novembro 20, 2015

[Livros] Todos Os Nossos Ontens - Cristin Terrill

Título Original: All Our Yesterdays
Autor: Cristin Terrill
Editora: Novo Conceito
Páginas: 352
Gênero: Distopia, Ficção, Romance
País: EUA
ISBN: 9788581637983
Classificação: ★

_______________

Genial, fantástico e absurdamente viciante, Todos Os Nossos Ontens é uma distopia que promete fazer os leitores pensarem sobre o futuro e a consequência de suas ações. Envolvendo ficção científica (das melhores) e muito romance, o livro de Cristin Terrill tem uma complexidade única, se dissecando os mais profundos desejos da humanidade, até mesmo aqueles que nos tornam menos humanos.

O enredo que Terrill nos apresenta é tão inteligente e bem construído quanto bem costurado. Cada ponta solta se conecta com uma ação que ocorreu ou vai ocorrer em outro tempo. Não há linearidade narrativa - são viagens temporais - portanto, nos primeiros capítulos, a trama pode parecer confusa, mas o tempo vai explicar tudo - literalmente.

O ser humano sempre controlou tudo o que o cercava - do meio-ambiente até as pessoas - e, agora, ele também pode controlar o tempo. Uma poderosa máquina que permite curvar o espaço-tempo foi criada para corrigir as coisas que deram errado no passado. No entanto, seu criador foi corrompido e passou a usá-la para o mal. Prever o futuro e alterar fatos podem influenciar acontecimentos, negócios, relações internacionais e ajudar, principalmente, a espionagem internacional. 

Em um futuro nada distante do nosso, as tensões políticas e econômicas, a competição capitalista, as disputas religiosas e a desigualdade social são a realidade e a posse de um objeto tão poderoso quanto uma máquina do tempo faz dos Estados Unidos uma superpotência. Se algo dá errado, eles voltam no tempo e evitam, modificam. E assim, por um bem maior, todos são espionados, interrogados e vivem sob terror militar. As preocupações e medidas de segurança que vieram com a possibilidade de conhecer o futuro mantém os próprios cidadãos reféns e suas vidas são propriedade do governo. Não há segredos e se há, eles podem apagá-los.

Em e Marina vivem em tempos diferentes. Suas personalidades e vivências fizeram delas quem elas são, ou seja, o total oposto uma da outra. Em é uma guerreira, ela luta por um mundo mais justo, pelos direitos dos cidadãos e por sua própria vida, já Marina é uma garota fútil e inocente que se apaixona pelo seu melhor amigo e vê seu mundo virar de cabeça para baixo. Elas estão separadas pelo tempo - quatro anos de distância, mas unidas por um segredo bastante previsível, mas ainda assim estrategicamente óbvio. A autora não floreia a narrativa, ela é direta e clara, sem esconder o futuro de suas personagens.

Em tem uma missão: voltar no tempo e impedir o "Doutor" de construir a máquina do tempo, ela e o parceiro Finn já tentaram fazer isso outras vezes - dezenove no total - mas a máquina sempre acaba sendo construída, independentemente do que eles façam. Dessa vez só há um meio: eles têm de matar o Doutor. O problema é que nessa missão eles encontrarão um passado do qual eles preferiam não lembrar.

Toda a engenhosidade com que Cristin Terrill descreve as viagens, os paradoxos e as curvas no tempo é fascinante e, como fã - fã mesmo - de viagem no tempo, preciso afirmar que este é um dos melhores livros que já li na vida. Ciência, política e muitas teorias sobre relatividade fazem desta distopia uma crítica afiada à nossa sociedade ou ao que caminhamos para ser. A mistura perfeita entre romance e ficção científica garantiu definitivamente o meu coração e Finn, James, Marina e Em nunca serão esquecidos. 

Na vida real, nós vivemos repetindo os mesmos erros de novo e de novo, portanto, Todos Os Nossos Ontens é uma espécie de máquina do tempo, em que vemos o futuro e os avanços científicos desenfreados e observamos as consequências das nossas ações. Como o Doutor, nós temos fé que um grande paradoxo possa consertar tudo e mudar o passado, mas nós somos corruptíveis e nossas crenças também são. Não existe - ainda - algo que possa desfazer o que já aconteceu, nada que possa realizar os 'e se...' que tanto nos incomodam ou que traga de volta alguém que já se foi, mas existe uma coisa que nem o tempo pode tirar de nós: esperança no futuro.

"Não quero me lembrar dessas coisas. Mas James sempre diz que o tempo é complicado, que tem uma mente própria. Talvez esse seja seu jeito de nos punir por brincar com ele. (p. 141)

Sinopse: O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo? Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse? Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem?

Em um futuro não tão distante, a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas. O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo. O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo.

"- Ainda parece perigoso para mim - Finn diz. - Muita coisa poderia dar errado.
- Há riscos - James admite -, mas o progresso é sempre perigoso, não? Na maioria das vezes, paredes não são demolidas tijolo a tijolo. Alguém tem de abrir um buraco nelas. 
Alguém tem de abrir um buraco nelas." (p. 216)


5 comentários:

  1. Vim aqui por conta do seu comentário no meu blog com todo o amor por Selena ser hannah e pelo amor que compartilhamos pelo Paulo Coelho, aliás o livro eu falei no post é o ultimo que te falta ler da trilogia do sétmo dia, sim, ninguém sabe que é uma trilogia, mas, é: Veronika Decide Morrer, O Demonio e a Sr Prym e Nas margens do rio Piedra eu sentei e chorei. <3

    E vim na hora certa, menina quero muito esse livro hahahaha
    Amei tudo, confesso que por causa da sua resenha, porque quando vi que era distopia logo me "aaaain, sério? de novo?, mas, gente, amei.
    E o fato a escrita da autora ser de boas tbm conta ponto odeio enrolação.
    Eu ache muito bom, agora é esperar a Black Friday.

    Bom, com o merchan fial de deixar meu link aqui, vou te agradar um pouco e deixar o link de um nacional MARAVILHOSO que li, sobre viagem no tempo:
    http://tayletitshine.blogspot.com/2015/08/atemporal.html

    ResponderExcluir
  2. Oi, Mari.
    Não conhecia esse livro, mas a premissa é bem interessante, adoro distopias desse tipo.
    Estou seguindo o blog e o instagram, amei aqui, retribui?
    Beijos,
    Borboletas de papel

    ResponderExcluir
  3. Oi Mari, tudo bem??? Esse é um livro que quero muito ler desde que lançou :) E sua resenha me animou ainda mais. Geralmente acho essas viagens no tempo super confusas e sem explicações, mas gosto hahahhaha. Mexer com o tempo é complicado mesmo =D
    Beijoos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Mari!

    Eu já tinha visto esse livro, mas imaginei (pela sinopse) que seria algo bem complexo e alinear. Agora, com sua resenha, tenho certeza! Hahaha

    Parece uma obra incrível e gostaria muito de lê-lo porque adoro quando tudo se encaixa e fecha um círculo perfeito, fora toda essa crítica à humanidade que deve ser muito forte.

    E quem não gosta de viagens no tempo?! Sou louca pela ideia também, embora não consiga compreender claramente todas as regras e paradigmas inseridos na ciência. Hahahaha

    Ainda bem que o Black Friday está aí para conferir os preços, né? Hahaha

    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Amo doctor who rs e por conta disso comecei a curti muito esse lance de viagem no tempo
    A historia me interresou muito e o que assusta e essa distopia nao parecer tao absurda ne


    http://estilodenerd42.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...