julho 16, 2015

[Livros] Eu Estive Aqui - Gayle Forman

Título Original: I Was Here
Autor: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Páginas: 240
Gênero: Ficção, YA
País: EUA
ISBN: 9788580414233
Classificação★★★★★
_______________

Intenso. Realista. Eu Estive Aqui é um dos livros mais bonitos de Gayle Forman e é volume único, diferentemente de seus outros títulos. A dualidade característica da autora é notada em mais esta narrativa: densa e leve ao mesmo tempo. O tema central do livro também carrega contrastes fortes. Morte e vida. Culpa e perdão. Amor e ódio.

Gayle escreve com profundidade sobre a dor humana, sobre os sentimentos conflituosos da adolescência  e da indecisão sobre o futuro. Optando por falar para os jovens, ela não os poupa de questionar sua própria existência. Em um período de mudanças e decisões, é natural se perguntar por quê e para quê estamos aqui. O que fazer depois de obter essa resposta é o difícil. Eu Estive Aqui fala sobre suicídio, a trama envolve o leitor com a ideia, desmistifica e faz pensar. 

A protagonista Cody é uma das personagens mais bem construídas de Gayle. Sua evolução durante a trama é perceptível. Lidar com a morte da melhor amiga, justamente em momento complicado da sua própria vida coloca as coisas em uma perspectiva perigosa. Com a morte de Meg, a amiga começa a questionar o que ela fez de errado, por quê não conseguiu evitar e o pior de tudo, por quê ela não faz a mesma coisa. 

É uma narrativa forte que requer estômago e uma mente aberta, além de sensibilidade e compreensão. Forman estudou o tema e criou a personagem Meg baseando-se na história real de uma adolescente chamada Suzy Gonzales. Por isso nota-se tanta realidade. Uma realidade crua, dissecada para o leitor, exposta até os ossos: a do desespero. O desespero que faz com que a única saída seja justo a morte. 

Ao descobrir de Meg se suicidou, Cody passa a viver como um zumbi. Assolada pela culpa de não ter protegido a amiga e desesperada por encontrar outros culpados, a garota parte em busca do que restou de Meg, suas coisas. Enquanto mexe nos pertences da amiga, Cody descobre que na verdade não a conhecia tão bem assim. O período de faculdade as separou e cada uma delas trilhou um caminho diferente. O caminho de Meg, porém, estava cheio de armadilhas e a pior delas foi sua própria mente. 

Aos poucos, nossa protagonista vai entendendo o que levou Meg a tirar a própria vida e começa a se perguntar sobre o que poderia ter sido diferente. Ela conhece Ben, o último namorado de Meg, o cara que transou com ela e depois a chutou. Inicialmente parece que ele é o responsável pelo colapso da garota, mas aos poucos as coisas vão ficando mais claras e percebe-se que desamor não mata. Depressão sim.

Em um clima meio investigativo, Gayle Forman faz com que Cody busque pistas sobre a vida que a amiga levava. Essas pistas guiam a protagonista em uma jornada de autoconhecimento e a partir da morte de uma pessoa, pode começar a vida de outra. Ben e os outros amigos de Meg são um grupo de personagens interessantes, pessoas com as quais gostaríamos de conversar. Essa talvez seja outra característica marcante da autora - construir personagens sobre os quais queremos ler. Até mesmo os secundários.

A escrita de Gayle é repleta de figuras de linguagem, referências e jogos com as palavras. Uma das passagens mais interessantes é a comparação feita por Cody após seu discurso no velório da amiga que comoveu a todos. ".. Eu as fiz chorar. Eu sou um veneno. Se me tomar, você morre." (...) Em uma alusão tanto à forma como Meg morreu quanto à sua própria culpa. Apenas incrível!

Eu Estive Aqui é um livro que vai mexer com a sua cabeça e, se você estiver num período meio depressivo - como eu, no momento - talvez não queira pensar sobre certas coisas. Expor o suicídio da forma como Gayle fez é algo inédito, corajoso e digno de aplausos. E se você estiver numa vibe meio ruim, lembre-se, converse com alguém, sempre haverá alguém para você. Somos mais fortes do que imaginamos e ainda estamos aqui.

"(...) É então que cometo o erro de me virar para lançar outro olhar fulminante para o convencido, superficial e poser Ben McCallister.
Queria não ter feito isso. Porque, quando o olho pela última vez, ele exibe um esgar que é uma mistura de raiva e culpa. Conheço bem essa expressão: eu a vejo todos os dias no espelho." (p. 33)

Sinopse: Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos.

Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida. Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.

"Tiro os lençóis e me deito na cama assombrada de Meg. Agora, os lençóis que ainda cheiram a ela são mais ou menos o que preciso. Sei que, ao dormir aqui, vou misturar meu cheiro ao dela, enfraquecendo o cheiro de Meg, mas, de certa forma, isso não importa. Era assim que costumava ser antes, afinal." (p. 44)

10 comentários:

  1. oi flor, eu ja li e menina que adrenalina! dá pra pressentir só pela sinopse a angustia de Cody, o suicidio e seus desdobramentos é sempre um tema que apreende a atenção, arrepia e mobiliza o leitor a querer participar da trama
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Mari, apesar de a minha relação com a Gayle Forman ser de amor e ódio, demorei muito para decidir solicitar esse livro. Mesmo depois da solicitação, o receio de iniciar a leitura permaneceu. Pelo menos até ler a sua resenha.
    Pelo momento “meio depressivo” talvez não deva ler por enquanto, porém agora tenho a certeza de que se lido no momento certo esse pode ser mais um livro incrível. Não apenas pelo tema abordado ou por tantos elogios da sua parte, mas porque aparenta ser um livro completamente diferente. No fim, se sentir o mesmo que você, vou ficar feliz por ter solicitado mesmo com todo esse receio.

    Beijos,
    Ricardo - www.overshockblog.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, eu adoro livros que nos fazem refletir, ainda mais a escrita da Gayle que é incrível, eu já li os outros livros dela e amei muito, estou muito curiosa para conhecer esse!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com

    ResponderExcluir
  4. Acho que eu estou sempre em estado depressivo kkkkkkkk Então, vou ler de qualquer jeito.
    Eu não tive uma boa experiencia com a Gayle em Se eu ficar, tanto que abandonei o livro antes de chegar na metade, mas pretendo retornar.
    Mas espero gostar do livro Eu estive aqui, a premissa me agradou, e sua resenha me deixou ainda mais curiosa.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá! Eu ainda não li nenhum livro da autora, porque não é um gênero que me cativa muito haha mas é sempre bom mudar os ares e experimentar algo novo não é? Quem sabe "Eu estive aqui" não se torne um deles :) ótima resenha!
    Beijos, Helo.

    ResponderExcluir
  6. Hey, tudo bem? Gostei bastante da premissa do livro, parece ser bem denso e profundo. Com certeza vai entrar para minha lista de desejados!
    Ótima sua resenha, adorei o blog e já estou seguindo.
    Também criei um recentemente e se você pudesse dá uma passadinha por lá eu ficaria imensamente agradecida.
    Abraços.
    http://madrugadadeleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Gayle Forman é uma das minhas autoras preferidas, mas eu ainda não cheguei a ler esse novo livro dela. Estou ainda com um pouco de receio, porque eu ainda não li nada sobre o assunto suicidio sabe? Eu acho que é um tema forte, mas ao mesmo tempo bom para que possamos enxergar como funciona com as pessoas próximas que sofrem por algum transtorno. Gostei bastante da sua resenha, mas eu vou esperar um pouco para quando eu estiver no clima, porque por agora, eu acho melhor eu não ler ainda =x

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/07/resenha-flora-hen.html

    ResponderExcluir
  8. Confesso que acho muito perigoso pra mim ler livros sobre suicídio, da última vez que li um, estava em um momento muito complicado da minha vida e não foi uma boa ideia... Contudo, acho que leria esse, pois a história me interessou demais. Por estar em um bom momento agora, talvez eu consiga ler esse com tranquilidade, apesar de ser um tema que mexe bastante comigo.

    Thaís na Cidade

    ResponderExcluir
  9. Mari!
    Já li outros 3 livros da autora e gostei muito.
    Embora aqui a temática seja bem delicada, porque suicídio é um tema bem delicado de ser abordado.
    Tenho muita vontade de ler mais esse...
    “Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida.”(Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  10. Gosto dos livros da Gayle, mas não costumo curtir livros que tratam de suicídio, então realmente não sei se leria esse. Meu estômago é mega fraco,e só de saber que a autora se baseou em uma história real me dá mais receio ainda de ler... acho que não é pra mim.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...