agosto 23, 2015

[Livros] Prometo Falhar - Pedro Chagas Freitas

Título Original: Prometo Falhar
Autor: Pedro Chagas Freitas
Editora: Novo Conceito
Páginas: 400
Gênero: Crônicas, Ficção
País: Portugal
ISBN: 9788581637495
Classificação★★★★★
_______________

Único, honesto, brilhante! Demorei semanas - literalmente -, para resenhar Prometo Falhar de Pedro Chagas Freitas porque não existem palavras suficientes para que eu defina o quanto fui impactada por esta leitura. Falhei ao tentar conter o choro durante a leitura, assim como falhei ao tentar esquecer as histórias que me fizeram chorar. Tento escrever minhas resenhas com precisão linguística, e por conta disso, escolher as palavras certas foi muito difícil. Dar nosso melhor, no entanto, não significa atingir a perfeição, então nessa resenha eu prometo falhar, outra vez.

Pedro Chagas Freitas escreve de forma única, seu livro não parece com nada que eu tenha lido antes e essa talvez seja a maior das minhas falhas - nunca ter lido algo tão real. O autor desconstrói a narrativa: ortografia, semântica e estilística, para transformá-la em algo diferente, algo mais falho e assim, mais real. Em grande parte do texto, a pontuação é ignorada como se não fosse importante, e de fato, não é. O autor deixa claro que não vai sujeitar seus sentimentos, sua criatividade à limitações impostas pela sociedade, que dirá então pela gramática. E por isso, o admiro ainda mais.

Em cenas soltas, e ao mesmo tempo, interligadas pela narrativa peculiar do autor, Prometo Falhar é uma espécie de alegoria do amor: imperfeito e extraordinário. O narrador é uma mesma pessoa e, ao mesmo tempo, é várias. Cada história contada em uma cena - e são muitas as cenas - é digna de um livro próprio. Entretanto, essa complexidade de ter tanta coisa dita em tão pouco tempo não torna a leitura superficial, pelo contrário, faz com que o leitor mergulhe profundamente em cada história.

Não foi uma leitura rápida porque, como eu disse anteriormente, as cenas são extremamente bem escritas e possuem uma carga emocional muito forte. Em sua maioria crônicas sobre o amor, os fragmentos de histórias que o autor conta são românticos, intensos, humanos e, acima de tudo, sensíveis. Pedro fala sobre todas as formas de amor e as mistura entre si, sem tabus ou restrições. Amor, paixão, desejo, sexo, perfeição e realidade permeiam suas mais de quatrocentas páginas.

Pedro Chagas Freitas não escreve sobre o amor perfeito, incrível, sagrado. Ele escreve sobre o amor falho, cheio de defeitos, para o qual fomos destinados. Lamechas assumido, quer mostrar ao mundo que os homens também amam e também falam sobre o amor. Rompendo paradigmas - de todos os tipos -, o autor desmistifica e critica a perfeição, se atrevendo a ser um romântico, um sonhador. O amor pode ser falho, assim como somos todos nós, mas se me permite uma última sugestão: tu vais amar este livro tanto quanto eu!

"...Nada é mal escrito quando se escreve o amor. Ou tem o amor inteiro ou não é poema nenhum. Já que escrever se obstáculo do porquê para escrever o amor. Há que recusar os coitados que não o conhecem e que analisam um texto de amor como se analisa um texto qualquer. Mas um texto de amor não é um texto qualquer - pela simples, e tão óbvia, razão de que um texto de amor nem sequer e um texto; é amor.Quem escreve um texto de amor está pouco ligando para a literatura. 
O que é a literatura quando se ama assim?" (p. 159)

Sinopse: Prometo Falhar é um livro que fala de amor. O amor dos amantes, o amor dos amigos, o amor da mãe pelo filho, do filho pela mãe, pelo pai, o amor que abala, que toca, que arrebata, que emociona, que descobre e encobre, que fere e cura, que prende e liberta. Em crônicas desconcertantes, Pedro convida o leitor a revisitar suas próprias impressões sobre os relacionamentos humanos. 

"Se você não adormecer todos os dias com uma inexplicável vontade de voltar a acordar só para estar nos braços da pessoa com quem adormeceu, desista de amar, porque, fique sabendo agora, só o que nos faz adormecer felizes sem deixar de nos fazer ter vontade de acordar felizes é que é mesmo amor. 
Se você não acordar todos os dias com uma vontade inexplicável de voltar a adormecer só para poder adormecer em paz ao lado de quem você ama, desista de amar, porque, fique sabendo agora, só o que nos faz acordar felizes sem deixar de nos fazer ter vontade de adormecer felizes é que é mesmo o amor." (p. 204)


15 comentários:

  1. Que lindo livro, nossa falar de amor não e lra qualquer um , minhas amigas leram esse livro elas falaram que e muito lindo, emocionante mesmo, acho que vou pedir emprestado para ler, mais enfim, deve ser muito bom e cativa o leitor kkkk
    Beijooos

    ResponderExcluir
  2. eu to com ele aqui pra ler, mas ainda não pude dar a devia atenção, espero curtir!
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Mari, que resenha maravilhosa! A sinopse desse livro me pegou de jeito há uns dias, e eu fiquei esperando por uma resenha que fosse completa o suficiente, tanto em conteúdo quanto em sentimento, para que eu pudesse tirar outras conclusões. Cada palavra sua foi mais um passo meu em direção a esse livro. Estou apaixonada por tudo. Tudo. Meu Deus. Obrigada hahaha. <3

    ResponderExcluir
  4. amei sua resenha, quem ve assim o livro, nem imagina o quando ele deve ser maravilhoso, tinha visto eles nos lançamentos do mês mas não sabia que era tão bom assim, adoro livros emocionantes, já quero ele pra mim.

    ResponderExcluir
  5. Eu já queria ler, depois do que você escreveu então...
    Sua resenhas está ótima, você escreveu muito bem! T
    Tenho certeza que esse livro vai me fazer chorar (missão impossível) rsrs

    ResponderExcluir
  6. Mary, estou lendo ele, mas confesso que parei na metade. Estou dando um tempo para minha alma degustar o que já li. Acredito que pelo menos pra mim, a leitura será melhor aproveitada assim, pouco a pouco ^^

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  7. Esta ansiosa para poder conferir a resenha sobre este livro, e sem dúvida nenhuma ela superou minhas expectativas ( que já eram grandes) em relação a este livro. esta mais do que incluído a minha lista de desejados, e quero poder me encantar assim como estas tuas lindas palavras que deve refletir o que iremos sentir ao realizar a leitura dele! Um enorme beijo, e parabéns pela maravilhosa resenha!

    ResponderExcluir
  8. Oi Mari, tudo bem?
    Estou chocada com a sua resenha, porque eu não dava nada para esse livro hahaha Primeiro, porque acreditava se tratar de um romance (?), nem sabia que era um livro de crônicas :O
    Eu sou apaixonada por livro de crônicas, inclusive estou lendo um e ler sua resenha me deu mais vontade ainda de conhecer esse autor! Sei que muita gente não curte, mas acho tão bacana <3 Pra escrever crônicas tem que ter dom mesmo!
    Beijos,
    Juliana Skwara
    http://julianaskwara.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Mari!!

    Você já é a segunda pessoa que ficou encantada com esse livro e estou muito curiosa! Hahaha

    Ele parece ser o tipo de leitura que faz refletir e pensar na sua própria vida. Imagino que seja muito bonito.

    Meu único receio é não compreender o que o autor quis dizer porque já li textos portugueses e tinham palavras que não compreendia e o dicionário não ajudava porque era brasileiro também! Hahahaha

    Mas é sem dúvida um livro que vem atiçando a minha curiosidade.

    Bjs!!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Não sei o que esperar deste livro, afinal não sei se sei algo sobre o amor!
    Fiquei interessada pela crítica a perfeição e a citação, quando "fala" de literatura me deixou intrigada, visto que eu separo livros de literatura dos não... afinal, nem tudo que lemos é literatura (no sentido de arte, com valor literário...).
    Eu leio de tudo, mas sou muito crítica desde que comecei a estudar mais sobre literatura!
    Fiquei empolgada e louca para ler este livro, ainda mais por ser nacional!

    ResponderExcluir
  11. Preciso dizer que estou extremamente curiosa com relação a esse livro!
    Além da capa linda, os temas me trazem uma grande curiosidade. Sem falar que o fato de serem crônicas torna a leitura ainda mais dinâmica e aprofunda os sentimentos do leitor quanto às histórias. Gosto do modo como o autor escreve, deixando tudo simples e próximo do real, acredito que esse elemento aproxima o leitor do livro, e o transforma em uma experiência única e marcante!

    ResponderExcluir
  12. Já tinha visto falar sobre esse livro e confesso não não tenho vontade de ler pois não faz muito o meu genero, mesmo assim obrigado pela dica

    ResponderExcluir
  13. Ahhh, eu já queria muito esse livro, ai leio essa resenha super positiva sobre a história, agora estou mega ansiosa para ler.
    Eu amo livros que mechem tanto com meus sentimentos que me fazem chorar, tomara que quando eu leia esse livro eu também goste.
    Pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir
  14. Eu, particularmente, não conhecia o autor Pedro Chagas Freitas. Esse livro me chamou a atenção por seu título curioso. Com a resenha, pude perceber que você encantou-se bastante com a premissa literária passada por ele. Gostei!

    ResponderExcluir
  15. Oi!
    Esse e um livro que está dado o que falar, já li algumas resenhas dele e sempre vejo comentários positivos o que me deixou muito interessada, gosto muito de contos e adorei que o autor fala de amor de formas diferentes com certeza parece ser um livro emocionante e gostei de saber que o autor não se prende a gramatica mas sim a historia !!!

    ResponderExcluir

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...