas asas. E quer saber? Crescer não é ruim, se tornar independente não é pecado, e querer conhecer o mundo não é errado. Nem tudo são flores ali do outro lado da janela, e eu acredito que o papel principal de uma escola, seja ela particular ou não, seja fazer os alunos compreenderem que precisarão de muito mais do que mimos e proteção se quiserem viver bem na sociedade na qual estamos inseridos. Uma pena os pais não perceberem que, ao retirar seus filhos do contato com esse tipo de livro ou linguagem, não estão fazendo bem a eles, e sim os fazendo crer que nunca passarão por uma situação difícil ou dolorosa na vida.

    ResponderExcluir
  11. Nossa, eu acho que a criança precisa aprender as coisas hoje em dia, se perguntou para os pais o significado de uma palavra imprópria, os pais podem muito bem explicar, mas dizer que é uma palavra indevida para ser falada.
    E sobre A Culpa é das Estrelas, achei um absurdo os pais não quererem que o filho leia por a Hazel ter câncer, como se isso fosse uma doença desconhecida em que os filhos não podem aprender qual o significado.

    ResponderExcluir

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...