agosto 10, 2015

[Livros] Fragmentados - Neil Shusterman (Fragmentados #1)

Título Original: Unwind #1
Autor: Neil Shusterman
Editora: Novo Conceito
Páginas: 368
Gênero: Ficção, Distopia
País: EUA
ISBN: 9788581635194
Classificação★★★★★
_______________

Perturbador, crítico e absurdamente real. Fragmentados é mais do que uma distopia. O livro fala sobre o assolador futuro da raça humana, onde a falta de humanidade é lei. Com o avanço da tecnologia e o aumento populacional, as pessoas deixaram de ser indivíduos e passaram a ser vistas como partes do todo. A visão do todo não abrange sentimentos, emoções ou personalidade. Somos apenas fragmentos, nada além disso.

Neil Shusterman ousa questionar os limites da humanidade. Até onde poderíamos ir? O que seríamos capazes de fazer? O autor cria uma sociedade pós-guerra que aprovou a chamada 'Lei da Vida'. A tal lei foi criada para evitar conflitos entre quem era a favor da legalização do aborto e quem era a favor da vida. De certa forma, a nova legislação agradou os dois extremos e trouxe equilíbrio a uma nação ensandecida pela guerra. 

A Lei da Vida institui que o aborto é ilegal até os treze anos. Quando a criança atinge esta idade, seus pais podem decidir abortá-la retroativamente. O jovem é então encaminhado à fragmentação e cada célula do seu corpo é reaproveitada em outra pessoa. Desta forma, uma criança, antes indesejada, pode fazer bem a outras pessoas, sem necessariamente deixar de existir. 

Controverso e, como eu disse anteriormente, extremamente perturbador, o livro de Shusterman descreve a fragmentação. O procedimento cirúrgico não traz ao leitor apenas a aflição que qualque operação médica traz, o sentimento é mais profundo. Dói na alma, nas entranhas, machuca pensar que somos reutilizáveis e o pior de tudo é que coisas desse tipo já acontecem no mundo real. 

A narrativa gira em torno de três jovens: Connor, Risa e Lev. Três crianças que foram enviadas à fragmentação. Connor é um garoto-problema, seus pais não sabem como lidar com ele e por isso, o enviam para a fragmentação. Risa foi criada numa Casa Estatal e por um mero corte de gastos, foi descartada. Já Lev, é o que se chama de 'dízimo' - exatamente como na bíblia. O garoto é o décimo filho de uma família, que dá um décimo de tudo o que tem a Deus. Apesar de Lev ser religioso e encarar seu destino como a vontade de Deus, em um determinado momento, o garoto percebe que seus pais amam mais um Deus cruel - que sentencia uma criança -, do que seu próprio filho. Os três se encontram por acaso e vão fazer tudo o que for possível para continuarem inteiros. 

Como uma crítica aos tempos modernos, ao poder do Estado, à religião, ao comportamento humano e ao capitalismo, este é também um convite a questionar nosso conceito de 'vida' e nossa própria humanidade. Fragmentados faz o que poucas distopias fazem: traz o futuro visto a partir de uma perspectiva muito atual. Somos mesmo fragmentos do todo, partes de uma nação, de um planeta, de um sistema solar, enfim. O que nos torna únicos é o que nos torna iguais, nossa consciência.

"Com uma risada amarga, ela percebe que, no final das contas, pode ser que o desejo do professor se realize. Algum dia ele poderá ver as mãos dela tocando no Carnegie Hall. Infelizmente, o restante de Risa não estará lá." (p. 24)

Sinopse: Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria. Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos desde as mãos até o coração é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.

O vencedor do Boston Globe-Horn Book Award, Neal Shusterman, desafia as ideias dos leitores sobre a vida: não apenas sobre onde ela começa e termina, mas sobre o que realmente significa estar vivo.

"- (...) Você aprende uma coisa depois de ter vivido tanto quanto eu vivi: as pessoas não são completamente boas nem completamente ruins. A gente passa a vida toda entrando e saindo das sombras e da luz. Neste momento eu estou feliz por estar na luz." (p. 108)


18 comentários:

  1. sempre gostei de ler distopia e já to ansiosa pra ler essa, to de olho nesse livro desde que vi nos lançamentos do mês da novo conceito, adorei a resenha, to super curiosa pra ler, já que nunca li nada do autor e espero gostar.

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Apesar de muitas distopias no mercado, essa eu quero ler, justamente por esse jogo que o autor cria, onde o leitor fica aflito, pensando em como vai acabar... Preciso demais desse livro!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Você utilizou a palavra certa pra descrever o que é de fato a Fragmentação: uma aflição. Sério, aquela cena da fragmentação de um personagem (não vou falar o nome por conta de spoilers) é agonizante e ao mesmo tempo "desumana", se é que ainda existe humanidade naquele mundo. É um livro bem critico mesmo. Amei sua resenha, tive os mesmos sentimentos com a leitura.


    http://www.cantinadolivro.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Que livro bacana, gostei muito, nossa essas três crianças devem sofrer horrores tantando ficar enteiros, foi um livro que me chamou muito a atenção, pelo fato de ser um gênero que eu aprecio muito, e muito bacana mesmo, esse autor teve um idéia muito legal para esse livro, quero muito ler eleeee!
    Beijooos
    http://onlypoison1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Desde que eu assiti ao book trailer que eu estou querendo ler esse livro e a cada resenha a vontade só aumenta, ele deve ser muito bom mesmo, eu tenho certeza de que gostarei e a capa tambem chama bastante a atenção

    ResponderExcluir
  6. Desde que li essa sinopse sabia que o livro seria incrivelmente intenso e perturbador! Depois da tua resenha, quero ler ainda mais! Gosto da premissa, inovadora e original, que coloca em cheque questões que nos assolam até mesmo nesse mundo real e atual. O gênero me atrai, mas o que mais me deixa entusiasmada com o livro é a forma como o autor conseguiu desenvolver temas tão profundos em um universo tão bem construído. Com certeza vale a pena ler!

    ResponderExcluir
  7. Uau! Esse livro é mesmo tão profundo quanto eu achei. Eu já queria ler, depois dessa resenha então!
    Bjos, Bruna ^.^

    ResponderExcluir
  8. Esse livro possui uma premissa assustadora e problemática, exatamente do jeito que eu gosto. E com certeza vai gerar algumas boas reflexões.
    Excelente resenha!


    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  9. Oi!!
    Ando lendo umas resenhas bem elogiosas sobre esse livro, parece bem legal mesmo!
    A estória, apesar de ser meio que macabra é bem interessante.
    Te marquei em uma tag -> http://www.ooutroladodaraposa.com.br/2015/08/tag-trechos-de-musicas.html


    Beijooo

    ResponderExcluir
  10. Oi, Mari!

    Fiquei chocada só com sua resenha, mal posso imaginar como será ler!

    Vou dizer que já fiquei bem impressionada com um filme que vi um tempo atrás com uma temática parecida na qual existia um grupo de pessoas que tinha como destino doar seus órgãos para outras pessoas que precisavam.
    A vida da pessoa era sobreviver até doar tudo que a mantinha viva.

    Como você disse, é perturbador e algo para se pensar sobre o valor da vida humana. Profundamente tocante.

    Deverei me preparar para ler este livro, mas acredito que valerá a pena.

    Bjs!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Mari, tudo bem?
    Essa minha leitura do momento e estou completamente envolvida, adorando.
    É uma distopia densa por ser tão real.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  12. Oi Mari, tudo bem?
    Essa minha leitura do momento e estou completamente envolvida, adorando.
    É uma distopia densa por ser tão real.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  13. Mariiiii sua linda! A Bel leu este livro e falou maravilhas dele, é intenso, agoniante e tudo! Eu amo distopias, sem dúvidas, meu gênero preferido. Será uma leitura certa para mim.

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  14. Desde que assisti um Book trailer de Fragmentados fiquei super ansiosa para ler esse livro, parece ser muito bom, e achei super diferente a história, bem tensa.
    Adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  15. Muito bom os quotes que escolheu e a resenha ficou otima, estou ansiosa para ler esse livro, principalmente depois que eu assisi ao book trailer que eu achie assustador.
    A autor parece ter sido muito original criando algo que é novo

    ResponderExcluir
  16. Esta é a terceira resenha que leio deste livro e só aumenta minha vontade de lê-lo.
    Eu achei esta lei da Vida perturbadora e um tanto cruel...
    E entregar seu filho como "dízimo"!! Meu deus, isso é muitooo cruel!
    Não sei lidar com meu filho vou fragmentá-lo...
    a menina órfã não serve pra nada vamos fragmentá-la...
    Eu quero muito ler este livro e entender mais sobre esta tal fragmentação e espero que nenhum deles seja... aiaiaiaiii...

    ResponderExcluir
  17. Por não ter me interessado de inicio, em seu lançamento, Fragmentados foi um livro que não gostei. Mas, pós ler suas várias resenhas positivas decidi que lerei o livro em breve. Fiquei super feliz em saber que é uma distopia, e ainda por cima, representando o futuro de nossa raça.

    ResponderExcluir
  18. Oi!
    Esse livro me surpreendeu não achei que fosse gostar tanto da historia mas adorei o como essa distopia está próxima da gente, também gostei bastante de como o autor nos mostra pontos de vista diferentes do mesmo assunto e como os personagens acabam se encontrando e fiquei muito curiosa sobre a historia !!!

    ResponderExcluir

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...