outubro 16, 2014

[Livros] Entre o Amor e o Silêncio - Babi A. Sette

Título Original: Entre o Amor e o Silêncio
Autor: Babi A. Sette
Editora: Novo Século
Páginas: 528
Gênero: Romance, Ficção
País: Brasil
ISBN: 9788542802344
Classificação★★★★★
_______________

Perfeito. Essa foi a primeira palavra que me veio a cabeça depois de finalizar a leitura. Nem de longe eu esperava que fosse amar tanto Entre o Amor e o Silêncio. A narrativa, bem construída, repleta de detalhes, é também bem desenvolvida e tudo se conecta incrivelmente ao final. Babi tem um dom com as palavras, sua escrita transborda amor e eu me peguei suspirando diversas vezes pelo livro e pelo casal de protagonistas. Isso sem falar nessa capa maravilhosa que faz pescoços girarem para ver o que eu estou lendo. 

A autora alterna sua escrita de momentos de fofura extrema, romantismo e cenas calientes, eróticas. A transição de um estilo para outro é sutil e vai agradar, principalmente, ao público feminino não-conservador que gosta de ler sobre amor e sobre sexo. Surgiram na blogosfera algumas comparações entre esse livro e o tão famoso Cinquenta Tons de Cinza. Não! Eu preciso frisar que a trilogia Cinquenta Tons não faz jus a essa comparação. A única semelhança é o fato do personagem principal ser bilionário. Nada além disso. O livro de Babi é infinitamente melhor, tem muito mais história, uma história muito linda e comovente.

Aliás, diferentemente da mocinha de E.L. James, a protagonista Francesca não é boba, insegura e sem profundidade, pelo contrário, é uma das mocinhas mais decididas e feministas que eu já vi. Ela sabe o que quer e corre atrás dos seus objetivos. Sem mimimi, aprenda Srta. Anastasia Steele. Francie fala o que pensa e faz o que quer. 

Com leves toques de humor, drama, romance e erotismo, a trama conquista. É possível acompanhar uma grande evolução nos personagens e fica claro como o amor pôde transformá-los, positiva e negativamente diversas vezes no decorrer do livro. O único problema que eu preciso ressaltar foi o fato de a sinopse não chegar nem perto de transmitir quão bom é o livro. Ela foca demais no coma de Mitchell, sendo que o livro fica realmente excitante depois disso. E quando eu digo excitante quero que vocês percebam o duplo sentido empregado na expressão.

Francesca Wiggs é atriz profissional e escritora nas horas vagas, ela tinha um relacionamento de três anos invejável com Vince, um diretor de teatro galanteador e excepcionalmente charmoso. O fato é que ela o pega transando com outra atriz num intervalo de ensaio e sua vida vira de ponta cabeça. O diretor - ah, claro! - arrependido pede milhares de desculpas, diz que a ama, a pede em casamento, mas Francie não consegue esquecer da decepção e da traição. Vince também é ator, e apesar de saber interpretar o papel de cachorro arrependido, sua atuação ou não, não convence mais a ex-namorada.

Para tentar esquecer, Francesca decide focar sua atenção no livro que está escrevendo. Na história ela fala sobre o sentimento da falta, a dor do arrependimento, da saudade. Em seu romance (dentro do romance), ela narra belas lições de vida em forma de cartas. Para preencher o restante do seu tempo, Francie decide fazer leituras voluntárias em um hospital. Ela começa então a ler seu livro (até então em desenvolvimento) para um paciente em coma e assim sua vida muda completamente.

O paciente em coma é, ninguém menos, que Mitchell Petrucci, um empresário bilionário, filantropo, playboy (Tony Stark), galanteador, mulherengo e arrogante. Ele sofreu um acidente de carro e seu estado já começa a ser considerado irreversível. A jovem com pena por ver um homem tão imponente assim incapacitado, passa a vê-lo com cada vez mais frequência e acaba se apaixonando por ele. Parece loucura mas sim, ela se apaixona por um cara em coma. Talvez porque em coma ele fosse mais agradável que na vida real ou também porque ele era um cara excepcionalmente bonito. E principalmente, porque era triste ver alguém que tinha tudo, mas não tinha ninguém. 

No silêncio de Mitchell, a jovem encontra a paz que precisa para recomeçar e conforme as semanas vão passando, ela se empenha cada vez mais em ajudá-lo a melhorar. Tratamentos alternativos, horas de dedicação, atenção e pesquisa. Viciada, obcecada e frustrada por não estar obtendo nenhum resultado, ela percebe que já está beirando a loucura. Para piorar as coisas, Mitchell havia deixado assinado uma autorização de eutanásia para uma ocasião como essas e seu tempo está se esgotando. Logo irão desligar os aparelhos que o mantêm vivo e Francesca não poderá viver tudo o que sonha viver com aquele homem.

Vou além do que é explorado na sinopse, porque é aqui que a história fica boa. Francie se afasta de Mitchell, pois não quer estar por perto quando ele for 'desligado'. Ela passa um mês na casa da mãe e quando retorna, decide saber o que aconteceu com ele. A boa notícia é que ele acordou e está praticamente recuperado. A má notícia é que ele está praticamente recuperado, é um imbecil, fútil, canalha e ainda um homem lindo de morrer. 

Com toda a inocência de quem não conhecia a reputação do dono do grupo John Petrucci Group & Co., Francesca vai visitá-lo e o bilionário praticamente a enxuta de lá, sem dar a mínima para tudo o que ela fez por ele. Ingratidão, desprezo e frieza, isso é o que todos viam nele e passa a ser o que a jovem vê. Arrasada, Francesca ainda tem de lidar com seus próprios problemas, como o fato de seu pai, a quem ela nem conhece, parecer odiá-la. A falta que sente do pai, a traição, o desprezo de Mitchell praticamente levam a garota ao fim.

Enquanto isso, após sua quase-morte, Mitchell Petrucci está novo em folha e de volta à ativa. O negociador feroz, mulherengo e conquistador retoma o controle de suas empresas e volta a ser um canalha desprezível. Sua família o detesta, o que é recíproco, e se houver algum ser na face da Terra, que por acaso se importe com ele é por interesse. Mas nem tudo voltou ao normal após o acidente, o empresário passou a ter sonhos estranhos com uma moça desconhecida e suas histórias.

Esse é um livro fantástico, que vai envolver os leitores e conquistar corações. O imponente sr. Petrucci é impertinente, irritante, porém, terrivelmente sexy e vai fazer de tudo para entender os estranhos sonhos que ele vem tendo. O homem desse livro é mais do que o tão famoso sr. Grey, é mais cínico, mais bruto, mas também tem rachaduras no seu coração de gelo e sabe usar sua beleza e seu charme. 

Além disso, o enredo ainda traz personagens secundários maravilhosos como Lily - a melhor amiga espevitada e o amigo gay - Tom, que é aquele típico melhor dos melhores amigos e faz tudo para ajudar. Alguns personagens ficaram com finais indefinidos, mas isso não chega a ser um problema para mim. De verdade, eu não preciso saber o rumo que todos tomaram, afinal, quem sabe o rumo que todos os coadjuvantes da nossa vida tomaram? 

O destino vai cuidar para que esses dois se encontrem e se desencontrem muitas vezes e as coincidências que os ligam vão além do compreensível. A grande sacada da autora é deixar no ar a pergunta: "Seria o amor capaz de fazer um milagre?", para quem não leu o livro, pode achar que o milagre seria Mitchell despertar do coma. Errado, será suficiente amor e milagre para trazer um homem completamente perdido de volta ao seu caminho? O amor pode consertar almas corrompidas? Corações partidos? Preencher os espaços que a falta deixa? Eu marquei tantas frases quanto foi possível e o livro já é um dos meus favoritos. A autora é uma fofura e estou ansiosa para ler seus próximos romances. Se eu indico esse livro? De olhos fechados, em silêncio e com muito amor.

"- Se você fosse um príncipe e eu uma princesa, você deveria acordar agora - disse, tentando encontrar alguma graça na louca situação. - Será que existem príncipes em camisolas ou princesas de calças jeans e touca hospitalar? De qualquer maneira, acho que foi uma falta de cavalheirismo da sua parte não despertar instantaneamente após o beijo. Sendo assim, talvez eu te beije mais algumas vezes para ter certeza de que você é imune a esse antídoto." (p. 118)

Sinopse: Francesca Wiggs sofreu uma grande decepção amorosa e, desde então, está decidida a não se relacionar mais. Além de se dedicar a escrever o seu livro, ela resolve preencher os dias com um trabalho voluntário – a leitura para pacientes em coma proporcionaria para ela a distância para problemas com o coração. No entanto, um grande imprevisto ocorre quando ela passa a se sentir atraída pelo paciente. Mitchell, descrito como um poderoso magnata, seria a antítese de tudo o que ela busca em um homem... se não estivesse em coma. Precisar de alguém inconsciente seria um absurdo, não seria? Amar uma pessoa que nunca responde parece loucura! Francesca já havia entendido e sentia-se quase segura diante disso. Mas, e se Mitchell acordasse? A aproximação desses personagens tão diferentes revela um romance encantador e divertido, repleto de reviravoltas. Entre a vida e a morte, a ilusão e a realidade, o amor pode ser realmente o milagre que faz tudo mudar?

"- Não uso isso desde os meus dezessete anos, - Deu uma risada sem vergonha.
O tipo de sem-vergonha que sabe muito bem o poder que aquilo exercia sobre o sexo oposto.
- E imagino que devo acreditar?
- Nunca disse esses versos de verdade para mulher alguma. Quando fazia, era um garoto que precisava disso para ganhar alguns beijos na boca. Nunca disse isso para amante nenhuma, simplesmente porque não sou leviano. - Francie umedeceu os lábios. Ele continuou com o olhar preso na boca dela:
- Não sou homem de dizer aquilo que não sente, de prometer aquilo que não quer cumprir só para impressionar." (p. 410)


13 comentários:

  1. Oi Mari! <3
    Só posso concordar com tudo o que você escreveu, o livro é mesmo PERFEITO! A escrita de Babi nos encanta, não é?
    Amei sua resenha e concordo quando você disse que não faz jus à comparação com Cinquenta Tons. Eu amo Cinquenta Tons e amo Entre o Amor e o Silêncio, mas os dois não tem nada a ver!
    Depois passa lá no blog para ler minha resenha de Entre o Amor e o Silêncio!
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho muita vontade de ler esse livro, parece ser ótimo.
    Não sabia que ele havia sido comparado a 50 tons de cinza (só pra constar, eu AMOO essa trilogia, rs.)
    Perfeito, amei sua resenha!
    beijos
    http://masenstale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Sua resenha está mais do que completa e me fez ter uma visão muito mais aberta da obra.
    Não gosto muito de livros com uma pegada hot, mas esse livro parece ser uma boa qualidade literária.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de outubro

    ResponderExcluir
  4. Estou super curiosa por esse livro amiga! E não canso de repetir, essa capa é lindíssima. Nada devia ser comparado a 50 tons, foi de longe o pior livro que eu já li hahahaha.
    Beijos
    Thaís Lima
    http://imperiodico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que resenha mais do que especial, emocionante, profunda, com um tom poético.Linda! Amei! Obrigada Mariana, por abrir o seu coração às minhas palavras e por essa impressão que transborda sensibilidade. <3

    ResponderExcluir
  6. OI Mari

    Essa capa sem dúvida me faria virar o pescoço, ela é belíssima na foto e imagino só pessoalmente. Não imaginava que era um livro erótico e como não tinha visto nada sobre ele ainda, não sabia das comparações com 50 tons.
    Provavelmente se tivesse visto uma dessas resenhas comparando eu teria ficado desanimada. Não li 50 tons mas pela forma como quase todo mundo fala mal, sinto que não estou perdendo nada. Mas li sua resenha primeiro e eu realmente confio na tua opinião. Gosto de um bom livro erótico, mas ele precisa ter história e parece ser esse o caso aqui.
    Vou fechar os olhos e me jogar na história. Tô confiando em você, ein!!! kkkkkkk

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  7. oi ^^
    Não conhecia a obra, mas sim, a capa é linda, se você estivesse na rua com esse livro em mãos eu ficaria gansando para ver o nome do título! kkkkkk
    Eu amei a protagonista, estou cansada de romances onde a menina é bobona e tapada, e só assim para o cara gostar dela! Fiquei feliz de saber que ela consegue fazer uma transição boa, porque hoje em dia os livros ou são só melosidades sem nada hot, ou só cenas de sexo sem sentido. Estou muito curiosa por essa leitura, adorei sua resenha!

    tem postagem nova no meu blog
    te espero por la!
    abraços
    dudikobayashi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Mari não conhecia o livro nem a autora, e tão bom quando finalizamos um livro com essa sensação que simplesmente ele é perfeito...Ótima indicação, parabéns pela resenha..Beijos

    www.paraisoempapel.com
    www.contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Mais uma vez sua resenha tem uma linguagem tocante, por isso fica impossível não dedicar ao menos um pouco de atenção ao livro. Parabéns. :D Não conhecia o livro, tampouco a autora, mas gostei de você citar que, apesar das comparações, é livro muito melhor do que Cinquenta Tons de Cinza - livro que por sinal não conheço. No fim, dá uma característica que acho ser essencial: a mensagem que a obra quer causar. Se tiver a oportunidade, espero gostar da leitura.
    Aliás, a capa é realmente belíssima.

    Beijos,
    Ricardo - www.overshockblog.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi, Mari <3 Tô chorosa hahahah
    (Agora) Eu quero muuuuito ler o livro da Babi, mas nem posso comprar - porque estou pobre - e nem pedir parceria, nem desconto, nem sei lá, porque estou sem tempo para ler os livros de parceria que tenho aqui e, meu Deus, eu tenho que ler todos até o fim desse ano. Difícil a vida... Então, a história parece ser muito amorzinho e me deixou super curiosa!!! Se eu tivesse lido qualquer outra resenha que mencionasse 50 Tons de Cinza, juro que teria parado no momento e nunca mais olharia para a linda capa de Entre o Amor e o Silêncio da mesma forma. Amei a resenha!!! Estou super curiosa :S E eu adorei o que você disse sobre o rumo que os coadjuvantes da nossa vida tomaram. Parabéns, Mari :3
    Beijinhos,
    Karol.
    http://heykarol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Mari, tudo bem?
    Gostei muito da sua resenha, me deixou curiosa mesmo não sendo meu tipo de livro favorito.
    Eu acho que essa fórmula do cara rico arrogante e com feridas do passado está um pouco desgastada, mas se a autora soube conduzir, eu não me importaria de ler! Principalmente se for melhor que 50 Tons, que eu detestei. =P
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem? gostei bastante da sua resenha e fiquei bem curiosa, pensando seriamente em colocar esse livro na minha meta de leitura para 2015.

    Beijos acompanhando seu blog e sua página. http://cantinhodacarolll.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Eu AMEI esse livro! Sinceramente 50 Tons fica no chinelo quando comparado ao de Babi. Ela foi Perfeita! E como você disse a sinopse não faz jus ao livro. Adorei sua resenha!

    ResponderExcluir

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...