janeiro 06, 2015

[Livros] Toda Sua - Sylvia Day - Crossfire #1

Título Original: Bared To You
Autor: Sylvia Day
Editora: Paralela
Páginas: 280
Gênero: Ficção, Erótico, Soft-porn
País: EUA
ISBN: 9788565530118
Classificação★☆☆☆☆
_______________

Extremamente erótico, vulgar e irreal. O primeiro volume da trilogia Crossfire foi uma decepção sem tamanho. É impossível não compará-lo com o precursor dos chamados 'soft-porns', Cinquenta Tons de Cinza. Ambos partem de uma trama demasiadamente parecida, porém nesse livro o sadomasoquismo não é o tema central. Confiança, abuso, controle e submissão são explorados num nível um tanto quanto superficial, mas já surtem um efeito melhor do que toda a trilogia de E. L. James (para vocês perceberem o quanto eu odeio Cinquenta Tons).

{Atenção: essa resenha não é recomendada para menores de 18 anos.}

A narrativa pode parecer repetitiva e na verdade é. Os principais elementos são os mesmos: uma mulher comum que se apaixona por um bilionário lindo-maravilhoso-gostoso, suas inseguranças e as tendências dominadoras e possessivas dele, no sexo e no cotidiano. O grande diferencial é que no livro de Sylvia Day, ambos os protagonistas têm traumas no passado e juntos terão que resolvê-los para fazer esse relacionamento dar certo. Grande parte do tempo ele não dá certo e quando dá... é porque Eva está dando. Se é que vocês me entendem.

O conteúdo erótico do livro é, na minha opinião, maior do que o necessário. A autora peca pelo excesso. O personagem principal é perfeito demais, tem dinheiro demais, é confiante demais, os problemas dos dois são parecidos demais para serem coincidência, eles são tarados demais, todo mundo na cidade é bonito demais, ou seja, as coisas são surreais. 

Em alguns momentos eu me questionei: ‘Será que Sylvia Day é uma pessoa normal, que faz sexo? Que tipo de sexo é esse que ela descreve? Não há limites. Os dois não cansam, são insaciáveis e ultrapassam os limites que qualquer pessoa saudável (que não é mais virgem) sabe que existe para transas consecutivas, orgasmos múltiplos e apetite sexual. Como aconteceu quando eu li Cinquenta Tons de Cinza, eu me senti vendo/lendo um filme pornô, onde tudo é falsificado e exagerado.

Na narrativas conheceremos Eva Tramell e sua vida problemática: vítima de abuso sexual na infância, ela convive com as sequelas desse tempo. Sua mãe é uma mulher controladora e egoísta, que mais atrapalha do que ajuda. Quando encontra um novo emprego, Eva vê a oportunidade perfeita para ganhar um pouco de liberdade e seguir em frente. Em seu primeiro dia de trabalho, porém, ela conhece um cara incrivelmente atraente que vai pôr tudo a perder.

Esse ‘cara’ acaba sendo o Gideon Cross, o dono do prédio onde Eva trabalha. Ele ‘coincidentemente’ também é dono de uma rede de academias, de uma rede de hotéis, de restaurantes, enfim... ele é dono de tudo o que se possa comprar. Sua primeira abordagem, porém, é prepotente e arrogante e Eva acha que ele também está tentando comprá-la. Apesar da evidente atração física, Eva dá uma de difícil e recusa a oferta inesperada de sexo que Gideon faz a ela no elevador. “O que eu preciso fazer para comê-la?” Sim, claro, porque isso é algo que todas nós ouvimos todos os dias. Algo super comum e que acontece o tempo todo.

Com o tempo, a garota cede aos encantos do bilionário e os dois transam loucamente. No carro, no sofá, no escritório, na casa de outras pessoas, no elevador, em qualquer lugar. O problema é que as inseguranças de Eva surgem a todo momento. Estar com um cara público, podre de rico e mulherengo como Gideon, por incrível que pareça, começa a ter suas desvantagens. A mocinha nessa saga não é tonta, é ninfomaníaca e sente tesão até pela torradeira.

Personagens insuportáveis como a própria protagonista não faltam. Monica Stanton, mãe de Eva, é um verdadeiro chute nas partes íntimas. A megera só liga para dinheiro e quer que a filha se exploda. Cary, o melhor amigo da protagonista, consegue ser ainda mais imbecil. Um rapaz, 'absurdamente bonito' que é bissexual, gosta de um cara, transa com uma menina, pratica orgias e só dá conselhos ruins. 

Isso sem falar nos próprios protagonistas. Entre as crises de ciúmes, insegurança e faniquitos dos dois, não acontece absolutamente nada. Cenas eróticas intensas e de linguajar vulgar inundam todos os capítulos. O que foi totalmente desnecessário! Se a proposta do livro era 'ampliar o seu vocabulário sexual' ele se sai bem. Mas o Multishow depois das onze tem mais história. O livro se resume a isso e se você espera muito mais do que apenas sexo, vai se decepcionar. 

"- Você está dormindo com alguém? (...)
- Por que você está me perguntando isso? (...)
- Porque eu quero comer você, Eva. Então preciso saber se existe alguém atrapalhando meus planos." (p. 29)

Sinopse: Eva Tramell tem 24 anos e acaba de conseguir um emprego em uma das maiores agências de publicidade dos Estados Unidos. Tudo parece correr de acordo com o plano, até que ela conhece o jovem bilionário Gideon Cross, o homem mais sexy que ela - e provavelmente qualquer outra pessoa - já viu. Gideon imediatamente se interessa por Eva, que faz tudo o que pode para resistir à tentação. Mas ele é lindo, forte, rico, bem-sucedido, poderoso e sempre consegue o que quer - Eva acaba se entregando. Uma relação intensa começa. O sexo é considerado por eles como incrível. Capaz de levar os dois a extremos a que jamais tinham chegado. E, então, eles se apaixonam - o que pode ser tanto a chave para um futuro feliz quanto a faísca que trará de volta os traumas do passado.

"- Eu te amo, Gideon.
- Meu Deus - Ele me olhou como se estivesse enojado. Se era comigo ou com ele mesmo eu não sabia. - Como você pode me dizer uma coisa dessas?
- É a verdade.
- Você só está vendo isso aqui. - Ele apontou para seu corpo. - Não está vendo tudo o que existe de perturbado e traumatizado aqui dentro." (p. 233)


14 comentários:

  1. Eita pelo visto é muito MAIS!! kkk eu vi agora pouco sua resenha em video desse livro, que achei bem descontraído. Mas como disse anteriormente, apesar de toda a negatividade e de parecer que o livro tem um enredo decepcionante eu estou curiosa para conhecer a escrita da silvia Day. Bem, pelo menos já estou consciente de que posso me decepcionar :/

    xoxo!
    http://livrosseriesecitacoes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari! <3
    Como você sabe eu amo a série Crossfire, mas o primeiro volume não é o meu preferido, justamente por ser muito parecido com Cinquenta Tons de Cinza. Lembro que quando o li, pensei que era uma cópia deslavada, porém com a escrita um pouco melhor. Mas no segundo e terceiro livro a história melhora e muito (minha opinião..rs). Claro que as cenas de sexo continuam, mas muitas outras coisas acontecem também. Meu preferido até o momento é o livro 3. Essa semana irei ler o quarto livro e ver como irá ficar toda história. Mas uma coisa é fato: Gideon ♥! kkkkkkkkk
    Adoro suas resenhas e a sua sinceridade.
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Mari

    Eu ri muito, muito mesmo com tua resenha.
    Esses livros soft porns nunca me atraíram, não importa o quanto eles sejam badalados.
    Folheei 50 tons semana passada enquanto esperava uma amiga ficar pronta. Só vi sexo, sexo e mais sexo. Aquilo nunca será normal. Nunca vi uma pessoa ter tantos orgasmos, tantas vezes em tão pouco tempo e continuar subindo pelas paredes.
    Já vi posts dizendo que Toda sua era bem melhor que 50 tons, pelo visto são todos farinha do mesmo saco. Quero distância.
    Entretanto, confesso que talvez, apenas talvez, não resista e assista 50 tons, eles devem pegar mais leve em todos os quesitos.

    Beijos
    mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu passo longe dessa série, é de ficar se perguntando isso mesmo da autora. E com isso de personagens tão irritantes e o fato de só ter sexo em todo lugar (até na casa dos outros???!!!) diminuiu ainda mais minha vontade de ler.
    A resenha está muito boa! Abraço, Mariana!

    ResponderExcluir
  5. Posso, confessar? Deu nojo só de ler a resenha. Sei lá, odiei o livro, não a resenha; que isso fique claro. Mas não me atraí pelo livro de jeeeeeito nenhum e não o leria.
    Realmente, a dúvida que paira no ar é essa sobre a autora fazer esse tipo de sexo. Porque por favor, né. Afff

    ResponderExcluir
  6. Não sou chegada nesses livros eróticos. É um estilo que,para mim,não tem graça nenhuma.Minha irmã leu esse livro e teve uma reação parecida com a sua,me contou a história e eu definitivamente não leria.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. HEUHEUEHUE GENTE, ME SEGURA QUE EU TO NO CHÃO
    cara, eu amei sua resenha e mais ainda, sua video resenha <3 Ri demais com ela.
    Nem consigo imaginar o quanto você não gosta de 50 tons... E essa abordagem do cara foi muito sem noção mesmo, mds...
    Beijo,
    http://entreeleitores.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. A duvida me assolou, aquela contra indicação para menores de 18 anos me barrou, mas pensei : "poxa, ela é divertida, já assisti o vídeo-resenha dela, vou arriscar". Não me arrependi, você consegue expor sua opinião de um jeito único.
    Depois de assistir o seu vídeo e ler sua resenha, só consigo me perguntar como esse livro se manteve no topo dos mais vendidos por tanto tempo, é intrigante e assustador.
    Não estou familiarizada com nada do gênero ou tema, mas realmente espero que seja bem diferente de como os livros andam abordando.

    ResponderExcluir
  9. Não sou fã desse gênero. Já tentei ler um livro da autora, mas não fluiu.
    Confesso que a sua resenha ficou ótima, mas não leria infelizmente :(
    Parabéns com o blog e sucesso

    www.gemices.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Alguns trechos do livro chega me assustar pela direta, frieza e grosseria. É minha leitura atual. Perfeita a resenha. Beijos. http://leiturasplus.blogspot.com.br/ (PS: Mariana me passa seu e-mail, estou amando seu blog e gostaria de conhecer mais).

    ResponderExcluir
  11. Oi, Mari.

    Fiquei olhando pra tela achando que já tinha comentado, mas vi que era resenha do primeiro livro. As obras da Silvya Day não me atraíram, quem sabe quando ela lançar algo que não envolva tanto sexo eu não leia.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Sorteio Fim de ano

    ResponderExcluir
  12. Olá ! Mariana meu deus ! Que livro mais nojento é esse nem li a resenha muito feio ,quantos você têm ? Eu não leio esse tipo de livro curto romances da Paula Pimenta quê é muito fofo !

    ResponderExcluir
  13. Mariana!
    Como os romances hots estão em alta, hein? Não vou dizer que não gosto, porque gosto, porém tudo em excesso é demais.
    Até gosto da Silvya Day e já li alguns livros dela, romances que não tem tanto sexo assim, tem um pouco mais de romantismo. E gostei!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Minha vontade de ler esse livro é inexistente. Não sou muito fan do gênero, e nada nele me chama atenção, mas quem sabe no futuro...

    ResponderExcluir

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...