maio 17, 2016

[Livros] Os Tambores de Outono - Parte I - Diana Gabaldon (Outlander #5)

Título Original: Drums Of Autumn #5
Autor: Diana Gabaldon
Editora: Arqueiro
Páginas: 576
Gênero: Ficção, Romance Histórico
País: EUA
ISBN: 9788580415087
Classificação: ★

_______________

Em mais uma épica viagem no tempo com Claire e Jamie Fraser, 'Os Tambores de Outono' nos transporta para a América do Norte do século XVIII. Envolvendo história, romance e aventura, Diana Gabaldon toma fôlego na primeira parte do romance e promete mais ação em sua continuação. Sua escrita riquíssima em detalhes me comoveu mais uma vez e, apesar do ritmo lento, prendeu minha atenção na mesma medida que os volumes anteriores.

Suas mais de quinhentas páginas - já características da autora - narram os acontecimentos que sucederam o resgate do jovem Ian. Se conhecer a Escócia por meio de Outlander já havia sido incrível, aprender sobre a história americana têm sido tão surpreendente quanto. Desbravando o mundo, o casal mais apaixonado, corajoso e encantador da ficção, ruma para a colônia americana - que caminhava para se tornar os Estados Unidos da América que conhecemos hoje.

O conhecimento vasto - infindável - de Gabaldon é bastante evidente no quarto volume da série. As descrições de cenário e contexto histórico fazem com que o leitor viaje no tempo junto com a protagonista. Os detalhes bem expostos pela autora aumentam a complexidade da narrativa - já densa - tornando-a tão palpável quanto impossível. Fantástico é um dos adjetivos usados para caracterizar sua vasta obra, mas uma só palavra não é o suficiente para definir tamanho valor. 

Clare e Jamie tentam se estabelecer nas colônias americanas e enquanto enfrentam todo o tipo de obstáculos, desde ladrões perversos até invernos rigorosos, precisam lidar com a forte presença do misticismo em seu relacionamento. A aura mágica em torno dos Fraser torna-se mais visível e, se já existiam mistérios sobre os fantasmas de Outlander, estes ressurgem e trazem com eles um tom mais sombrio à série.

Enquanto isso, Brianna e Roger precisam descobrir sozinhos como lidar com seus sentimentos. A jovem órfã do tempo tenta ignorar seu passado, mas descobre que quanto mais foge de sua história, mais próxima ela está. Dúvidas, descobertas e segredos podem alterar a História? O conceito de tempo é imutável perante o destino? 

Em mais uma obra-prima tão apaixonante quanto cruel, a autora traz cenas fortes, viscerais. Eu não poderia definir Outlander em poucas linhas, afinal, sua complexidade e significado vão além de qualquer definição em palavras. Reconheço que falho miseravelmente a cada resenha da série que escrevo pois é difícil converter emoções em palavras - ao menos para alguém que não é Diana Gabaldon. O amor por Jamie Fraser só cresce e nem o tempo pode fazer com que esse sentimento acabe ou diminua.

"(...) Existem coisas pelas quais vale a pena morrer ou passar fome... mas não palavras.
- Talvez não essas palavras.
Ele se virou para olhar para mim, os traços tênues à luz das estrelas, mas esboçava um sorriso.
- Você sabe quais palavras?
- (...) E quanto a... eu te amo?" (p. 133)

Sinopse: Neste livro emocionante, repleto de ação, intrigas e detalhes históricos, as barreiras do espaço e do tempo são postas à prova pelo amor de um casal e pela coragem de sua filha em mudar o destino para salvá-los. Será possível alterar o passado?

Após tomar a difícil decisão de deixar a filha no século XX e viajar no tempo novamente para reencontrar seu grande amor, Claire Randall tem mais um desafio: criar raízes na América colonial do século XVIII ao lado de Jamie Fraser. Eles partem rumo à Carolina do Norte para encontrar um novo lar e contam com a ajuda de Jocasta Cameron, tia de Jamie e dona de uma propriedade na região.

Enquanto isso, em 1969, Brianna Randall se une a Roger Wakefield, professor de história e descendente do clã dos MacKenzie, para encontrar as respostas sobre as próprias origens e sobre Jamie, o pai biológico que nunca conheceu.

Em meio às buscas, ambos encontram indícios de um incêndio fatal envolvendo os pais de Brianna. Mas Roger não pode lhe contar isso, porque sabe que a namorada tentaria voltar no tempo e salvá-los. Por outro lado, Brianna também não compartilha sua descoberta, pois tem certeza de que Roger tentaria impedi-la.

"- Mas você não vê como é pequena a ideia da morte entre nós dois, Claire? - sussurrou ele. (...) Eu estava morto, minha Sassenach... mas durante todo o tempo, amei você." (p. 341)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...